terça-feira, 30 de junho de 2009

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Tourada - 29 Junho 2009 - Tradicional Corrida de S. Pedro

Cavaleiros:
Joaquim Bastinhas
António Telles
Rui Salvador
Bastinhas Junior

Cavaleiros Praticantes:
Tiago Carreiras
Salgueiro da Costa

Forcados Amadores de Évora:
Tradicionais e Antigos

6 Toiros Murteira Grave

domingo, 28 de junho de 2009

sábado, 27 de junho de 2009

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Como chegar a Évora...


Évora é a capital do Alto Alentejo e encontra-se limitada, a norte, pelo distrito de Santarém e pelo distrito de Portalegre, a leste pela Espanha, a sul pelo distrito de Beja e a oeste pelo distrito de Setúbal.
O Distrito de Évora ocupa uma área de cerca de 7400 Km2, a segunda maior extensão distrital do país, sendo que o concelho de Évora é responsável pela ocupação de quase 20% dessa área.

De Lisboa - 135 Km (1h15m de duração média da viagem)
Em função da sua posição geográfica dentro da cidade de Lisboa, poderá optar pela Ponte 25 de Abril (A2) ou Ponte Vasco da Gama (A12). Se optar por esta última, após cerca de 40 Kms percorridos, terá que mudar para a A2 (não seguindo em direcção a Setúbal). Um pouco mais à frente (20 Km) terá que abandonar a A2 e seguir pela A6 em direcção a Évora. Após 59 Kms percorridos na A6 deverá sair na indicação para Évora e seguir mais 12 Kms pela N114 até chegar à cidade.

De Espanha (Badajoz) - 100 Km (1h de duração média da viagem)
O percurso é extremamente simples. Basta seguir pela A6 durante 83 Kms após a fronteira.
Na indicação para Évora deve abandonar a Auto-Estrada e fazer os restantes 10 Kms na N18.

Do Norte (Porto) - 375 Km (4h de duração média da viagem)
Com a abertura da A13, ligação entre Almeirim e o nó da A2/A6 na Marateca, deixou de ser necessária a passagem por Lisboa para que se faça a viagem do norte do país até Évora sempre em auto-estrada. Com efeito, na saída da A1 de Santarém deverá seguir para o IC10 e, posteriormente, perto de Almeirim, para a A13. No nó da Marateca deve virar para a A6 em direcção a Évora.
Um caminho um pouco mais curto (mas mais moroso) passa por tomar a EN114 à saída do IC10 e seguir sempre na Estrada Nacional.

Do Algarve (Faro) - 225 Km (2h30m de duração média da viagem)
Terá que apanhar a ligação entre a Via do Infante (A22) e a A2 em direcção a Lisboa. Na A2, perto de Ourique, deverá tomar o desvio para o IP2/N18 em direcção a Beja e seguir nessa estrada até Évora.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Imagens da Feira de S.João 2009



Imagens da Feira de S.João 2009





Promoção da Feira de S.João 2009





Promoção da Feira de S.João 2009





terça-feira, 23 de junho de 2009

Promoção da Feira de S.João 2009

v>

SOBRE A HISTÓRIA...

ÉVORA, cidade histórica no coração do Alentejo, é herdeira de um rico e variado património cultural, construído e preservado ao longo do tempo.

Fundada pelo povo romano e por este denominada Ebora Liberalitas Iulia, a cidade foi a praça-forte que alicerçou, no Além-Tejo, a formação do novo reino de Portugal durante a Reconquista cristã peninsular do séc. XII.
Após a consolidação das fronteiras com Castela, vários reis aqui fixaram a sua corte, particularmente na período das descobertas marítimas, época em que, orgulhosamente, exibiam títulos e senhorios de terras tão distantes como a Guiné, Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia.

O património histórico e artístico que hoje se preserva na cidade resultou em boa medida dessa longa permanência da monarquia portuguesa. O conjunto monumental que esses tempos aureos legaram à cidade, em harmonia com o tecido urbano de cariz popular, estão na base da classificação de Évora como Património Cultural da Humanidade, desde 1986.

Além deste património único no país, a região em torno de Évora tem muito mais para oferecer ao visitante. É o caso da singular paisagem arqueológica megalítica, uma das mais antigas e monumentais da Europa, perfeitamente integrada na paisagem rural envolvente, de que o recinto megalítico dos Almendres é o expoente máximo.

Seja no entretecido das ruas medievais, na exuberância de palácios, mosteiros e igrejas, nos espaços de convívio e de desgustação dos requintados paladares da cozinha tradicional, Évora esconde o encanto próprio das cidades antigas. Mas sobre essa matriz histórica ela reassume-se, novamente, como pólo de desenvolvimento regional face aos grandes desafios do futuro através da criação de grandes equipamentos, da aposta na qualificação de produtos e serviços de excelência na área do Turismo, da intensa oferta cultural, a par da criação de infraestruturas urbanas que dão prioridade ao bem estar dos seus habitantes.

Por todas estas razões o turista e visitante encontrará em Évora um excepcional património cultural, coexistindo, em harmonia, com os melhores padrões de qualidade de vida do país. Motivos sobejos para não deixar de a conhecer e descobrir … e, seguramente, desejar voltar.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Programação Cultural da Feira de S.João 2009

A destacar na programação cultural:


De 18 a 20 de Junho
Arena d'Évora

SARA TAVARES DAZKARIEH
RADIH A.KHALIL & RICARDO RIBEIRO
A BARCA KEPA JUNKERA LEILÍA


Para mais informações:

programa (pdf)

www.tocardeouvido.com
É favor consultar a página web para mais informações sobre a bilhética do Festival.


LUÍS REPRESAS

23 de Junho
Arena d'Évora
Luís Represas




Bilhetes:
€20 - plateia
€15 - bancada nível 1
€10 - bancada nível 2


NOITE EXTREMENHA

24 Junho
Arena d'Évora

Grupo Folclórico de Valdefuentes LA LONJA
Grupo Floclórico ZANJAENA de Cáceres
Grupo Folclórico “FLOR DO ALTO ALENTEJO de Évora


Bilhetes:
€5 preço único


MARCO PAULO

25 de Junho
Arena d'Évora






Bilhetes:
€10, preço único


FERRO GAITA & TITINA (Cabo Verde)

27 Junho
Arena d'Évora






Bilhetes:
€5 preço único


E ainda na Arena d'Évora...

SONS DA ESCOLA

21 Junho
CANTIGAS DA RUA
(c/ apresentação de José Carlos Malato)
26 Junho

Bilhetes:
€5 preço único


Início dos espectáculos às 22h00.
Bilhetes à venda:
- Bilheteira da Arena d'Évora, das 16h00 às 22h00 em dias de espectáculo
- Tabacarias Central, Paris, Parque, Rico, Arcada

O TURISMO MUNICIPAL EM NÚMEROS

- Desde 1968 o Posto de Turismo Municipal efectua diariamente o registo de afluência turística. Ao longo de 40 anos de funcionamento foram registados mais de quatro milhões e meio de visitantes (4.633.826).

- O ano de 1999 foi o que registou o maior índice de afluência com um total de 448.508 visitantes; 1976 foi o ano em que se verificou o menor registo com um total de 9.613 visitantes.

- No ano de 2008 foram registadas 1.218 visitas a Évora de grupos organizados a que correspondeu um total de 34.877 visitantes.

- Neste mesmo ano, o Posto de Turismo Municipal realizou através dos seus serviços 84 visitas guiadas a entidades públicas, boa parte das quais a instituições educativas.

- Ainda em 2008, foram registados 140.500 visitantes, tendo o mês Agosto registado cerca de 18% desse valor (25.180).

- No concelho estão actualmente a funcionar 31 unidades de alojamento, de 7 tipologias diferentes, a que corresponde uma oferta instalada de 1.949 camas.

domingo, 21 de junho de 2009

Arena d’Évora encheu no arranque da candidatura autárquica do PS em Évora

A moldura humana que esgotou o recinto do pavilhão multiuso da Arena d’Évora "foi uma prova inequívoca da vitalidade e da credibilidade da candidatura liderada por José Ernesto Oliveira e por Capoulas Santos, bem como por todos os cabeças de lista às freguesias". Foi deste modo que foi feito o arranque da candidatura autárquica do Partido Socialista ao concelho de Évora, num jantar que reuniu cerca de 1500 pessoas que decidiram mostrar o apoio a este projecto.

Manifestamente emocionado, o candidato à Câmara Municipal de Évora, José Ernesto Oliveira declarou ter sido "mais um grande dia", porque, em seu entender, "quando se está na vida por convicções, por projectos e quando nos movimentamos em função dos ideais, felizmente temos muitos grandes dias". No entanto, este teve particular significado por "juntar todos aqueles que acreditam em nós e que como tal querem meter as mãos a esta obra imensa que é dar continuidade a um plano que está em execução no nosso concelho desde há oito anos".
José Ernesto Oliveira afirmou "estarem dadas todas as provas" de que o PS tem condições e capacidade para transformar Évora "na tal cidade de excelência que a prazo estamos a construir". "Esta confiança, determinação, segurança, sem arrogância, conversando e ouvindo todos, leva-nos a encarar o futuro com muita esperança", frisou, ressalvando saber de antemão que tem uma batalha complicada, "mas que temos condições para a poder vencer".
"Todos por Évora"
O candidato à autarquia afirmou que irá assentar a sua candidatura em várias ideias-chave, colocadas em telas gigantes em torno do recinto, que "têm norteado o nosso trabalho e que vão nortear a nossa campanha por entendermos que não temos razões para as alterar da orientação que traçámos desde há oito anos atrás".
José Ernesto Oliveira assegurou que as ideias visam fazer uma cidade que "afirme a sua qualidade através do património, que tenha desenvolvimento, que crie emprego, uma cidade de solidariedade, que a qualidade de vida e o progresso sejam preocupações constantes, onde o ambiente e a saúde sejam bons, em que a cultura, a democracia e a educação contribuam para uma sociedade melhor, por último, uma palavra que eu julgo que deve caracterizar o nosso trabalho – confiança".
Em seu entender, deve ser com uma atitude de humildade democrática, sem se considerarem superiores a ninguém, que os socialistas devem trabalhar com confiança e serenidade para o desenvolvimento do concelho de Évora, "estando abertos a todos aqueles que queiram trabalhar pelo bem de Évora, pelo desenvolvimento de Évora, pois é isso que diz o nosso painel central: ‘Todos por Évora’".
Todos que, na sua opinião, já entenderam a mensagem, sendo a "prova disso, o jantar de hoje, que julgo que é a primeira grande manifestação pública em torno de um projecto com objectivo e isto enche-me de alegria e de satisfação". José Ernesto Oliveira salientou que olhando à nossa volta via-se pessoas jovens, de mais idade, "gente bem situada na vida, gente trabalhadora, intelectuais, técnicos e quadros superiores, operários, homens e mulheres, uma amostra bem significativa do que é este concelho e do que querem para ele".
O candidato socialista salientou ainda que "este é o reconhecimento da população que sabe que ninguém fez por Évora aquilo que nós fizemos em tão pouco tempo, a todos os níveis, no ambiente, na saúde, na educação, no desporto, na cultura, na defesa do património, entre muitas outras coisas", tendo sublinhado a importância de fazer uma política "com verdade, olhos nos olhos, falando sério". No entanto, sustentou que a gestão socialista não ignorou as dificuldades e o que gostaria mais de ter feito, "mas aquilo que fizemos enche-nos de orgulho e de satisfação".
Por "saber reconhecer os problemas, mas também por termos soluções para eles, temos razões mais do que suficientes para termos confiança no futuro", reiterou, elogiando ainda todos que estão consigo neste caminho, "uma equipa coesa, gente amiga, gente que está aqui não para tirar qualquer benefício da política, mas gente que está aqui disposta a servir quer ao nível das assembleias de freguesia, das juntas de freguesia, da assembleia municipal e da câmara municipal. Gente honesta, séria e trabalhadora para bem de Évora".
Não desvendando, contudo, a equipa de vereadores, José Ernesto Oliveira disse ser evidente que haja já ideias que começam a estar consubstanciadas, "mas vai haver alguma renovação, tem que haver sempre", anunciou, acrescentando querer procurar os melhores e que tenham uma disponibilidade total para trabalhar pelo bem-estar das pessoas e pelo desenvolvimento e progresso do nosso concelho".
"Renovação da confiança sucederá"
Sob este lema, o cabeça de lista à Assembleia Municipal, Capoulas Santos disse haver bons indícios de um forte apoio à candidatura do PS ao município de Évora, deixando-o isso "particularmente satisfeito". Na sua opinião, "a renovação da confiança no PS sucederá" é resultante do trabalho desenvolvido ao longo destes dois mandatos, "num contexto particularmente difícil, com uma situação financeira complexa herdada da CDU a que se juntou o pior período económico da democracia portuguesa".
No entanto, a seu ver, "José Ernesto fez obra, lançou infra-estruturas, teve um papel fundamental na habitação social porque gostava de lembrar que durante 25 anos em que a CDU esteve à frente da autarquia não foi entregue nenhuma habitação social". Portanto, o candidato disse pensar que "o trabalho desenvolvido com serenidade de saneamento das finanças públicas, de lançamento de obras que permitem criar emprego, como vai ser o caso da Embraer e do futuro hospital, deve deixar o PS tranquilo".
Contudo, relembrou que em democracia nunca existem vitórias antecipadas e "o supremo juízo é sempre o dos eleitores no dia da votação". Como tal, defendeu ser preciso que essa mensagem seja bem transmitida para que os leitores a compreendam "e se assim for, estou certo que a renovação da confiança sucederá, mas é preciso trabalhar muito até ao dia das eleições porque em democracia nunca há vencedores antecipados".
Mandatários Séniores:
João Cutileiro
Ana Beatriz Cardoso

Mandatários para a Juventude:
Rita Martins
Ricardo Melro

Presidente da Comissão de Honra
João Alves Pimenta

Cabeças de lista às Juntas de Freguesia
Candidatos que se mantém:
S. Sebastião da Giesteira - António Maduro
Boa-Fé - Luís Matias
Santo Antão - António Ramos
Sé e S. Pedro - Jorge Gil
Horta das Figueiras - Baltazar Damas
São Bento do Mato - João Ricardo
São Vicente do Pigeiro - José Calado
São Miguel de Machede - Felizberto Bravo
Senhora da Saúde - Fernando Nunes
S. Manços - António Galão
Canaviais - Silvino Costa

Renovações:
Bacelo - José Pacheco
Torre dos Coelheiros - Lúcio Guerreiro
Malagueira - Jorge Raposo
Graça do Divor - Mariana Castor
Tourega - Manuel Figo
S. Mamede – Luísa Antunes Guadalupe – Mário Barbas
N. S. de Machede - José Piteira

sábado, 20 de junho de 2009

Durante a Feira de São João - Participe no concurso de Karaoke


Os prémios serão gentilmente cedidos pela Top Atlântico, sendo o 1º prémio um fim-de-semana para duas pessoas em Barcelona e o 2º e 3º prémios cheques-viagem.


O concurso, integrado na tradicional Feira de São João, realiza-se na Zona Jovem da Feira nos dias 21, 22 e 23, estando a final prevista para o dia 27 de Junho. As inscrições para participar no concurso deverão ser feitas para o e-mail cme.karaoke@hotmail.com (ou na Praça Espaço Jovem no próprio dia) tendo os candidatos que indicar o nome, idade, morada e profissão. Qualquer esclarecimento adicional deverá ser efectuado para o telemóvel: 96 288 64 74.

A produção do concurso está a cargo de David Martins e RL PRODUCOES, sendo que os mesmos irão disponibilizar os microfones, tela e projector, DVD’s de karaoke, listas e organizar os candidatos através das eliminatórias.

Mediante o numero de inscritos o concurso terá duração nos respectivos dias de 2 horas, das 22 ás 24 horas. Os prémios serão gentilmente cedidos pela Top Atlântico, sendo o 1º prémio um fim-de-semana para duas pessoas em Barcelona e o 2º e 3º prémios cheques-viagem.

A final terá a participação especial do animador David Martins, artista originário da cidade de Évora, que conta com três álbuns gravados com o grupo Reflexus, musicais nas Ilhas Canárias e participações em programas de TV, e do júri fará parte um conceituado produtor musical.

Fusão 2009 em Évora



Link: Fusão 2009 em Évora

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Começa hoje a Feira de S.João 2009



É hoje que tem início mais uma edição das Festas Populares da Cidade – Feira de S. João, no Rossio de S. Brás, em Évora, e que decorrerá até ao dia 30 sob o lema da inovação e da criatividade.

Organizada pela Câmara Municipal de Évora, juntamente com uma série de instituições públicas, privadas e agentes económicos, sociais, culturais e desportivos do concelho, a Feira de S. João é uma das mais tradicionais feiras que se realiza na região, mantendo os seus traços originais, funcionando também como ponto de encontro dos milhares de alentejanos que, por força das circunstâncias, se viram forçados a deixar a sua terra natal.

Ao longo de 12 dias toda a cidade celebra as suas festas com um programa extremamente diversificado, encontrando-se propostas para todos os gostos e idades. Os espectáculos de Luís Represas (dia 23) ou Marco Paulo (dia 25) estão naturalmente em evidência, contudo de 18 a 20 realiza-se o “Tocar de Ouvido – Festival de Música de Évora” que tráz à cidade vozes universais, de onde se destaca Sara Tavares ou Kepa junkera (País Basco), entre outros. No dia 26 de Junho destaque também para o espectáculo “Cantigas de Rua” apresentado pelo conhecido José Carlos Malato.

Tauromaquia, actividades desportivas, exposições, gastronomia e muita diversão são algumas das opções previstas nas Festas Populares da Cidade – Feira de S. João, cujo ponto alto é o dia 29, dia de S. Pedro, padroeiro da cidade, feriado municipal.

Nesta data, a Câmara Municipal homenageia cidadãos e instituições com a atribuição das medalhas da cidade, para além de que o programa prevê ainda a reabertura do Museu de Évora, após a primeira fase de obras, a inauguração do monumento de homenagem aos Dadores Benévolos de Sangue, na rotunda da Horta das Figueiras, e a tradicional Corrida de Toiros de S. Pedro, entre outras iniciativas.

Criada por alvará de D. Sebastião, a Feira de São João realizou-se pela primeira vez no dia 24 de Junho de 1569.


TOCAR DE OUVIDO

O Festival Internacional de Música de Évora «Tocar de Ouvido 2009» vai decorrer de 18 a 20 de Junho, incluindo uma forte componente de formação, sob orientação de artistas; colóquios, documentários, exposições e diversas actuações.
Dia 18 de Junho apresentam-se os Dazkarieh (Portugal) e Sara Tavares (Portugal/Cabo Verde). No dia seguinte é a vez de A Barca (Brasil), Rabih Abou Khalil e Ricardo Ribeiro (Líbano/Portugal). Dia 20 chega Leilía (Galiza) e Kepa Junkera (País Basco), segundo o divulgado em comunicado.
Artur Fernandes e Kepa Junkera vão orientar a oficina de concertina/trikitixa. Na gaita-de-foles estará Joaquim Roque e Francisco Pimenta. Felisa Segade estará a cargo da oficina de pandeireta e canto galego. Na voz, Juçara Marçal e Sandra Ximenez serão os responsáveis.
Chico Saraiva vai orientar a oficina de violão brasileiro e composição. A oficina de rabeca vai decorrer sob supervisão de Thomas Rohrer. Ari Colares será responsável pelo pandeiro e ritmos brasileiros. Marcelo Pretto orientará a percussão corporal, e Bitocas, o mixer.

Vá à feira com a linha azul

Viva o melhor da Feira sem perder tempo no trânsito!
Chegar à Feira de S. João vai ser mais fácil e rápido. Com o serviço LinhAzul Feira de S. João 2009, pode deixar o seu carro em qualquer parque periférico da cidade, e por apenas 1,00€ chegar à feira e depois regressar ao parque de estacionamento.

Percurso:
Portas do Raimundo » Av. Túlio Espanca » Terminal » ES André de Gouveia » Av. da Malagueira » R. Arrife » Av. Eng.º Eduardo Arantes de Oliveira/Est. Piscinas » Parque da estrada das Piscinas » Av. Batalha do Salado » Estrada de Arraiolos » Portas da Lagoa » Rua Cândido dos Reis » Praça Joaquim António de Aguiar » Lg. Luis de Camões » R. de Aviz » Portas de Aviz » Portas da Lagoa » Estrada de Arraiolos » Av. Batalha do Salado » Parque da estrada das Piscinas » Av. Eng.º Eduardo Arantes de Oliveira/Est. Piscinas » R. Arrife » Av. da Malagueira » ES André de Gouveia » Terminal » Av. Túlio Espanca » Portas do Raimundo.

Horários:
Sexta-feira - 19:00 às 02:00
Sábados, Domingos e Feriados - 15:00 às 02:00
Segunda a Quinta-feira - 19:00 à 01:00

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Regiões da Europa debatem sector do vinho em Évora



Vinte e nove regiões vitícolas de onze países europeus estão reunidas desde esta quinta-feira, 18, em Évora para debater temas relacionados com o sector, como a quebra no consumo do vinho, o aumento dos stocks anuais e o enoturismo.
Trata-se da 17ª sessão plenária da Assembleia-Geral da Assembleia de Regiões Vitícolas Europeias (AREV), que decorre até sábado, 20, nas instalações da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA).
No encontro, vão estar ainda em debate temas como a abertura do mercado europeu aos vinhos oriundos de países do “Novo Mundo” e a necessidade de integração e harmonização da fileira vitivinícola dos novos países aderentes.
Com esta reunião, a AREV pretende reforçar o seu papel institucional junto das instituições europeias na defesa da promoção e valorização dos vinhos e das vinhas como um produto de referência.
Segundo a organização, a vitivinicultura pode ser um elemento nobre da política regional, pois a partir dela pode promover-se o turismo, a cultura, o ambiente, o património e actividades económicas conexas, como a gastronomia e o enoturismo.
Criada em 1987, a AREV, que representa 70 regiões vitícolas da Europa, intervém junto de todas as instituições e instâncias encarregues, directa ou indirectamente, da política vitivinícola europeia ou mundial e intervém em todos os dossiers que se relacionem com o vinho.
Correio do Alentejo

Atelier “PALAVRAS A TODO O VAPOR”

Palavras a todo o Vapor” é a mais recente iniciativa d’A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas” que consiste na criação de um atelier de escrita e leitura em movimento. Nascida da parceria estabelecida entre a Câmara Municipal de Évora (CME) e os Caminhos-de-Ferro de Portugal (CP) tem como objectivo estimular e reforçar os hábitos de leitura e de escrita das crianças e alunos do concelho de Évora.

Para a concretização desta iniciativa, a Câmara Municipal de Évora instituiu o concurso de escrita e ilustração “As Diferentes Rotas Culturais no Universo das Viagens de Comboio” em que serão seleccionadas seis turmas que irão fazer o percurso entre Évora e Lisboa, acompanhadas por escritores/ilustradores nacionais. Cada um dos escritores/ilustradores supracitados ficará num compartimento do comboio e durante este percurso desenvolverá com uma turma dinâmicas e jogos de escrita e leitura.

São admitidos a concurso trabalhos originais de desenho, prosa e poesia em língua portuguesa de todos os estabelecimentos de educação e ensino da Educação Pré-Escolar, 1º e 2º ciclo, públicos e privados, do concelho de Évora, de acordo com o seguinte: Educação pré-escolar e 1º ano do 1º ciclo – desenho; Restantes níveis de ensino – Texto em prosa ou poesia. Cada estabelecimento de educação e ensino poderá concorrer, em simultâneo, a cada um dos níveis de ensino, através de um trabalho por sala/turma.

Os trabalhos deverão ser entregues até ao dia 15 de Julho de 2009, em mão (nos locais que a seguir se designam) ou pelos correios. A entrega por mão será feita na Divisão de Gestão e Equipamento de Acção Educativa/Câmara Municipal de Évora/Pátio do Salema – Edifício S. Pedro. Por correio deve ser endereçada à morada acima indicada acrescentando o código postal 7000 - 818 Évora.

A entrega deve acontecer em envelope fechado, devidamente identificado com o nome do estabelecimento de educação e ensino. No interior deverá constar um subscrito com os dados referentes à escola/jardim-de-infância a concurso, fazendo enunciar a sala/turma, docente responsável, nome dos alunos participantes, idades, contacto telefónico, e-mail e morada.

Um vencedor, um segundo e terceiro classificado serão escolhidos para cada um dos níveis de ensino/a concurso, nomeadamente: educação pré-escolar, 1º, 2º, 3º e 4º ano 1º ciclo, 5º e 6º ano do 2º ciclo. Os vencedores em cada um dos níveis de ensino irão participar na iniciativa conjunta da CME/CP “Palavras a Todo o Vapor”.

Aos segundos classificados será atribuído um prémio de 50 euros para aquisição de livros, nas livrarias parceiras do projecto educativo “A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas”; e aos terceiros classificados será atribuído um conjunto de publicações municipais.

Os desenhos e textos premiados serão publicados pela Autarquia no site do projecto educativo “A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas” em www2.cm-evora.pt/fadapalavrinha. O nome dos premiados será anunciado no dia 21 de Setembro de 2009 no Salão Nobre da Câmara Municipal de Évora e entregues os prémios aos segundos e terceiros classificados de cada nível de ensino.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Identificados importantes contextos arqueológicos no Parque da Industria Aeronáutica

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico relativos ao loteamento do Parque da Indústria Aeronáutica, obra de responsabilidade autárquica a decorrer desde o passado mês de Maio, permitiram a identificação de importantes contextos arqueológicos, actualmente em fase de escavação, grandemente enriquecedores para o conhecimento do passado histórico-cultural eborense.

Os técnicos municipais e da empresa de arqueologia, contratada pelo município, identificaram uma extensa e complexa área de necrópole, aparentemente utilizada durante o final da II Idade do Ferro (época na qual se multiplicam os contactos entre o substrato indígena e a cultura e colonos Romanos), onde se registaram, até ao momento, cerca de 80 sepulturas. Estas sepulturas consistem em estruturas negativas do tipo “fossa”, escavadas no substrato geológico, cuja profundidade oscila entre os 20 e os 120 centímetros, possivelmente servindo diversas funcionalidades.

A escavação destas estruturas funerárias, ainda a decorrer, permitiu já compreender que se tratam (nos casos escavados) de sepulturas individuais, onde eram dispostos restos de cremação, no interior de urnas em cerâmica, acompanhadas de pequenas oferendas. Com o alargamento da área onde se encontra a necrópole foi descoberta uma grande área queimada, com evidentes vestígios de cinzas, carvões e materiais carbonizados, que os arqueólogos julgam tratar-se da zona de cremação (ustrinum) daquele campo funerário. Os arqueólogos afirmam também que, aparentemente, várias sepulturas teriam sido violadas, ao longo de épocas históricas, desde o período romano até época medieval/moderna.

É de salientar ainda a, igualmente importante, identificação de um provável troço da via Romana que ligava Ebora Liberalitas Iulia (Évora) a Pax Iulia (Beja). Ainda que apenas pouco mais de 30 metros tenham sido, até ao momento, postos a descoberto, trata-se efectivamente de uma via com cerca de 3,5 metros de largura, apresentando as técnicas construtivas características dos caminhos romanos, com as bermas delimitadas por grandes blocos de pedra, dispostos em cunha, e o leito constituído por pedras mais pequenas, compactadas, faltando-lhe apenas a cobertura de lajes que pode, ou nunca ter existido, ou, mais certamente, ter desaparecido.

A continuação dos trabalhos de acompanhamento e escavação destas realidades arqueológicas, a desenvolver durante as próximas semanas por cerca de uma dezena de arqueólogos e técnicos de arqueologia, permitirá ampliar o registo e conhecimento acerca deste frágil e importante fragmento da história eborense.

A descoberta destes contextos arqueológicos não atrasa em nada as obras de loteamento do Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, uma importante infra-estrutura para o crescimento económico local e regional, uma vez que as máquinas foram deslocadas para outras frentes de trabalho. Para o Parque de Indústria Aeronáutica está prevista a instalação de duas empresas do grupo brasileiro EMBRAER.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Évora acolhe primeiros novos povoadores



A Câmara Municipal de Évora declarou publicamente esta sexta-feira a sua vontade em receber no concelho famílias que no âmbito do projecto Novos Povoadores manifestaram desejo em abandonar os grandes centros urbanos e rumar a uma cidade onde impera a qualidade.

A autarquia e a empresa detentora do projecto Novos Povoadores deram a conhecer em conferência de imprensa o protocolo que vai ser levado à próxima Reunião Pública e que define as condições e a estratégia de acolhimento das famílias. "Dentro de um mês deverão estar reunidas as condições para se começar a implementar o programa", disse o autarca de Évora.

José Ernesto D’Oliveira salientou que a prioridade para Évora, ao aderir a este projecto, é revitalizar o centro histórico da cidade. “A Câmara através da sua Sociedade de Reabilitação Urbana identificou uma série de fogos, cuja propriedade é privada, e transmitiu essa informação à empresa. Depois as famílias contactam os proprietários e decidem se as condições correspondem às expectativas. Com isto não quero dizer que a cidade não acolha famílias que prefiram ir viver para zonas rurais do concelho. Pelo contrário, estas também serão muito bem vindas", diz ainda o autarca.

Numa primeira fase, Évora deverá receber 10 novas famílias durante o Verão, das 67 inscritas no programa Novos Povoadores e que indicaram o concelho como a primeira opção para viver no futuro. “O facto de 67 famílias, com cidadãos com idades compreendidas entre o 27 e os 35 anos, manifestarem o desejo de vir morar para Évora é sinal de que a nossa cidade possui um patamar de qualidade elevado, fazendo com que todos nós tenhamos de nos empenhar ainda mais para manter este nível e esta capacidade de atracção”.

Para Frederico Lucas, um dos responsáveis pelo projecto, os “Novos Povoadores” destina-se a pessoas que preferem a “tranquilidade da província, que reconhecem o factor qualidade em valores como Tempo, Ambiente, etc…, pessoas, em suma, que privilegiam uma vida mais oxigenada!” 

“Os novos povoadores são os pioneiros que reconhecem as mais valias de uma vida mais tranquila sem prejuízo de uma postura profissional activa.
Simultaneamente, o público visado apresenta características que se enquadram no conceito de “elite”. Por elite, entenda-se pessoas com características capazes de induzir dinâmicas significativas a nível económico, artístico-cultural, e também intelectual na óptica do incremento de actividades relacionadas com I&D em contextos de disseminação de pólos de conhecimento”, disse ainda.

domingo, 14 de junho de 2009

Hospitais/Internet

Hospitais Espaços Internet
Hospital do Espírito Santo 
Endereço: Largo Senhor da Pobreza
Telefone: 266740100

Cyber Center 
Endereço: Rua de Serpa Pinto, 36 Telefone: 266746923

Hospital do Patrocínio 
Endereço: Av. Infante D. Henrique
Telefone: 266740120
I.P.J - Instituto Português da Juventude  
Endereço: Rua da República, 119   
Telefone: 266737300  
Hospital da Misericórdia 
Endereço: Av. Sanches de Miranda
Telefone: 266760630
DianaNet 
Endereço: Rua das Alcaçarias, 23 
Telefone: 266758606
Hospital Militar 
Endereço: Rua Dr. Augusto Eduardo Nunes
Telefone: 266702602
Bar A Oficina 
Endereço: Rua da Moeda, 27        
Telefone: 266707312

CTT 
Endereço: Rua da Olivença           
Telefone: 266745480
CME 
Endereço: Praça de Sertório          
Telefone: 266777000

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Distrito de Évora com mais uma cidade - Borba

A Assembleia da República aprovou hoje por unanimidade a elevação de 22 povoações a vilas e a criação de cinco cidades, numa votação que foi seguida por várias dezenas de populares, a partir das galerias do Parlamento.

As propostas tiveram origem em todas as bancadas parlamentares e foram votadas hoje depois de terem sido debatidas na Subcomissão para a Criação de Novos Municípios, Freguesias, Vilas e Cidades, no âmbito da Comissão de Poder Local, Ambiente e Ordenamento do Território.

Os projectos de lei não foram discutidos hoje em plenário, mas foram vários os deputados que anunciaram a apresentação de declarações de voto sobre a aprovação de algumas propostas. Mais longe foi o deputado socialista Vítor Baptista, que anunciou que apresentaria uma declaração de voto sobre todas as votações.

Nas galerias do Parlamento, todos os lugares estavam ocupados por dezenas cidadãos de diversas localidades que assistiam com ansiedade à votação, mas sem se manifestarem, para além de alguns braços no ar e polegares levantados em gesto de vitória.

Foram elevadas a cidade as localidades de Valença (Viana do Castelo), Senhora da Hora (Matosinhos), S. Pedro do Sul (sede do concelho), Samora Correia (Benavente) e Borba (Évora).

À categoria de vilas passaram as localidades de Castro Laboreiro (Melgaço) e Soajo (Arcos de Valdevez), ambas no distrito de Viana do Castelo, Arões de S. Romão (Fafe), no distrito de Braga, Lordelo, distrito de Vila Real, e Ancede (Baião), Guifões (Matosinhos), Vilarinho (Santo Tirso), Senhora Aparecida (Lousada) e Madalena (Vila Nova de Gaia), todas no distrito do Porto.

No distrito de Aveiro passaram à categoria de vila as povoações de Soza (Vagos) e Valongo do Vouga (Águeda), enquanto o distrito de Coimbra viu subir a vila as localidades de S. Pedro, Marinha das Ondas, Lagos e Tarazede, todas no município da Figueira da Foz.

O Parlamento aprovou também a elevação a vila das povoações de Foz do Arelho e À-dos-Francos, ambas nas Caldas da Rainha, distrito de Leiria, e Olival (Ourém), distrito de Santarém. Passaram ainda a vila as localidades de Prior Velho (Loures), Casal de Cambra (Sintra) e Montelavar (Sintra), no distrito de Lisboa, e Bensafrim (Lagos), distrito de Faro.

De acordo com a legislação, salvo "importantes razões de natureza histórica, cultural e arquitectónica", uma localidade pode ser elevada à categoria de cidade de tiver mais de oito mil eleitores e pelo menos metade dos seguintes equipamentos: instalações hospitalares, farmácias, corporação de bombeiros, casa de espectáculos e centro cultural, museus e biblioteca, instalações de hotelaria, estabelecimento de ensino preparatório e secundário, estabelecimento de ensino pré-primário e infantários, transportes públicos e parques ou jardins públicos.

Já para ser elevada a vila uma localidade tem de ter mais de 3.000 eleitores em aglomerado populacional contínuo e pelo menos metade dos seguintes estabelecimentos: posto médico, farmácia, casa do povo, dos pescadores, de espectáculos, centro cultural ou outras colectividades, agência bancária, transportes públicos colectivos, estação dos correios, estabelecimentos comerciais ou de hotelaria e uma escola pública.

Horário e Preçario dos monumentos de Évora


quinta-feira, 11 de junho de 2009

Exposição de Georges Dussaud no Palácio de D. Manuel

A Câmara Municipal de Évora, em colaboração com o Município de Lisboa, inaugura uma exposição do fotógrafo Georges Dussaud no próximo dia 12, pelas 17: 30 horas, no Palácio de D. Manuel.

Trata-se de uma mostra de cerca de 100 fotografias a preto e branco intitulada “Crónicas Portuguesas” nas quais o artista captou, desde os anos 80, de forma exímia a cultura e as gentes do nosso País, em especial no mundo rural. Alentejo, Douro e Trás-os-Montes são alguns dos locais visitados, a par com Lisboa.

Esta exposição, que estará patente no referido local até 31 de Julho, já passou também por outras cidades, entre elas Porto e Portimão, encontrando-se ainda plasmada num livro com o mesmo nome editado em Portugal. O autor é também responsável pelas publicações “Trás-os-Montes”; “Portugal e Índia”; “Portugal Terra Fria”; e “Douro de Cepas e Fragas”.

Georges Dussaud ficou famoso por reportagens internacionais feitas nos anos 70 do século XX em lugares como Índia, Cuba e Grécia. Os seus trabalhos fazem parte de inúmeras colecções no Brasil, França, Irlanda, Itália, México e Portugal, países onde expõe com regularidade.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Escultura: Projecto de museu único na Europa em Évora ameaçado

Dois coleccionadores de arte espanhóis propuseram ao Município de Évora a construção na cidade de um museu de escultura contemporânea, único na Europa, com a sua colecção mas cansados de esperar, há dois anos, por um compromisso firme, admitem desistir em Junho do local.
A Câmara Municipal de Évora, apesar de acolher a iniciativa, alega falta de verbas para, por si própria, custear a transferência da colecção e a obra, que, reconhece, beneficiaria turistica e culturalmente a cidade Património da Humanidade.
Natural de Évora, o presidente da Galp Energia, Murteira Nabo, que apoia a título pessoal tão "grande projecto para o País", salienta, por sua vez, que o estudo de viabilidade financeira do museu e de avaliação da colecção está concluído, ainda que há um mês, para que possa agora ser negociado um acordo com os proprietários das 250 esculturas.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Crise ameaça facas com fama internacional

As facas Franzina, fabricadas em Azaruja, no concelho de Évora, têm quase um século de existência e a sua fama chega além fronteiras, incluindo os Estados Unidos, mas a crise está a provocar um "corte" nas vendas.

"Há crise em tudo, tudo se vende mal e as facas não são excepção", lamenta à agência Lusa Francisco Figueiredo, de 65 anos, sócio da empresa familiar Joaquim André Silva Franzina, Herdeiros Lda.

A pequena fábrica de cutelaria, que vai na terceira geração e emprega sete pessoas - há anos ter chegou a contar com vinte e duas - faz "nascer" diariamente "cerca de 500" facas, que agora "estão a sobrar" porque "há muita falta de poder de compra".

"Até podíamos vender mais, mas se nos descuidamos não recebemos. Abalam as facas e não vem o dinheiro", desabafa Francisco.

Com cabo em madeira de oliveira e lâmina de aço inoxidável, importado da Áustria, as facas Joaquim Franzina são conhecidas em todo o país. Supermercados, drogarias e vendedores ambulantes são clientes habituais das "verdadeiras" facas corticeiras, como não se cansa de realçar o sócio da empresa, que critica as "imitações" da concorrência e recorda a origem das suas peças no sector da cortiça.

"O avô da minha mulher, André Franzina, trabalhava na cortiça e lembrou-se de aproveitar as lâminas, já gastas, com que cortava esse material para fazer umas facas de cozinha, primeiro só para gasto da casa e para os vizinhos", conta.

A fama desta cutelaria "made in" Azaruja levou a que, especialmente nos anos 80, muitas facas Franzina tenham sido exportadas para os Estados Unidos, Holanda ou Itália.

As exportações actuais destinam-se a Espanha, sobretudo para a indústria corticeira, que fornece aos trabalhadores facas para cortar uma face da cortiça, para atestar a sua qualidade depois de cozida, embora também aqui haja "mossa" nas vendas: "O sector está em crise...".

Sem férias "há uns poucos de anos", para poder "servir os clientes" em qualquer dia ou hora, Francisco aguarda agora com expectativa pelo Verão, para ver se o negócio ganha outro fôlego. "Estamos tão pessimistas, mas se chegar o fim deste Verão e despejarmos tudo, se calhar aguentamos outro ano ou mais", diz, recusando-se a aceitar que o negócio de três gerações leve a "facada" final em tempo de crise.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Academia Aeronáutica de Évora (AAE)

A Academia Aeronáutica de Évora (AAE), escola profissional de formação de pilotos realizou, ontem, no Jardim do Paço, a cerimónia de entrega de diplomas e asas aos 40 pilotos formados em 2008 e até esta data de 2009.
A directora financeira desta academia, Beatriz Filipe, sublinhou a importância do dia para estes jovens que terminaram o seu curso de piloto que teve a duração de aproximadamente 16 meses. A mesma responsável afirmou ainda que "têm sido muitos os alunos que têm passado por aqui, o que demonstra o reconhecimento que esta escola tem no panorama nacional e internacional".
Passados quase dez anos sobre a sua criação, "o balanço é muito positivo, pois conseguimos impor-nos no mercado aeronáutico pela qualidade dos cursos que desenvolvemos na academia e o exemplo disso é o facto de termos, cada vez, mais procura", frisou a dirigente. O contrato que a AAE tem com a Escola Holandesa de Pilotagem mantém-se, "o que tem feito com que a procura por parte dos jovens holandeses esteja igualmente crescer, bem como ao nível do mercado nacional", avançou ainda Beatriz Filipe.
A directora financeira, que está neste projecto desde 2001 e que tem acompanhado todos os passos desta academia, explicou que a iluminação da pista "veio trazer um ganho extremamente importante para a escola". Anteriormente, o voo nocturno tinha sempre que ser feito em Espanha ou em Bragança, "o que trazia custos acrescidos para a Academia porque quer o aluno, quer o instrutor tinham que ficar aí alojados". Neste momento, e com esta valorização do aeródromo de Évora, os alunos passaram a fazer o voo nocturno sem ter que sair de Évora, "pois vão voar, saem do avião e vão para casa, enquanto o mecânico faz a revisão do aparelho para que este esteja pronto para voar logo no dia a seguir", explicitou.
No que concerne às saídas profissionais destes novos pilotos, a mesma responsável afirmou que "a taxa de empregabilidade tem sido muito boa, embora tenha diminuído nos últimos tempos devido à crise internacional que se reflecte nas companhias aéreas que têm, por um lado, menos procura, estando a cancelar voos e não necessitando admitir tantos pilotos". Não obstante, mostrou-se optimista, relembrando que a AAE tem alguns dos seus alunos a trabalhar em companhias estrangeiras.
Quanto a este pilotos agora formados, Beatriz Filipe disse ter chegado o momento de se lançarem no mercado de trabalho, nomeadamente para os voos comerciais e para as companhias de baixo custo, "pois certamente a médio prazo, todos estes jovens estarão colocados".
Instada sobre o futuro, a dirigente garantiu que a AAE "é um projecto consolidado e para continuar, eu não digo expandir porque não sou accionista da empresa, mas temos que continuar porque temos tido sucesso". Segundo sublinhou, "os equipamentos são relativamente novos, estando ainda todos operacionais, quer em termos físicos, quer em termos tecnológicos, uma vez que na altura em que os comprámos optámos pelo que mais de moderno havia no mercado".
Testemunhos na primeira pessoa
Micaela Ataíde
Faro
"Desde pequenina que me apaixonei por esta profissão porque os meus pais sempre trabalharam no aeroporto e eu cresci junto aos aviões. Depois experimentei andar num avião ligeiro e a partir daí adorei. Estou disposta para ir para qualquer parte do mundo, desde que vá voar posso trabalhar em qualquer companhia aérea. Quando estou dentro do avião sinto que estou a realizar um dos sonhos que sempre quis".



João do Rosário
Évora
"Eu sou licenciado em Biologia pela Universidade de Évora, mas as saídas profissionais não me agradaram. Então os meus pais proporcionaram-me esta oportunidade de tirar o curso aqui na AAE e decidi aceitar este desafio porque nunca tinha pensado nisso, mas aprendi a gostar de voar. Neste momento, estou a enviar currículos para companhias de viação e para outros locais de instrução".



Pedro Vitorino
Natural dos Açores
"Ser piloto era um sonho que eu tinha desde miúdo, sempre quis fazer isto da minha vida. Quando terminei o secundário tive que escolher uma escola e optei pela de Évora e se voltasse atrás escolheria de novo a AAE. Agora que terminei o curso vou tentar encontrar emprego, sendo que a minha preferência era trabalhar na Sata Air Açores. Se assim fosse, ficaria mesmo em casa".

Diário do Sul

domingo, 7 de junho de 2009

Europeias 2009 - CDU vence no Distrito de Évora



CDU1707729.40%
PS1532026.37%
PSD1057118.20%
BE608610.48%
CDS-PP29635.10%
PCTP/MRPP12252.11%
MEP5620.97%
MPT2660.46%
MMS2360.41%
PH2210.38%
PNR1700.29%
PPM1620.28%
POUS650.11%
Abstenção9062360.94%60.75%
Votantes5809239.06%39.25%
Nulos10091.74%1.02%
Brancos21593.72%1.70%

Europeias 2009 - PS vence no Concelho de Évora


PS461124.84%
PSD403021.71%
CDU395421.30%
BE262414.14%
CDS-PP12396.67%
PCTP/MRPP3141.69%
MEP2411.30%
MMS1040.56%
MPT1030.55%
PH850.46%
PNR630.34%
PPM530.29%
POUS210.11%
Abstenção2960061.46%61.42%
Votantes1856338.54%38.58%
Nulos3591.93%0.98%
Brancos7624.10%2.08%
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...