quinta-feira, 30 de abril de 2009

Mayday' 09

Eborae Musica - Programação para Maio 2009


Evento 1
De 5 a 8 - Semana do Piano
Dia 8, 21h30 – Concerto pelos Alunos e Professores (Mendelsohn)
Local: Convento dos Remédios
Org: Associação Eborae Mvsica

Evento 2
Dia 9, 21h30 – Recital de Piano por José Eduardo Martins
Local: Convento dos Remédios
Org: Associação Eborae Mvsica

Evento 3
Dia 12, 21h30 – Concerto pelo “Lehigh University Choir”, dos EUA
Local: Convento dos Remédios
Org: Associação Eborae Mvsica

Evento 4 “Concertos na Capela”
Dia 13 às 18h30 Concertos na Capela
Trio de Trompetes - Artur Barroso, André Santinha e Nuno Roquette
Local: Hotel Mar de Ar Aqueduto

Evento 5
Dias 16 e 17 – Workshop de Trompete.
Orientador: Pedro Monteiro
Local: Convento dos Remédios
Org: Associação Eborae Mvsica

Evento 6
Dia 23 – Concerto pelo “Wocester Chorale” (Música Sacra), dos EUA
Local: Convento dos Remédios
Org: Associação Eborae Mvsica

Evento 7
Dias 28 e 29, 18h00 – Audições de Arcos
Local: Convento dos Remédios
Org: Associação Eborae Mvsica

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Pim-Teatro no Garcia de Rezendo

terça-feira, 28 de abril de 2009

Principais assuntos tratados na mais recente reunião pública de Câmara.

A Câmara Municipal de Évora aprovou a Conta de Gerência e o Relatório de Gestão referentes ao ano de 2008 com três votos favoráveis do PS, o voto de qualidade do Presidente, a abstenção do Vereador do PSD e os votos contra da CDU.

O Vereador António Dieb (PSD) justificou a sua abstenção pelo facto de a Câmara Municipal estar já muito condicionada por compromissos de anteriores anos, o que limita as opções, pelo que os documentos agora postos à discussão e aprovados não poderiam ser muito diferentes em obediência à estratégia que o actual Executivo tem seguido.

A CDU justificou o voto contra pela divergência de opinião e de opções que teria se a gestão fosse sua. Referiu ainda a sua preocupação com a situação financeira da Câmara e o agravamento da dívida de curto prazo.

O Presidente da Câmara Municipal realçou os traços fundamentais que caracterizam os presentes documentos de gestão que enumerou. O facto mais marcante da evolução financeira de 2008, explicou, é a diminuição de receitas municipais que ultrapassou os seis milhões de euros, fruto da conjuntura económica que vivemos determinada pela crise internacional que se abate sobre a actividade económica do nosso concelho e consequente diminuição de impostos municipais. Essa diminuição de receitas implicou grandes dificuldades de tesouraria ao longo de todo o ano de 2008 e, conforme demonstram os documentos, é equivalente ao acréscimo da dívida de curto prazo.

Registou também a progressiva diminuição da dívida de médio e longo prazo, tendo a Câmara Municipal conseguido cumprir integralmente os compromissos com a banca assumidos e referiu que este é o caminho que se tem seguido gerindo com rigor o orçamento municipal e realizando investimento, quer na cidade, quer nas freguesias rurais.

Cinema passou do Eborim para o Auditório Soror Mariana

Foi aprovado por unanimidade que seja a Câmara a suportar o custo de parte das obras de adaptação que permitiram que o Auditório Soror Mariana passe a exibir o cinema comercial que até à data funcionava no antigo Centro Comercial Eborim.

Apesar de se tratar de um tipo de exibição gerida por privados, a solução encontrada fruto do empenho da autarquia, da Universidade de Évora (proprietária do Auditório) e da Zon Lusomundo veio permitir a continuidade do cinema comercial na cidade, uma vez que não existiam outras salas adequadas a esta actividade.

Tendo em conta o interesse que tem para a cidade de Évora manter este tipo de cinema à disposição da população, a Câmara realizou as referidas obras, tendo já a partir do dia 3 de Abril tido lugar a exibição dos filmes.

O custo total das obras de adaptação foi de 18.378,41 euros (+ IVA), sendo a utilização do Auditório objecto de protocolo já assinado entre a Universidade e a Zon Lusomundo.

Mês da Juventude com balanço muito positivo

A Vereadora Filomena Araújo deu conhecimento do balanço do Mês da Juventude que resultou de um trabalho conjunto entre a Câmara e associações juvenis, culturais, de deficientes e de estudantes e permitiu uma oferta muito diversificada de iniciativas que agradaram a todos os envolvidos. Destaca-se entre outras a “Freguesia em Festa” que levou vários eventos às freguesias rurais; a remodelação completa feita pela Câmara da Pista de Skate no Bairro de Nª Sª da Glória; o 1º Encontro Nacional de Conselhos Municipais de Juventude; a “Rota dos Livros” e a “Rota dos Sabores Tradicionais Jovens” que permitiu aos jovens usufruírem de descontos na comporá de livros e de refeições nos restaurantes da cidade; o lançamento e organização de concursos na área gráfica, musical, literária e fotográfica incentivando a criatividade e a 1ª Feira Alentejo Jovem, sob o lema “Juventude, Formação e Emprego”, uma iniciativa inédita que atraiu entre oito a dez mil pessoas ao certame.

Câmara de Évora apoia reabilitação de escola de refugiados sahauris

Aprovação unânime mereceu também a ratificação de apoio financeiro no valor de dois mil euros, a atribuir ao Movimento Democrático das Mulheres (Núcleo de Évora) para reabilitação de uma escola localizada num acampamento de refugiados sahauris em Tiduf (Argélia).

O MDM em parceria com o Conselho Português para a Paz e a Cooperação desenvolve este projecto que permitirá reconstruir uma escola destruída por chuvada devastadora e que deixou cerca de 630 crianças sem um único espaço de educação e lazer.

De futuro serão desenvolvidos programas de geminação com salas de aulas do ensino primário dos municípios parceiros, contribuindo assim para a quebra de isolamento a que estes meninos estão sujeitos. A Câmara de Évora apadrinha uma sala de aulas que se denominará “Sala de Évora”.

Câmara aprova verba para Jardins-de-Infância

A atribuição de verbas para aquisição de material de desgaste – Componente de Apoio à Família nos Jardins-de-Infância da Rede Pública do Concelho mereceu aprovação unânime, sendo de 2.780 euros o montante global a conceder aos Agrupamentos de Escolas do Concelho.

Tal verba, a ser utilizada nas actividades lúdico-pedagógicas realizadas durante o período de funcionamento da Componente de Apoio à Família, beneficia um total de 278 crianças de oito jardins-de-infância, sendo os restantes (nas freguesias rurais) abrangidos por acordos de gestão celebrados com as respectivas Juntas de Freguesia e as verbas transferidas para estas.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Feira de S.João


Autor -  Ricardo Santos
Data Fotografia - Séc. XX - inícios
Legenda - Teatro Barraca na Feira de São João
Cota AC - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

domingo, 26 de abril de 2009

Évora Antiga


Autor - Ricardo Santos
Data Fotografia - 1910/12/01
Legenda - As mulheres republicanas de Évora em 1910
Cota - S/cota - Propriedade Maria Guilhermina Calhau

sábado, 25 de abril de 2009

EXPOSIÇÃO - Niki de Saint Phalle: Joie de Vivre

Nesta exposição inédita mostram-se esculturas e gravuras de um dos mais emblemáticos nomes da Pop Art e do Nouveau Réalisme, nunca antes objecto de uma exposição individual em Portugal. Alegria, vigor e uma energia quase telúrica
emanam destas obras como uma respiração. São peças vivas, que exaltam o Amor, a Liberdade e a Mulher. Que falam das transformações interiores
e dos labirintos do inconsciente. E também do bem e do mal, do riso, da ternura, do medo… O universo de Niki de Saint Phalle, construído a partir das suas paixões e inquietações, é feito de linhas e formas sinuosas, iluminado por cores explosivas e transbordante de humor.

Entrada 1€
Visitas audioguiadas
Visitas Guiadas * Todos os dias . 2,50€/pessoa
Programas para escolas * 2ª a 6ª-feira alunos do ensino pré -escolar , 1º, 2º e 3º ciclos e secundário .
Visitas guiadas com actividades 1€/pessoa .
Ateliês didácticos 1€/pessoa .
Programa para as Famílias Sáb .-Dom . ‘ 11.00h
Actividades para crianças dos 6 aos 10 anos , acompanhadas por um adulto ‘ Duração 1.30H ‘2 EURos /pessoa .
* Mediante marcação prévia


ORGANIZAÇÃO FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA
Comissária: Filipa Oliveira Informações Adicionais

TELEFONE 266 748 350
EMAIL geral@forumea.com.pt
servicoeducativo@forumea.com.pt
WEB www.forumea.com.pt

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Programa do 25 de Abril

Espectáculo de fantoches “Ainda nada?”

Espectáculo de fantoches seguido de ateliê
“Ainda nada?”
Convento dos Remédios - Av. S. Sebastião
Sábado, 25.04.09, 16.00H

Ainda Nada? Conta a história do senhor Luís e da sementinha que depositou na terra. “Ficarei à tua espera”, disse-lhe ele. O tempo passou e o senhor Luís foi todos os dias ver se a sua sementinha se transformava numa bela flor. (…)Inserido no projecto Sons e Letras, este conto permite uma abordagem diferente ao conceito de tempo.
Espectáculo de fantoches, concebido e encenado por Ana Margarida Serrano, Marisa Trigueirão, Sandra Veladas. Seguido de um ateliê.

Iniciativa inserida na programação bimestral da dinamização das exposições “À descoberta da Sombra” e “Ebora Megalitica”.


Publico alvo dos 3 aos 103.
Duração aproximada 1h. 
Entrada Livre.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Circo Richards Bros em Évora


De 24 de Abril a 3 de Maio, Évora será presenteada com vários espectáculos apresentados pelo grande Circo Richards Bros.

Este Circo, sem animais, é um espectáculo inédito em Portugal, e estará em Évora, no Rossio de S.Brás.
Espectáculos todos os dias pelas 21:30, Sábados, Domingos e Feriados, pelas 16:30 e 21:30.



Abr 24, 18h30, Salão Nobre CME - Concerto Comemorativo 25 Abril- Coro Polifónico Eborae Mvsica

quarta-feira, 22 de abril de 2009

ROTA DE SABORES TRADICIONAIS - Conferências em Torno da Gastronomia


A Câmara Municipal de Évora vai levar a efeito até ao final do mês de Abril uma série de conferências em torno da gastronomia, que se inserem no âmbito da promoção da iniciativa Rota de Sabores Tradicionais.

”Música e Gastronomia”, “A Cozinha Tradicional tem muita ciência”, "A educação do gosto: o caso de S. Brás de Alportel", "Preservar a Tradição com Segurança", "Cozinha solar e suas potencialidades na ecogastronomia alentejana" e "Slow Food" são os temas que irão estar em análise nestes encontros, que vão ter lugar no Convento do Espinheiro, sempre a partir das 19h00.

É este o programa completo das Conferências em Torno da Gastronomia

Dia 24
Título: "Música e gastronomia"

Resumo: dos sumptuosos banquetes acompanhados por sinfonias compostas para o efeito por músicos da Corte (de Lalande), até à confecção de pratos inspirados por compositores de renome (Rossini) ou intérpretes de eleição (Caruso), passando por cenas operáticas onde o elemento gastronómico é cenário privilegiado (Mozart, D.Giovanni ; Verdi, Falstaff), a música sempre conviveu bem com a comida.

Orador: Luís Ribeiro nasceu em Lisboa em 1955. Engenheiro de Minas. Professor do Instituto Superior Técnico. Presidente do Centro de Geossistemas do IST. Presidente do Grupo Português da Associação Internacional de Hidrogeologos. Autor dos programas radiofónicos emitidos pela RDP–Antena 2: REVOLUÇÃO CHOSTAKOVITCH - MÚSICAS PARA O CENTENÁRIO (2006) e MÚSICA AQUÁTICA (2007) e pela Rádio Imprevisto: A VIA LÁCTEA (1986).


Dia 25
Título: "A cozinha tradicional tem muita ciência"

Resumo: muitas técnicas, resultantes de uma aproximação empírica ao longo de séculos, podem ser explicadas com base na composição dos alimentos e alterações físicas e químicas que ocorrem na sua preparação. Este conhecimento permite aperfeiçoar a prática culinária e desenvolver novas aplicações. A cozinha é mesmo um excelente veículo de divulgação de ciência e com um grande potencial para sensibilizar o público para o papel da ciência no quotidiano.




Orador: Paulina Mata - Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. Nova de Lisboa. Engenheira Química, aliando a formação académica ao interesse por gastronomia e cozinha interessou-se pela Gastronomia Molecular. Pertence à equipa que nos últimos 8 anos dinamiza, em colaboração com a Ciência Viva, a actividade “A Cozinha é um Laboratório” - nome genérico dado a um conjunto diversificado de actividades que ligam a cozinha e a ciência. Na sequência deste trabalho tem participado e colaborado na organização de sessões de demonstração, colóquios e acções de formação em Gastronomia Molecular para o público em geral, escolas ou profissionais de cozinha.


Dia 27
Título: "A educação do gosto: o caso de S. Brás de Alportel"

Resumo: os hábitos e padrões alimentares do concelho de S. Brás de Alportel, ricos em tradições gastronómicas e similares ao tipo de alimentação mediterrânica, considerada pelos nutricionistas uma alimentação equilibrada e saudável, propiciou o caminho fértil para a mudança de comportamentos alimentares dos jovens, baseados na tradição e costumes da terra dos seus avós. A procura de receitas tradicionais junto das famílias, despertando sensibilidades e memórias, assim como o trabalho gráfico e qualitativo das mesmas junto da comunidade, associado ao trabalho em parceria com as demais entidades e líderes de opinião, permitiram a alteração gradual dos hábitos alimentares dos jovens que frequentam as escolas do concelho, num trabalho de divulgação e orientação de paladares, desviando a atenção da publicidade a hábitos alimentares modernos, baseados em comidas consideradas pouco saudáveis. Espera-se, assim, contribuir para ganhos e melhoria em saúde neste concelho do barrocal algarvio aliado à divulgação de boas práticas em Educação para a Saúde.

Orador: Maria Filomena C. Horta Correia - médica de Saúde Pública, assistente graduada de Saúde Pública, Delegada de Saúde de S. Brás de Alportel


Dia 29
Título: "Preservar a Tradição com Segurança"

Resumo: o consumidor está cada vez mais interessado e atento à alimentação, não só como elemento essencial à sobrevivência mas também como prazer e gosto de bem comer. É possível manter a tradição com segurança, valorizando as propriedades organolépticas e nutricionais dos nossos produtos tradicionais, de modo a adequar à legislação sem que se perca a genuinidade.

Orador: Isadora Pereira - licenciada em engenharia com formação na área Alimentar. Trabalha em Segurança e Qualidade Alimentar como consultora e formadora. Integra uma Confraria Gastronómica Portuguesa.




Dia 30
Título: "Cozinha solar e suas potencialidades na ecogastronomia alentejana"

Resumo: a disseminação das cozinhas solares pode dar um contributo interessante para a sustentabilidade, uma vez que é possível, por um lado, construírem-se cozinhas solares de baixo custo, utilizando-se para o efeito uma grande quantidade de materiais recicláveis e, por outro, reduzir o consumo de gás, electricidade e de lenha. É possível para muitas famílias no Alentejo ter à sua mesa, em mais de 90 % dos dias do ano, uma refeição confeccionada em cozinhas solares, incluindo-se os meses mais frios. As cozinhas solares são uma interessante alternativa porque permitem a confecção de vários tipos de pratos lenta ou tão rapidamente como no fogão a gás ou eléctrico, dependendo das condições climáticas, do modelo de cozinha solar, do tipo e da quantidade dos alimentos a confeccionar e do modo de confecção.

Orador: Celestino Ruivo - licenciado, mestre e doutor em engenharia mecânica e professor na Univerdade do Algarve, iniciou a sua actividade de divulgação da cozinha solar em Julho de 2006, participando em vários encontros de cozinhas solares, palestras em escolas nacionais e internacionais e em programas de rádio e de televisão nacionais e internacionais. Utiliza regularmente cozinhas solares do tipo painel, tipo caixa e tipo parabólico para confeccionar as refeições em casa para toda a família durante todo o ano, mesmo em dias de Inverno muito frio.


Dia 01
Título: "Slow Food"

Resumo: O Slow Food é um projecto cultural, que se baseia na difusão do conhecimento, da cultura e das riquezas ecogastronómicas, com realce para a protecção agro-alimentar, a preservação dos conhecimentos rústicos e artesanais e a defesa da biodiversidade vegetal e animal. Este movimento internacional, fundado em 1986, como contraposição à fast food e ao modo de vida acelerado, constitui uma rede mundial comprometida em mudar a forma como o alimento é produzido e consumido atualmente, contando, para tal, com mais de 100.000 membros em mais de 100 países, que defendem o direito ao prazer, promovem os alimentos bons, limpos e justos e apoiam os alimentos locais.

Orador: Victor Lamberto - leader do Convivium Alentejo do movimento internacional Slow Food, autor do projecto “Rota dos Mármores – Rede Integrada de Percursos Geoturísticos”, colaborando, desde 1999, em actividades de divulgação da Ciência, nomeadamente no âmbito do programa Ciência Viva “Geologia no Verão”. É autor e co-autor de diversos artigos e comunicações nas áreas dos georrecursos, enogastronomia e geoturismo.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Acções de sensibilização sobre segurança nas escolas de Évora

O Conselho Municipal de Educação/Grupo de Trabalho “Prevenção e Segurança nas Escolas” e os Agrupamentos de Escolas de Évora levam a cabo nas próximas semanas um conjunto de acções de sensibilização/informação dedicada à temática da “Segurança na Escola” e direccionada para os alunos do 2º Ciclo, directores de turma e assistentes operacionais.

São objectivos desta acção divulgar e aprofundar uma cultura de protecção e de segurança junto dos alunos: educar para a prevenção e minimização de riscos; envolver a comunidade educativa na construção de uma cultura de segurança e sensibilizar para a necessidade de conhecer procedimentos de autoprotecção no contacto com equipamentos desportivos.

Tem igualmente a finalidade de contribuir para o reforço do nível de segurança nas escolas, em particular nas crianças e jovens que as frequentam; responsabilizar a população escolar no cumprimento de normas de segurança e promover atitudes e comportamentos adequados em contexto/meio escolar.

As temáticas a desenvolver incidirão nos acidentes em meio escolar no ano lectivo de 2007/08; segurança de equipamentos desportivos; Escola Segura (segurança rodoviária, transportes colectivos e percurso casa-escola); e efeitos práticos da falta de segurança em meio escolar.

Esta semana tem lugar a primeira acção de formação (15 de Abril) no Agrupamento de Escolas nº 4, realizando-se a próxima no dia 22 de Abril no Agrupamento nº 3, pelas 15:30 horas. Está ainda agendada uma acção no dia 29 de Abril no Agrupamento nº1, com início às 16 horas, e uma outra no dia 6 de Maio no Agrupamento nº 2, a partir das 15: 30 horas.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Um pouco de História ... 3

Pode, contudo, afirmar-se que as muralhas romanas e as suas portas (articuladas com os eixos regionais), influenciaram claramente a estrutura da futura cidade. 

Os períodos visigodo e árabe são bastante obscuros no que respeita a vestígios urbanos. Segundo Alexandre Herculano, talvez baseado em escritos do Geógrafo árabe Edresi, que viveu no Séc XII, Évora era a 2ª cidade árabe da província de Badajoz. Nos seus arredores cultivava-se trigo e todas as espécies de legumes e ainda se pastoreava gado. Um comércio intenso tornava-a rica. De facto, no vasto período entre 715 e 1165 conhece-se muito pouco da cidade de Évora.

No Séc. XII, com a conquista de Évora aos Mouros por Giraldo sem Pavor, iniciou-se uma nova fase de crescimento da cidade, até ao Séc. XVI.
Nesta época, a Corte fixou-se em Évora durante largos períodos. D. João I eleva Évora a 2ª cidade do Reino e o Rei Afonso V escolheu-a como quartel general das suas campanhas africanas.
A primeira obra notável construída pelos portugueses foi a Catedral, iniciada em 1204. 
Fora das antigas muralhas romanas construíram-se alguns Conventos, como o de S. Francisco, S. Bento de Cástris (Séc XIII) e S. Domingos (Séc. XIV).
Com a conquista cristã, as comunidades moura e judia instalaram-se for a das muralhas, a primeira a Norte da Igreja de S. Mamede e segunda entre as actuais ruas de Serpa Pinto e a do Raimundo.
No Séc. XVI, o tecido urbano de Évora estava praticamente definido e ocupado. Este é considerado o Século de ouro da cidade e caracteriza-se:
• Pela instalação do Palácio Real junto ao Convento de S. Francisco 
• Pela fundação da Universidade e de muitas instalações de apoio ao seu funcionamento 
• Pela construção de muitos palácios, alguns dos quais para a Corte 
• E, sobretudo, pela construção do Aqueduto da Água da Prata, que provocou várias mudanças na área urbana e abre 2 novas ruas 

Troços da antiga muralha foram eliminados, de forma a definir uma nova estrutura urbana que aproximou a cidade romana do resto da urbe. Esta nova estrutura define-se também pela imagem fortíssima do Aqueduto, pela importância da Praça do Giraldo, pelo eixo principal, prolongado agora até ao Paço Real.

O tecido definido pelos quarteirões góticos consolida-se.
Nos Séculos XVII e XVIII, as transformações da cidade caracterizaram-se pela substituição de antigas casas populares por outras construções de porte mais nobre. Algumas fortificações de tipo Vauban foram introduzidas neste período.
No Século XIX, foram operadas algumas grandes transformações que se prolongaram até aos nossos dias, algumas das quais destruíram peças do património de Évora:
• à Praça do Giraldo foi retirado o edifício dos Paços do Concelho, para a construção do Banco de Portugal 
• o Palácio real foi destruído por um incêndio, à excepção da Galeria das Damas. Deu lugar ao Mercado, ao Largo 1º de Maio e a um Quartel (agora edifício universitário) 
• ao lado do Palácio Barahona foram construídos os celeiros de trigo 
• o Convento de S. Domingos deu lugar ao Teatro Garcia de Resende e ao Jardim das Canas 
• o Convento do Salvador e o Palácio do Conde de Sortelha desapareceram para dar lugar aos CTT, aos Paços do Concelho, a um Banco e outros imóveis. 


A classificação do Centro Histórico de Évora como Património da Humanidade em 1986 foi o reconhecimento do seu valor histórico e patrimonial e do esforço feito no Séc. XX para a sua salvaguarda e valorização.

domingo, 19 de abril de 2009

Um pouco de História ... 2

A região onde Évora se insere apresenta vestígios de ocupação humana desde os tempos mais remotos – gravuras rupestres com cerca de 20.000 anos, importantes monumentos megalíticos, como a Anta do Zambujeiro e o Cromeleque dos Almendres, do Neolítico Antigo ao Neolítico Final.

Durante o domínio romano, Évora foi um ponto de cruzamento de estradas imperiais da antiga Lusitânia. A Liberalitas Julia ganha o prestígio de município e atinge um desenvolvimento notável. Muitos vestígios chegaram aos nossos dias, como o Templo Romano, os banhos públicos, troços da Cerca Antiga; contudo, o tecido urbano romano é pouco conhecido, já que as cidades árabe medieval e moderna se construíram sobre a cidade romana, escondendo ou destruindo casas, palácios e equipamentos. Hoje, muitos trabalhos de arqueologia tentam encontrar os vestígios que permitam construir o esquema da cidade romana.

sábado, 18 de abril de 2009

Um pouco de História

Em termos históricos, conhecem-se vestígios da ocupação humana na cidade ou arredores desde o paleolítico superior, embora no neolítico tivesse sido palco de grandes movimentações humanas testemunhadas por centenas de monumentos megalíticos. 
O Município latino foi formado no ano 59 A.C., pelo Imperador César Augusto, com o nome de Liberalitas Julia.
Após a colonização romana, foi ocupada pelos árabes durante cerca de 5 séculos, tendo sido conquistada definitivamente pelo guerrilheiro cristão Giraldo Sem Pavor em 1165, tendo sido integrada no Reino de Portugal.
Nos dois períodos de dominação de Portugal por Castela (1383/85 e 1580/1640), Évora distingue-se pelos movimentos de resistência e por acções decisivas para a reconquista da independência, assim como aquando das Invasões Francesas em 1808.
Os Séculos XV e XVI foram as épocas de maior crescimento e engrandecimento da cidade - o facto de ter sido sede da Corte durante longos períodos, teve como consequência a construção de Palácios, Igrejas, Conventos, edifícios militares e infra-estruturas importantes de engenharia civil como o Aqueduto e o abastecimento de água à cidade. Foi em Évora que o Rei D. Manuel I entregou a Vasco da Gama as instruções e o comando das naus que partiram à descoberta do caminho marítimo para a Índia. As maiores figuras renascentistas portuguesas por aqui passaram ou viveram, marcando para sempre a personalidade da cidade.
A cidade de Évora nasceu numa colina e estende-se suavemente pelas encostas. Qualquer ângulo de observação é marcado fortemente por um perfil característico, no qual se destacam a Catedral e outros monumentos históricos, dos quais o ex-libris é o Templo Romano. 
A cidade conteve-se nas muralhas medievais até ao Século passado e só nas últimas décadas cresceu até perto de 50.000 habitantes. 
É hoje uma cidade moderna com um Centro Histórico importante, polo da vasta região onde se insere. Os serviços são a principal fonte do emprego, embora disponha de um sector industrial em crescimento. O turismo cultural e a instalação em Évora de uma Universidade cada vez maior, mais dinâmica e mais prestigiada, deram à cidade novos motivos para a sua crescente força na rede urbana regional e nacional.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Évora: Abertas candidaturas para bolsa de investigação sobre Convento da Cartuxa

A Fundação Eugénio de Almeida tem abertas as candidaturas, até ao final deste mês, para a atribuição de uma bolsa de investigação sobre o Convento da Cartuxa de Santa Maria Scala Coeli. A bolsa de investigação, no valor de cinco mil euros, destina-se a portugueses e a estrangeiros interessados em investigar a Cartuxa de Évora, o único mosteiro contemplativo masculino do país. Segundo a Fundação Eugénio de Almeida, que tem a missão de preservar, manter e apoiar o Convento da Cartuxa localizado em Évora, os trabalhos podem dedicar-se a qualquer das dimensões daquele mosteiro: espiritual, histórica, artística, arquitectónica ou outra. O objectivo é que esta investigação favoreça o conhecimento mais amplo e aprofundado do convento.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Câmara realizou acções de sensibilização sobre o livro e a leitura


A Câmara Municipal de Évora dinamizou, no âmbito do projecto de promoção do livro e da leitura “A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas”, uma acção de sensibilização sobre o livro e também mais uma reunião para leituras que juntou pais e filhos.

Deste modo, nos dias 7 e 8 de Abril a autarquia promoveu na EB2/3 Conde Vilalva a acção de sensibilização “Histórias na Ponta da Língua”, dirigida ao pessoal não docente/técnico profissionais dos Jardins-de-Infância da Rede Pública.

Esta acção visou facilitar o acesso por parte do pessoal não docente a um conjunto de estratégias e dinâmicas de abordagem ao livro de recepção infantil, tendo como base o jogo lúdico.

Foram abordados os seguintes conteúdos: “Da imagem à palavra”; “Como brincar com as palavras”; “Jogos de oralidade” e “Manipular o objecto livro”.

O grupo de leitura para pais e filhos reuniu no dia 4 de Abril, na Ludoteca tendo como pano de fundo o Dia Internacional do Livro Infantil. Neste grupo participaram cerca de 10 adultos e 15 crianças.

Trata-se de um grupo de carácter informal, cujo principal objectivo é incentivar os pais a desempenharem o seu papel de mediadores de leitura e permitir momentos de partilha e troca de experiências em torno do livro e da leitura entre pais e filhos.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Teatro - Auto da Festa


A peça inicia-se com um discurso da Verdade, em que esta elogia o teatro e critica a corrupção existente na corte. As duas ciganas lêem a sina aos espectadores em castelhano e pedem-lhes dinheiro ou prendas. Uma das ciganas dirige-se à Verdade, que as expulsa. Em resposta, a cigana prevê-lhe um futuro sombrio. Na cena seguinte o Parvo propõe casamento à Verdade. A Velha mostra-se também disposta a casar com Rascão. A cena cómica entre a Velha e Rascão termina num pedido de casamento. Perante a urgência da Velha em realizar o casamento, Rascão acaba por fugir. 
Gil Vicente serve-se posteriormente do Vilão para criticar a má aplicação da justiça e a corrupção na corte. O auto acaba com o elogio ao dono da casa (dança do pastor e das três pastoras), característico do teatro feito por encomenda

Encenação: José Russo
Música Original: Carlos Marecos
Cenografia e Figurinos: Inês de Carvalho, assistida por Luisa Miranda
Desenho de Luz: António Rebocho
Interpretação: Álvaro Corte Real, Ana Meira, Figueira Cid, Isabel Bilou, Jorge Baião, Maria Marrafa, Rui Nuno

15 a 30 de Abril:
Espectáculos nas Escolas de Évora e do Distrito



domingo, 12 de abril de 2009

Nos Paços do Concelho de Évora Assinado Protocolo de Geminação entre Rotários de Évora e de Chartres

O Rotary Clube de Chartres Deux Vallées (França) e o Rotary Clube de Évora (Portugal), assinaram no passado dia 21 Março um protocolo de geminação no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Évora, tendo como anfitrião o Presidente da Autarquia, José Ernesto d’ Oliveira.

Este protocolo assinala o dia da geminação entre os dois clubes, tendo ambos os Presidentes dos Rotários, Eric Toudy e Nuno Canas Mendes, sublinhado “a mesma vontade de bem servir os que mais precisam da nossa ajuda, de estabelecer laços de amizade entre os membros dos nossos dois clubes e em conjunto contribuirmos para o futuro e boa vontade dos nossos povos”.

A geminação visa também desenvolver “intercâmbios culturais e educativos, projectos comuns e acções a nível local e internacional no âmbito do Rotary Internacional”.

Nas intervenções de ambos os representantes máximos dos clubes rotários, foi salientada a importância de prosseguir a geminação que já une Chartres e Évora, bem como a vontade de construir juntos, nomeadamente aprofundando os vínculos de amizade, compreensão e participação.

O Presidente da Câmara Municipal de Évora deu as boas vindas aos visitantes e falou também das excelentes relações que unem Évora e Chartres fruto da geminação ocorrida e fortalecida mutuamente através das mais diversas dinâmicas.

Relembrou várias e significativas acções já concretizadas no plano cultural, económico e desportivo, considerando que este “é um grande dia” com a assinatura do referido protocolo entre os rotários das duas cidades, manifestando também a satisfação pela vinda desta delegação a Évora.

No final do encontro, seguiu-se uma troça de presentes entre todas as entidades envolvidas, tendo da parte da tarde tido lugar uma visita guiada pelos locais mais emblemáticos da cidade. O dia de domingo foi dedicado à visita à Barragem de Alqueva e à vila de Monsaraz.

sábado, 11 de abril de 2009

Palácio de Dom Manuel após o fogo de 1916


Autor - José Monteiro Serra
Data Fotografia - 1916
Legenda - Palácio de Dom Manuel após o fogo de 1916
Cota GPE444 - Propriedade Grupo Pró-Évora

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Espectáculo de fantoches “João e o Pé de Feijão”

Espectáculo de fantoches seguido de oficina.
“João e o Pé de Feijão”
Convento dos remédios
Sábado, 11.04.09, 16.00H

João e o Pé de Feijão, Conta a história de um menino muito pobre, que vivia com a mãe e que, certo dia, decidiu vender a sua vaca em troca de feijões. “Planta estes feijões que são mágicos!” – Disse-lhe o senhor...
Espectáculo de fantoches, concebido e encenado pelas alunas do Curso de Educação de Infância, da Universidade de Évora: Carina Camarro, Lénia Caravelinha, Sílvia Valente e Telma Cecília. 
Inserido no projecto Sons e Letras, este conto permite uma abordagem diferente ao conceito de tempo.

Iniciativa inserida na programação bimestral da dinamização das exposições “À descoberta da Sombra” e “Ebora Megalitica”

quinta-feira, 9 de abril de 2009

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Évora: Cavaco Silva inicia roteiro na universidade

O Presidente da República, Cavaco Silva, vai iniciar no próximo dia 15, na Universidade de Évora, o quinto Roteiro para a Ciência, dedicado à matemática. No programa, está prevista uma visita aos observatórios do Centro de Geofísica de Évora e a apresentação de áreas de aplicação da matemática por investigadores da academia, onde o tema “Avaliação dos Riscos Naturais, Sociais ou Financeiros” será desenvolvido.

Câmara Promove Inclusão



Já em curso o projecto “Inclusão em Movimento”, destinado às pessoas portadoras de deficiência, que promove a sua inclusão e a igualdade de oportunidades no acesso a actividades de carácter desportivo, social.

A Câmara Municipal de Évora tem em curso o projecto “Inclusão em Movimento” que, em sintonia com uma série de parceiros locais, tanto da área da deficiência, bem como da área desportiva, procura promover a inclusão e a igualdade de oportunidades no acesso a actividades de carácter desportivo, social e cultural, facilitadoras da promoção da saúde e do bem-estar físico, psíquico e social da comunidade eborense, independentemente das diferenças e potencialidades de cada um.

Destinado a todos os utentes das associações de deficientes de Évora este projecto, que tem cerca de uma centena de participantes, visa ainda potenciar práticas desportivas junto da comunidade local, alargando desportos tradicionalmente associados a determinados grupos de população, a outros que também dai possam retirar bem-estar e sentimentos de pertença.

Genericamente, o programa está dividido em duas grandes áreas: as actividades regulares (1x por semana), com a realização de acções direccionadas para os utentes, tais como danças tradicionais e Mini-Ténis, com a colaboração respectivamente da PédeXumbo e o Clube de Ténis de Évora; as actividades pontuais com o objectivo de promover a Inclusão, dinamizando actividades desportivas e de animação nas Escolas do Concelho.

O projecto teve a sua apresentação na semana da solidariedade em 2007, iniciando as suas actividades em 2008. Agora e dando continuidade ao trabalho desenvolvido no ano transacto, todas as instituições já iniciaram as sua actividades, estando os seus utentes, neste momento, a participar nas mais diversas iniciativas, com a realização de sessões de dança e mini-ténis, perspectivando-se para os meses de Março e Abril a realização de iniciativas de inclusão em parceria com as escolas do Concelho.

São parceiros da Câmara Municipal de Évora no projecto “Inclusão em Movimento” a Cercidiana; a Associação Paralisia Cerebral Évora – APCE; Associação de Reabilitação Apoio e Solidariedade Social - ARASS; Associação de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental - APPACDM; Associação Social e Cultural Terapêutica de Évora – ASCTEA; Associação PédeXumbo; Clube Ténis de Évora e Juventude Sport Clube.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Rota de Sabores Tradicionais decorre entre Janeiro e Abril

A sexta edição da Rota de Sabores Tradicionais decorre entre Janeiro e Abril, em 39 restaurantes e uma pastelaria da cidade de Évora e do concelho. À semelhança do que tem sucedido em anos anteriores, cada mês aborda um tema diferente. Janeiro é o mês da caça, Fevereiro o do porco, Março o das sopas e Abril o do borrego. Os doces acompanham o evento ao longo dos quatro meses. 

A Choupana é um dos restaurantes que aderiu a esta iniciativa municipal, cujo principal objectivo é a valorização da gastronomia alentejana. 

Na opinião de Joaquim Fialho, gerente do restaurante A Choupana, "esta é uma boa iniciativa da Câmara Municipal de Évora, que atrai mais clientes para os restaurantes". 

Refere também que a Rota de Sabores Tradicionais "divulga-nos muito mais a nível regional, nacional e até no estrangeiro. Aparecem muitos estrangeiros com o folheto à procura dos pratos de cada mês".

Este restaurante participa na iniciativa desde a sua primeira edição e, de acordo com Joaquim Fialho, "de ano para ano vai-se notando que tem mais procura". A "divulgação" é um dos principais objectivos que o levam a aderir, caracterizando o certame como "positivo".

Durante o mês de Março, as sopas são as ‘rainhas’ na Rota de Sabores Tradicionais. O restaurante A Choupana participa com a Sopa de Tomate à Alentejana, a Sopa de Cação e a Açorda à Alentejana com Bacalhau e Ovos. "Embora, existam muitas outras sopas, em 2009 participamos com estas", explica o gerente.

A ementa deste restaurante assenta, essencialmente, nos pratos regionais do Alentejo. Como exemplo de outras iguarias apresentadas durante a Rota temos Miminhos de Javali na Grelha, Carne de Porco à Alentejana, Borrego Assado no Forno, Costeletas de Borrego Grelhadas, Pastéis de Toucinho ou Encharcada.

Um das mensagens que Joaquim Fialho deixou foi para "os clientes procurarem mais os pratos regionais e tradicionais do Alentejo", realçando a "boa qualidade da comida que existe na região".

O restaurante A Choupana está situado no centro histórico de Évora, mais precisamente na Rua dos Mercadores, 16 e 20. Telefone 266 704 427. 

segunda-feira, 6 de abril de 2009

VII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE GEOCIÊNCIAS

VII Encontro Nacional de Estudantes de Geociências

3 a 7 de Abril de 2009, na Universidade de Évora.

Organização: GEOUE - Núcleo de Geologia da Universidade de Évora e Departamento de Geociências da Universidade de Évora em parceria com o Laboratório de Investigação de Rochas Industriais e Ornamentais de Universidade de Évora

Informações e Contactos:

GEOUE - Núcleo de Geologia da Universidade de Évora

Departamento de Geociências da Universidade de Évora

Rua Romão Ramalho, nº 59, 7000-671 Évora

Email: geoue@hotmail.com

www.geoue.uevora.pt

Local: Universidade de Évora 

domingo, 5 de abril de 2009

XIII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE BIOLOGIA

XIII ENEB - 13º Encontro Nacional de Estudantes de Biologia

4 a 7 de Abril de 2009, na Universidade de Évora.

Programa

Organização: Conselho de Estudantes de Biologia de Évora, com o apoio da AneBIO, Associação Nacional de Estudantes de Biologia

Informações, Inscrições e Contactos:

www.xiiieneb.org

Email: xiiieneb@gmail.com

Local: Ver Programa | Universidade de Évora 

sábado, 4 de abril de 2009

Évora: Nova sala de cinema abriu em pleno centro histórico

As duas únicas salas de cinema comercial de Évora fecharam no final no mês passado, devido ao encerramento do centro comercial, mas o autarca local garante que "a projecção de filmes não será interrompida".
"Foi encontrada como alternativa temporária a utilização do auditório Soror Mariana, fruto de uma parceria com a Sociedade Joaquim António de Aguiar e a Universidade de Évora", disse o presidente do município, José Ernesto Oliveira.
As salas de cinema de Évora, geridas pela Zon Lusomundo, estão integradas no centro comercial Eborim, que vai entrar em obras ainda este ano para acolher o Comando Distrital da PSP de Évora.
O encerramento do centro comercial estava inicialmente previsto para Fevereiro, mas foi adiado para o final de Março para permitir a conclusão das obras de adaptação no auditório Soror Mariana.
O espaço, com cerca de 100 lugares, "já entrou em obras de adaptação", adiantou José Ernesto Oliveira, esperando que a intervenção esteja concluída "no dia 31 de Março para que no dia seguinte se possa dar início à projecção de filmes".
Considerando o cinema "um veículo de promoção cultural importantíssimo", o autarca alentejano afirmou que, apesar de provisória, esta solução "vem cumprir o objectivo que é a não interrupção da projecção de cinema em Évora".
"Vai ser mudado o piso e construída uma casa de banho para deficientes", indicou José Ernesto Oliveira, explicando que "há regras de segurança que têm de ser cumpridas", como a colocação de portas anti-pânico e uma pintura resistente ao fogo.
De acordo com autarca, a Zon Lusomundo, que vai continuar a explorar o cinema comercial em Évora, pretende instalar um equipamento "de grande qualidade e inovação, que permite a projecção de cinema em três dimensões".
Esta solução provisória, segundo José Ernesto Oliveira, vai funcionar até à construção de um novo centro comercial, que está previsto para a zona das Portas de Avis, na periferia da cidade.
"Em 2010 estarão reunidas as condições para termos cinema em salas próprias e adequadas no novo centro comercial", garantiu o autarca, lembrando que a sua construção "está dependente da aprovação do Plano de Pormenor dos Leões".
O Auditório Soror Mariana, em pleno centro histórico, costuma apresentar, sobretudo, sessões temáticas de cinema, sendo que, actualmente, a programação é definida pelo cineclube da Universidade de Évora e pelo núcleo de cinema da Sociedade Joaquim António de Aguiar.

Dia 5 de Abril na Arena d’Évora Concerto Promenade “O Quebra-Nozes”, de Tchaikovsky

“O Quebra-Nozes”, do compositor russo Piotr llyich Tchaikovsky (1840-1893), é a próxima obra a ser interpretada pela Orquestra do Algarve no Ciclo de Concertos Promenade, espectáculo que tem lugar este domingo, 5 de Abril, pelas 17 horas, na Arena d’Évora.

“Casse-Noisette”, o terceiro e o último ballet de Tchaikovsky’s, estreou-se em São Petersburgo ao longo do mês de Dezembro de 1892. Tendo como base a adaptação de Alexander Dumas de uma história de E.T.A. Hoffman, o cenário não emocionou Tchaikovsky tanto quanto as suas duas histórias românticas anteriores. No Ocidente, este ballet tornou-se possivelmente um dos mais populares, levado à cena principalmente na época natalícia.

Os Concertos Promenade são uma organização da Câmara Municipal de Évora, com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos, e são direccionados para crianças e adultos, procurando estimular o conhecimento eJustificar completamente o gosto pela música erudita em novos públicos, através da interpretação ao vivo de algumas das mais importantes composições da música clássica.

Esta é a 2ª edição do Ciclo Concerto Promenade em Évora, sendo o espectáculo “O Quebra-Nozes” o 4º desta série. No dia 3 de Maio o programa deste ciclo completa-se com a interpretação da obra “Quadros de uma Exposição”, do compositor Modest Petrovich Mussorgsky (1839–1881).

Os ingressos têm o preço único de 5 euros, as crianças até aos 12 anos têm entrada livre (mediante o levantamento de bilhete). Os jovens até aos 25 anos e os maiores de 65 anos têm um desconto de 50%. As informações e reservas podem ser efectuadas pelo telefone 266 743 133 e os bilhetes estão à venda nos quiosques e tabacarias habituais.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Orfeão Universitário do Porto actua na Arena d’Évora

O Orfeão Universitário do Porto encontra-se a realizar uma digressão neste período da Páscoa, e uma das paragens para as suas actuações será na Arena d’Évora, no próximo Sábado, 4 de Abril, pelas 21:30, num concerto de entrada livre, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Évora.

O Orfeão Universitário do Porto foi fundado em 6 de Março de 1912, cerca de um ano após a criação da Universidade do Porto, por um grupo de Estudantes entusiastas, conscientes da necessidade de completar a acção formativa que deve ter uma Universidade.

O Orfeão apresentou, em 1937, o primeiro coral universitário com naipes femininos no seu elenco. Nos anos 40 passa a contar com outros momentos no espectáculo, dedicados a diversos entreactos, como o fado, tangos e rábulas humorísticas. Curiosamente, pela primeira vez, as raparigas universitárias envergaram o actual traje académico, que foi posteriormente adoptado noutras universidades. Entretanto surge também o Grupo de Bailados Regionais, dedicando-se a partir dessa data um maior interesse à divulgação do folclore nacional.

Regularmente, o orfeão efectua recolhas etnográficas em diversas regiões do nosso país com o intuito de melhorar e aprofundar o repertório e a qualidade de cada grupo. A sua acção cultural tem sido reconhecida pelas autoridades, que distinguiram a instituição com a Medalha de Ouro de Mérito Artístico da Cidade do Porto e com o grau de Comendador da Ordem de Instrução Pública, Comendador da Ordem da Benemerência e Pessoa Colectiva de Utilidade Pública.

Actualmente o Orfeão é constituído por cerca de 200 estudantes das várias faculdades da Universidade do Porto, que trabalham activamente nos 14 grupos que o constituem e se aglomeram sob três grandes vertentes: a Coral (Coro Clássico, Coro Popular Madrigalistas, Fado de Lisboa e Orquestra Ligeira), a Etnográfica (Cantares de Maçadeiras, Cantares Alentejanos, Danças de Douro Litoral, Danças de Minho, Danças dos Açores, Danças da Madeira e Danças de Pauliteiros de Miranda) e a Académica (Fado Académico, Jograis, Tuna Feminina, Tuna Universitária).

O Orfeão Universitário do Porto tem sido um veículo privilegiado da música coral e da cultura portuguesa, tanto no nosso país como no estrangeiro. Esta instituição tem levado a cultura portuguesa a inúmeros países, como: Estados Unidos da América, Brasil, Venezuela, Angola, Moçambique, Cabo Verde, África do Sul, França, Itália, Grécia, Inglaterra, Alemanha, Polónia, Suíça, Holanda, China, Hong-Kong, Índia, Macau, Malásia e Tailândia, entre outros.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Sessão de lançamento do Plano de Qualificação para o Sector Aeronáutico

O sector aeronáutico é considerado mundialmente como uma indústria de elevado interesse estratégico pela indução de um conjunto de mais-valias tecnológicas e de cultura industrial. Nesta medida e no âmbito da Política Industrial Nacional, pretende-se a criação e consolidação de um cluster aeronáutico em Portugal. 
Com este objectivo, teve lugar no dia 24 de Março, na AICEP em Lisboa, a sessão de lançamento do Plano de Qualificação para o Sector Aeronáutico, tendo em vista a qualificação de empresas nacionais como fornecedoras da indústria aeronáutica mundial.
A sessão será aberta por Basílio Horta, presidente da aicep Portugal Global, que exporá a Missão da Agência. Terá como oradores convidados, Pablo Perez-IIIana, representante da Comissão Europeia (DG for Research / Aeronautics), que apresentará as oportunidades das PME na Indústria Aeronáutica Europeia e Luiz Fernando Fuchs, presidente da Embraer Aviation Europe, que falará sobre a presença da EMBRAER em Portugal no quadro da sua estratégia europeia. 
No contexto desta sessão é apresentada a “Estratégia de Sensibilização e Qualificação para o Sector Aeronáutico na área de Engineering and Tooling” decorrendo o primeiro workshop denominado “Oportunidades das PME no Quadro de Desenvolvimento da Indústria Aeronáutica Europeia”.
A Associação Pool-Net e a AICEP irão dinamizar ao longo dos próximos meses mais seis workshops, envolvendo reconhecidos especialistas internacionais ligados ao sector aeronáutico, a realizar em diferentes locais.
Enquadrados num esforço concertado entre entidades que visa o desenvolvimento de uma política que suporte o reforço da participação das empresas Portuguesas de no sector aeronáutico, a “Estratégia de Sensibilização e Qualificação para o Sector Aeronáutico na área de Engineering and Tooling” - visa dotar os gestores de um conhecimento mais profundo dessa indústria e, numa segunda fase, de competências específicas que lhes permitam o alinhamento das suas estratégias internas de desenvolvimento, com a estratégia colectiva de criação de um cluster em Portugal fornecedor do sector aeronáutico mundial.
Serão igualmente oradores: Francisco Madelino, Presidente do IEFP, José Ernesto de Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Évora, Joaquim Menezes, Vice-presidente da Direcção da Associação Pool.Net e Rui Marcelino, Presidente do Conselho de Administração do PEMAS. 

Sendo um sector em crescimento, a indústria aeronáutica é reconhecida pelo seu elevado investimento no desenvolvimento tecnológico e pela disseminação deste conhecimento e práticas de excelência junto de outros sectores industriais, alavancando toda uma cadeia de valor. Com um significativo efeito de arrastamento, a montante e a jusante, principalmente em PME e criação de postos de trabalho directos e indirectos altamente qualificados, esta indústria tem impactos a nível micro e macro-económico, transversais a toda uma economia.
As unidades de produção de componentes e de montagem de aeroestruturas que surgiram em Portugal nos últimos cinco anos e a necessidade de diminuição da exposição do tecido industrial nacional ao sector automóvel, culminaram no desenvolvimento de um Plano de Qualificação para o Sector Aeronáutico.

Com um carácter dinâmico e evolutivo, este Plano envolve desde já um conjunto de iniciativas públicas e privadas com vista à criação de infra-estruturas de suporte e atenuação de Custos de Contexto, que apoiem na criação de um verdadeiro cluster aeronáutico em Portugal.

No âmbito da missão da AICEP de promoção do aumento da competitividade e notoriedade de Portugal, através da dinamização de investimento estruturante, a Agência constitui-se como um verdadeiro parceiro de negócios, estando empenhada em desenvolver um ambiente de negócios competitivo que contribua para a globalização da economia portuguesa.

-

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Teatro - Dias Felizes de Samuel Beckett

DIAS FELIZES é um maravilhoso poema de amor, o canto de uma mulher que ainda quer ouvir e ver o homem que ama."
Winnie é uma personagem que cria o seu presente a partir de fragmentos de uma existência anterior. Está a afundar-se na terra. No Acto I está enterrada até à cintura, e passa o tempo entre a campainha que toca para acordar e a que toca para dormir tentando envolver Willie – o seu companheiro – na conversa, evocando memórias de uma vida anterior, em que a mobilidade era possível, contando histórias a si própria e remexendo nos seus objectos dentro do saco. O seu conflito interior reside no facto de o seu interlocutor lhe poder falhar e ter que passar a falar sozinha, coisa que não poderá suportar. 
Na condição em que se encontra, é absolutamente necessário que encontre forma de passar o tempo “à moda antiga”, de forma a minimizar as adversidades que enfrenta, dia após dia. Assim, não pode parar de falar, para se obrigar a não pensar no que a atormenta, como não pode prescindir dos seus objectos, recordações palpáveis do que ela já foi e pode (enquanto os puder usar) continuar a ser, vivendo assim um “dia feliz” de cada vez.

Encenação: Júlio Castronuovo
Assistente de Encenação: Maria Marrafa
Cenografia: Carlos Barreira
Figurinos: Inês de Carvalho
Iluminação: António Rebocho
Interpretação: Isabel Bilou e Rui Nuno

Estreia: 2 de Abril
Em cena até dia 12 de Abril
Quarta a Sábado às 21h30
Domingos às 16h00
Teatro Garcia de Resende
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...