domingo, 31 de janeiro de 2010

Évora - Promotoras - 2 vagas


A Empresa Clara Cunha, Lda recruta elementos para apoio a produto de prestigio em grandes superficies

Disponibilidade:
Sábado e Domingo; 11h/20h
8h = 36€ liquidos

perfil:
Imagem Cuidada
Idade entre 25 e 40 Anos
Experiencia em promoções
Facilidade relacionamento interpessoal
Interesse pela comunicação
Apetência comercial

enviar cv com foto (actualizada) para:



Comercial - Évora e Portalegre


Empresa Líder no mercado na área de Prestação de Serviços, pretende recrutar:

COMERCIAIS (m/f)

Pretende-se:
- Residência nas zonas mencionadas
- Boa apresentação
- Dinamismo Comercial
- Idade entre 25 e 50 anos
- Habilitações Minimas: 9º ano
- Disponibilidade imediata
- Experiência de venda de serviços (preferencial)
- Viatura própria

Oferece-se:
- Retirada atractiva com Prémios + Comissões
- Viatura em função dos resultados
- Formação inicial e contínua
- Futura Carteira Clientes
- Estabilidade Profissional e possibilidade de progressão na empresa

Zonas: Évora e Portalegre
Tel:245 203 348 / 963 817 678

Para marcação de entrevista contacte o número acima mencionado

COMERCIAIS (m/f) - Évora - VENDAS PORTA-A-PORTA


A Flexilabor, Empresa de Trabalho Temporário Lda., integrada no Grupo Pessoas e Soluções, encontra-se no momento a recrutar Comerciais D2D (m/f) para comercialização de produtos na área das Telecomunicações e Novas Tecnologias.


Função:
Venda directa no mercado residencial de produtos e serviços na área de voz, internet e televisão.

Requisitos:
Experiência em vendas;
Habilitação académica igual ou superior ao 9º ano;
Disponibilidade imediata.

Oferecemos:

Contrato de trabalho;
Prémios variáveis aliciantes;
Integração em equipa jovem e dinâmica;
Perspectivas de evolução.

Horário:
14h às 22h;
2ª feira a sábado.

Local de Trabalho: Évora

Observações:

Envie hoje mesmo a sua candidatura anexando currículo actualizado para dtborda@pessoasesolucoes.eu>
dtborda@pessoasesolucoes.eu, indicando a referência NT_D2D_ALENT.

Flexilabor, Empresa de Trabalho Temporário Lda.

Av. António Augusto de Aguiar, nº 108 1º Dto.
1050-019 Lisboa
(em frente ao El Corte Inglês)


sábado, 30 de janeiro de 2010

Concerto do 31º Aniversário do Coral Évora

Évora Perdida no Tempo - Antiga Casa Império



Autor Eduardo Nogueira
Data Fotografia 1930 (?) -
Legenda Antiga Casa Império
Cota EDN40645- Propriedade Arquivo Fotográfico CME

Évora Perdida no Tempo - Banca de Quinquilharias na Feira de São João



Autor Eduardo Nogueira
Data Fotografia 1950 - 1959
Legenda Banca de quinquilharias na Feira de São João
Cota EDN AC - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Professor universitário António Camões Gouveia é novo director do Museu

O professor da Universidade Nova de Lisboa António Camões Gouveia foi nomeado director do Museu de Évora, substituindo Joaquim Caetano, que se demitiu do cargo, revelou hoje o Instituto dos Museus e da Conservação. António Camões Gouveia tem leccionado cadeiras nas áreas da História da cultura e das ideias nos séculos XV a XVIII, período cronológico de "grande parte das colecções do Museu de Évora", realçou o IMC, em comunicado enviado à agência Lusa. O novo director do Museu de Évora foi também vogal da Comissão para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e, desde então, tem "acumulado experiência na área da gestão cultural". Presentemente, de acordo com o IMC, desempenhava as funções de Coordenador do Mestrado em Práticas Culturais para Municípios, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. António Camões Gouveia é ainda membro do Centro de História da Cultura da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e do Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa.

Diana FM

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

“Os Comboios em Portugal” na Biblioteca de Évora


“Os Comboios em Portugal” é uma colecção de cinco volumes, editados pela Terramar, que formam um compêndio da história dos caminhos-de-ferro portugueses desde o seu início até aos nossos dias.

O livro “Os Comboios em Portugal – Volume V”, da autoria de José Ribeiro da Silva, com fotografias de Manuel Ribeiro e do Arquivo da CP, é apresentado em Évora numa cerimónia pública hoje pelas 18 horas, na Biblioteca Pública de Évora. Este lançamento é uma organização da Câmara Municipal de Évora e da Editora Terramar, com o apoio da Biblioteca Pública.

A apresentação desta obra está a cargo de Rosa Gomes (responsável da CP) e de Nuno Marques. Nuno Marques é um jovem de 12 anos “apaixonado” por comboios, que estuda na Escola Salesiana de Évora.

“Os Comboios em Portugal” é uma colecção de cinco volumes, editados pela Terramar, que formam um compêndio da história dos caminhos-de-ferro portugueses desde o seu início até aos nossos dias. Estes volumes fazem-nos uma apresentação das linhas projectadas e construídas, dos percursos e das paisagens envolventes, das secções museológicas existentes, das obras de arte ferroviárias – onde se destacam pontes, túneis e estações - e integram breves apontamentos de alguns dos locais e monumentos que se destacam em redor das zonas por onde passam as linhas.

O quinto e último volume é dedicado ao Sul e a Évora, uma linha que começou por ligar apenas a Casa Branca a Évora em 1863 e que ficou completa em 1905, quando se estendeu até Vila Viçosa, permitindo na altura à família real passar mais temporadas no Palácio de Vila Viçosa, encurtando assim o tempo de viagem. Hoje em dia a linha está parcialmente desactivada. Curiosamente, a 1 de Fevereiro de 1908, D. Carlos I e a família real viajavam num comboio que fazia esse trajecto e que descarrilou, originando um atraso de 45 minutos na viagem, ao fim da qual, já em Lisboa, o rei foi assassinado.

O autor deste livro é José Ribeiro da Silva, um curioso e apaixonado por esta matéria relacionada com os comboios e os caminhos-de-ferro. O seu pai foi funcionário da CP e ele próprio é actualmente operador de revisão e venda na CP. José Ribeiro da Silva recolheu dados importantes para a compreensão da história dos caminhos-de-ferro em Portugal e sem esse trabalho seria impossível levar a cabo esta colecção. Fez uma análise minuciosa de todas as linhas que se projectaram e construíram, inclusive as que nunca saíram do projecto no papel.

Actualmente, muitas das linhas foram desactivadas e muito do património relacionado com os caminhos-de-ferro encontra-se em elevado estado de degradação, e é através de colecções como estas que podemos revelar às gerações futuras o quão importante foram, são e serão os comboios na vida do nosso país.


quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Évora Perdida no Tempo - Carrocel na Feira de São João



Autor Eduardo Nogueira
Data Fotografia 1950 - 1959
Legenda Carrocel na Feira de São João
Cota EDN AC - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

Évora Perdida no Tempo - Antiga mercearia de Francisco Joaquim Lopes



Autor Eduardo Nogueira
Data Fotografia 1932 -
Legenda Antiga mercearia de Francisco Joaquim Lopes
Cota EDN5642A - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

Évora Perdida no Tempo - Vendedor de mantas na Feira de São João



Autor Eduardo Nogueira
Data Fotografia 1950 - 1959
Legenda Vendedor de mantas na Feira de São João
Cota EDN AC - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Imagens de Évora



segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

"7 Maravilhas Naturais de Portugal”



A candidatura do Sítio de Monfurado, na categoria de Florestas e Matas, justifica-se porque nele estão representados algumas dezenas de habitats e espécies com estatuto de protecção comunitária, incluindo três habitats prioritários, uma espécie prioritária e uma espécie em vias de extinção (só existente em Portugal).

O Sítio de Importância Comunitária (SIC) de Monfurado, um território reconhecido pela Rede Natura 2000, irá representar o concelho de Évora e de Montemor-o-Novo, no concurso que irá eleger, este ano, as “7 Maravilhas Naturais de Portugal”.
A candidatura do Sítio de Monfurado, na categoria de Florestas e Matas, justifica-se porque nele estão representados algumas dezenas de habitats e espécies com estatuto de protecção comunitária, incluindo três habitats prioritários, uma espécie prioritária e uma espécie em vias de extinção (só existente em Portugal).
As paisagens do território de Monfurado são dominadas por montados (de sobro, azinho e mistos) e bosques ribeirinhos. O montado no Monfurado assume especial importância pela sua grande densidade e representatividade relativamente ao resto do Alentejo. Embora frequente no sul português, é uma paisagem em vias de extinção, já que as práticas tradicionais que o originaram estão cada vez em maior desuso.
Ocorre na zona de Monfurado a maior densidade de monumentos megalíticos do concelho. Os mais conhecidos no concelho de Évora: Cromeleque dos Almendres, Menir dos Almendres e Anta Grande do Zambujeiro, estão fora do território do SIC de Monfurado, mas nas imediações.

A eleição das “7 Maravilhas Naturais de Portugal®” surge em antecipação à campanha mundial, para eleger as “Novas 7 Maravilhas da Natureza®” em 2011.
É um projecto pioneiro, que coloca os olhos do mundo nas imensas belezas naturais de Portugal. A eleição das “7 Maravilhas Naturais de Portugal®” pretende sensibilizar os portugueses para a necessidade de preservar o património natural do nosso país. Porque 2010 é o Ano Internacional da Biodiversidade, este projecto vem reforçar um movimento ambientalista que cresce a nível global e pretende ser uma referência no contributo para a sustentabilidade ambiental no nosso país.
Serão consideradas “Maravilhas Naturais de Portugal”, os monumentos naturais em território nacional que contenham um ou mais aspectos de raridade ou representatividade em termos ecológicos, estéticos, científicos e culturais. Os nomeados serão organizados nas seguintes 7 categorias, que representam a diversidade paisagística de Portugal:
1. Zonas Marinhas
2. Grutas e Cavernas
3. Praias e Falésias
4. Florestas e Matas
5. Grandes Relevos
6. Zonas Protegidas
7. Zonas Aquáticas não Marinhas.

A New 7 Wonders Portugal® está a desenvolver um levantamento exaustivo dos locais naturais a considerar para o processo de votação, lista que será conhecida no início de 2010. Para chegar a uma short list de 77 locais naturais pre‐finalistas será criado um painel de 77 especialistas, representantes das várias áreas científicas e com representatividade geográfica nacional, convidados pela New 7 Wonders Portugal.
Posteriormente, um painel de 21 personalidades notáveis do nosso país irá escolher as 21 Maravilhas finalistas, as quais serão apresentadas para votação
pública a 7 de Março de 2010. Nesta lista de 21 Maravilhas finalistas terá que estar presente, no mínimo, um finalista de cada uma das sete regiões do país: Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve, Açores e Madeira.
Desta forma, a New 7 Wonders Portugal® assegura a representatividade geográfica do país. A votação, auditada pela PriceWaterhouseCoopers, termina a 7 de Setembro de 2010 e as “7 Maravilhas Naturais de Portugal®” serão conhecidas no mesmo mês. As vencedoras serão apuradas pelo maior número de votos em cada categoria e não serão eleitas mais do que duas Maravilhas por região.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Precisa-se Operador Fabril para Évora


Perfil:

9º ano de escolaridade (mínimo)
Disponibilidade horária, turnos
Disponibilidade imediata
Experiência na área fabril
Veículo próprio

Caso esteja interessado(a) nesta oferta contactar os seguintes números: 265548550; 967092157

Recruta-se Comerciais/ Évora

Função:
- Os comerciais terão como principais funções a gestão e prospecção de novos clientes na zona de Évora.

Os candidatos deverão ter o seguinte perfil:
- Escolaridade ao nível do 12º ano (preferencial)
- Experiência anterior na área comercial
- Gosto pelo trabalho por objectivos
- Excelente capacidade de comunicação verbal
- Apetência comercial e de relacionamento interpessoal
- Residência na zona de Évora (factor eliminatório)
- Disponibilidade imediata
- Carta de condução

Oferecemos:
- Possibilidade de progressão na carreira
- Venc. Base + Subs. Alimentação + prémios
- Viatura + Telemóvel (PDA)

Se reúne os requisitos envie-nos o seu CV (com foto actualizada) indicando no assunto a referência "Comercial Évora": carla.goncalves@multipessoal.pt ou entre em contacto para o 210342502.

Precisa-se Pre-oficial Electricista para Evora


Para empresa em Evora, necessitamos de:

- Pre-oficiais Electricistas

Requisitos:

- Disponibilidade Imediata
- Experiência na função pretendida
- Residente na area acima descrita

Contactos:

- Nuno Rodrigues: 936 998 860
- Telefone fixo: 210 814 125
- Fax: 210 849 966
- Morada: Bimarsed E.T.T.
Rua Álvaro Velho nº9 r/c
2830-327 Barreiro

Advogado Estagiário


Procura-se Advogado Estagiário para Escritório em Évora.
Remuneração e condições a combinar, conforme fase de estágio e experiência demonstrada.
Possibilidade de carreira.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Évora Antiga: Bar e esplanada dos Vinhos Sanguinhal



Autor Eduardo Nogueira
Data Fotografia 1950 - 1959
Legenda Bar e esplanada dos Vinhos Sanguinhal
Cota EDN70655 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

Évora Antiga - Drogaria Martins e Matta




Autor - Eduardo Nogueira
Data Fotografia - 1940
Legenda - Drogaria Martins e Matta
Cota EDN33429 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Rota de Sabores Tradicionais 2010


Participam na edição deste ano, cuja cerimónia de lançamento está agendada para dia 23 de Janeiro no Convento do Espinheiro, 42 restaurantes e uma pastelaria. Contudo, uma das novidades é a adesão de cinco lojas Gourmet.

Teve já início a sétima edição da Rota de Sabores Tradicionais (RST), uma iniciativa da Câmara Municipal de Évora realizada anualmente entre Janeiro e Abril a partir dos espaços de restauração da cidade e do concelho, centrada na promoção dos sabores tradicionais da mesa alentejana como fonte de preservação da identidade cultural da região e como factor de sustentabilidade socio-económica dos empresários do sector da restauração.

A RST, valorizando a qualidade dos serviços, a certificação e autenticidade dos produtos, e promovendo a dimensão cultural da ementa tradicional da gastronomia alentejana nas temáticas da Caça, Porco, Sopas, Borrego e Doces, procura constituir-se como um dos mais genuínos e sustentados produtos turísticos da cidade de Évora.

Por outro lado, a Rota de Sabores Tradicionais tem como conceito estratégico valorizar a dimensão cultural da iniciativa, dando-lhe visibilidade e identidade no contexto da oferta turística de Évora.

Participam na edição deste ano, cuja cerimónia de lançamento está agendada para o dia 23 de Janeiro no Convento do Espinheiro, 42 restaurantes e uma pastelaria. Contudo, uma das novidades é a adesão de cinco lojas Gourmet.

Neste dia e a anteceder a tradicional degustação de especialidades alentejanas, que serão apenas de caça, terá lugar uma conferência temática sobre “A gastronomia tradicional como factor de desenvolvimento local”.

Restaurantes participantes: Adega do Alentejano; Adeguita do Farrobo; Almedina; O Antão; O Aqueduto; Bacchus & Companhia; A Baiuca; Bolas; Café Alentejo; O Chico; A Choupana; Cozinha de Stº Humberto; Degustar’Ar (Hotel M’AR de AR Aqueduto); Divinus (Hotel Convento do Espinheiro); Divor; Dom Joaquim; Fialho; O Garfo; Giraldo; Godinho; O Grémio; Guião; Luar de Janeiro; Manueis; Medieval; Monte do Carmo (Hotel Rural); Mr. Pickwick; O Moinho; A Muralha; Prova e Sorri; O Ricardo; Sabores do Alentejo (M’AR de AR Muralha); Santa Fé; S. Brás (Hotel D. Fernando); S. Luís; Sobreiro (Azarúja); Sobreiro (Évora); Sol Poente (Évora Hotel); Time-Out; O Trovador; Um Quarto para as Nove; Vinho e Noz. Pastelaria; Pão de Rala. Lojas Gourmet: Alentejo de Ouro – Produtos do Alentejo Ldª.; Boa Boca Gourmet; Divinus Gourmet; Évoralforge; Saberes e Sabores do Alentejo

Parcerias institucionais:
ACDE; Turismo do Alentejo, ERT; ARHESP; CEPAAL; Confraria dos Enófilos do Alentejo, Confraria Gastronómica do Alentejo, Confraria da Moenga, Rota dos Vinhos do Alentejo, Slow Food Alentejo. Media Partner: Diário do Sul / Telefonia do Alentejo. Apoios: Museu de Évora; Casa do Povo de Canaviais, Junta de Freguesia de Canaviais, Junta de Freguesia da Azaruja, Hotel Convento do Espinheiro, CP Comboios de Portugal, INATEL.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Freguesia de S. Bento do Mato (Azaruja) - 3

VALORES ARTÍSTICOS E ARQUITECTÓNICOS

MEGALITISMO
        A freguesia possui alguns monumentos megalíticos, de entre os quais se chama a atenção, pela sua particularidade, para dois esteios de uma Anta, incorporados na parede do altar-mor da Igreja de S. Bento do Mato. Outras antas estão localizadas na freguesia, nomeadamente na Herdade da Fonte-Boa do Álamo e da Azarujinha.
ROMANIZAÇÃO
        Existem vestígios na Herdade da Machoqueira (inscrição funerária e “dolium”), na Herdade da Venda (inscrição funerária erigida pela mãe aos seus três filhos), tendo ainda sido encontradas inscrições dedicadas a “salus” divindade da saúde.
        Se bem que de origem não muito remota existem na freguesia alguns imóveis com grande interesse cultural, de entre os quais se destacam o Pelourinho, a Igreja Paroquial, o conjunto  do “Palácio” do Conde da Azarujinha, a  “Sala”, a ermida de Nossa Senhora do Monte do Carmo, o Monte da Barroseira e respectiva ermida, o solar do Castelo Ventoso, e o portão da Quinta de St.º António.
        O interesse cultural destes edifícios deverá merecer por parte de toda a população, dos seus proprietários, ou das entidades responsáveis, a maior protecção.
PELOURINHO (SÉC. XVIII)
        Símbolo senhorial dos extintos coutos das Bruceiras, terras isentas de justiça real e patrimoniais dos fidalgos Lobo Saldanha e depois dos Condes das Galveias.
CONJUNTO DO “PALÁCIO DO CONDE DE AZARUJINHA”
        Construção do séc. XIX, mandada edificar pelo Conde de Azarujinha, o qual nos finais do séc. XIX aforou uma das suas propriedades em pequenas courelas – 200 – das quais 90 ficaram na Freguesia de S. Bento do Mato e as restantes na de S. Miguel de Machede (Courelas da Azaruja e Courelas da Toura, respectivamente).
"A Sala"
        Construção modesta de um só piso, à frente da qual se realizavam as feiras francas.
        Tradicionalmente, diz-se que foi neste edifício, em Maio de 1834, que foi redigido e assinado o documento de rendição imposta a D. Miguel, pelo general Duque da Terceira e pelo Marechal Saldanha, após a tomada de Arraiolos e Vimieiro, e encontrando-se a “Sala” ocupada pelo Quartel General do Exército de D. Pedro IV. Daqui terão partido os dois cabos de guerra para o Castelo de Évoramonte, onde se firmou a Convenção que pôs termo às lutas liberais.
CASTELO VENTOSO
        A herdade de Castelo Ventoso foi doada à Mitra Eborense em 1430, e sabe-se que em 1572 pertencia à Fábrica da Sé de Évora e era habitado pelo lavrador Fernando Dias Batalha. O Cardeal D. Henrique integrou  a herdade nos bens da Companhia de Jesus, na propriedade da qual permaneceu até à sua extinção (1759).
        Em finais do séc. XIX o solar foi ampliado por José Paulo de Mira, que nalgumas salas reconstitui alguns monumentais retábulos de azulejos do segundo quartel do séc. XVIII, atribuídos a Policarpo de Oliveira Bernardes.
         Possui no seu interior uma capela seiscentista com altar  de talha de estilo rococó de início do séc. XVIII, e algumas pinturas de Maria de Lurdes Braancamp, artista prematuramente falecida.
PRAÇA DE TOUROS
        Segundo informação do actual proprietário da Praça de Touros, e com base na escritura do edifício, a Praça de Touros da Azaruja terá sido construída por um Sr. Evaristo, empresário tauromáquico, com o objectivo de a explorar durante 99 anos. Naquele local havia anteriormente um curral de bois pertencente à Casa de Filipe de Vilhena. Assim, com o falecimento prematuro do empresário tauromáquico, a exploração da Praça passou para aquela família.
        Em 1910, a Praça foi comprada pelo pde. Silvestre António da Silva e Vicente Sureda por mil e duzentos réis. Cerca de 1920, o Sr. Sureda comprou a outra parte, fazendo dela uma fábrica dela de cortiça. Mais tarde, face à necessidade de destruir a galeria de cima, esta foi retirada, e o seu material utilizado na construção do Monte do Goulão.
    Segundo a tradição terá sido a primeira Praça do País e terá servido de modelo ao Campo Pequeno. Desconhecendo-se a data certa da sua construção, há de qualquer forma registo de 1861 em documentos do Governo Civil (Estatística Março 1158. BPE) que testemunham a sua existência já naquela data, sabendo-se igualmente que em 1873, sofreu grandes melhoramentos, passando então a dispor de mais de 1 500 lugares numerados.
IGREJA PAROQUIAL
        A actual igreja substitui o templo do séc. XVI, do qual sibsiste a capela – mor, sacristia e arcobotante que serve de escada para o campanário. As paredes da capela – mor apoiam-se numa anta desmantela.
        A igreja encontra-se actualmente, desprovida de imagens religiosas e nalguns pontos encontra-se bastante arruinada.
ERMIDA DE NOSSA SENHORA DO MONTE DO CARMO (SÉC. XVIII)
        Construção típica da época áurea das peregrinações religiosas dos reinados de D. José e de D. Maria I, situada a cerca de 2 Km de Azaruja.
        A ermida terá tido origem num modesto nicho erguido em barro amassado por cenobitas solitários filiados na Ordem do Monte Carmelo, que  habitaram o local até 1754.
        Reza a tradição que “(…) descobriu-se uma mulher que chegando ao tal monte casinha (o oratório abandonado pelos ermitas), sem saber o que nela havia, assim que viu a imagem da senhora a venerou e lhe pediu remédio duma enfermidade que padecia e sentido-se logo melhor, e daí a poucos dias, inteiramente sã, publicou o sucesso que divulgado fez concorrer várias pessoas àquele lugar solicitando remédio para os seus males.”
        Em 1757 iniciou-se a construção da ermida, que um ano depois foi sagrada ao culto com afluência de muitas esmolas pelas graças concedidas.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Memórias de Évora





ÉVORA - PRAÇA DO GIRALDO
Foto de José António Barbosa, 1903-1909
Projecto Memória C.M.Évora

Memórias de Évora




ÉVORA - ROSSIO DE SÃO BRÁS
Foto de José Monteiro Serra, 1899-1920
Projecto Memória C.M.Évora

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Workshop de Ilustração no Museu de Évora


Malangatana recebe diploma Honoris Causa pela Universidade de Évora

O artista plástico moçambicano Malangatana Valente Ngwenya vai receber o diploma Honoris Causa pela Universidade de Évora no próximo dia 11 de Fevereiro, anunciou o pintor.«A 11 de Fevereiro vou receber um diploma Honoris Causa pela Universidade de Évora», disse Malangatana, numa entrevista ao jornal O País, editado em Maputo.

Na entrada do novo ano, o artista mais consagrado nas artes plásticas em Moçambique assegurou que marcaria «o primeiro quadro de 2010», provavelmente, «o último» da sua carreira.

«Vou tentar marcar o primeiro quadro de 2010, que se calhar será o meu último quadro, porque a idade não perdoa», disse Malangatana, que em Junho comemora 74 anos.

«Planos para mim não tenho, mas já me fizeram planos para 2010. Sei e tenho a certeza de que vai ser um ano de muitas realizações», afirmou.

Um dos mais conceituados pintores africanos da actualidade, Malangatana Valente Ngwenya recebeu, no ano passado, o título de doutor Honoris Causa em arte, comunicação e linguagem pela Universidade Politécnica de Moçambique.

A universidade justificou a atribuição do diploma com o reconhecimento das obras do pintor, que é igualmente escultor, poeta, dançarino, cantor e contador de histórias, «homem com uma inestimável dimensão humana e de cidadania, artista que projecta Moçambique além-fronteiras, professor de arte e de ‘estórias’, sobretudo para crianças».

Nascido em Matalane, arredores de Maputo, Malangatana Valente Ngwenya está representado em museus, galerias e colecções particulares em todo o mundo.

Lusa / SOL


segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Imorendimento tem luz verde para a construção do Évora Fórum


A Imorendimento já tem luz verde para arrancar com os trabalhos de construção do seu novo projecto em Évora, após terem sido concluídos os licenciamentos urbanístico e comercial necessários. Orçado em 60 milhões de euros, o projecto, designado provisoriamente de Évora Fórum, compreende uma componente de retail park e outra de centro comercial, e terá como veículo de investimento a sociedade EVRET.
Segundo fonte da Administração da Imorendimento, trata-se de um projecto inovador na região, «posicionando-se como o primeiro empreendimento a disponibilizar uma oferta comercial moderna na cidade alentejana». O início da construção está agendado para o primeiro trimestre de 2010. Recorde-se que o projecto inicial foi alvo de uma reformulação a nível de conceito e layout. Tratou-se essencialmente de alterações de configuração da componente do centro comercial e de melhorias nas acessibilidades, com o objectivo de reposicionarmos o conjunto para que este garantisse maior atractividade arquitectónica e um mix comercial mais apelativo», refere a mesma fonte. O reposicionamento do projecto incluiu também um rebranding e uma calendarização. Concluído esse processo, «estão reunidas todas as condições para avançarmos com a segunda fase do investimento em Évora, agora que o projecto urbanístico de alteração ao loteamento inicial foi aprovado», rematou. Compreendendo uma oferta de cerca de 6.000 m² de ABL, o retail park tem neste momento uma taxa de comercialização de 70%. Segundo a Imorendimento, esta componente será a «próxima face visível do investimento da EVRET», estando a ser lançado o concurso para a adjudicação dos trabalhos de construção. As obras deverão arrancar no primeiro trimestre, prolongando-se por um prazo de 8 a 10 meses, pelo que o complexo deverá ficar concluído no início de 2011. Também no primeiro trimestre de 2010, prevêm-se que arranque a comercialização do centro comercial, cuja oferta comportará 60 lojas, incluindo um supermercado e cinema, entre outras. Estas duas componentes dizem respeito à segunda fase do projecto, que numa primeira fase criou um stand alone com 3.000 m², ocupado pela IZI. A Imorendimento aponta 2012 como o ano para a conclusão desta segunda fase, embora este prazo esteja «ainda dependente da comercialização da componente de centro comercial». A Broadway Malyan é a empresa responsável pela mais recente versão do projecto de arquitectura. Os asset management do projecto, a par com o seu processo de comercialização, são da responsabilidade da Cushman & Wakefield.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Empregado de Cafeteria (M/F) - Évora


Horário:
PART-TIME (domingos)

Requisitos:
- Formação ao nível do 9º ano de escolaridade;
- Gosto pela comunicação com o cliente;
- Dinamismo
- Assiduidade e pontualidade;
- Apresentação cuidada;
- Fortes possibilidades de progressão de carreira.


Oferece-se:
- Vencimento compatível com a função

Local:
évora

Entrada:
Imediata.

Enviar CV para:
João Sousa
93 258 50 53

Atena RH
Largo João Vaz; nº7-c
1700-251 Lisboa

Fax: 218414070

Delegado Comercial - Telecomunicações - Évora


O Grupo CRH - Consultoria e Valorização de Recursos Humanos SA - pretende recrutar Delegados Comerciais para prestigiada Empresa no sector das Telecomunicações, para trabalharem no Distrito de Évora.

Descrição da Função:
Contacto Presencial com Clientes Empresariais para a venda de produtos e serviços na área das Telecomunicações, após agendamento prévio por parte de Assistentes de Contact Center.

Perfil Pretendido:
- Elevado Perfil Comercial
- Experiência na função ou em funções similares (Factor Eliminatório)
- Apresentação Cuidada
- Facilidade de Comunicação
- Bom Nível de Argumentação
- Dinamismo e Responsabilidade
- Ambição e Persistência
- Viatura Própria

Condições Oferecidas:
- Formação remunerada
- Contrato de Trabalho
- Vencimento Base
- Subsidio de Alimentação
- Telemóvel de serviço com plafond
- Portátil de serviço
- Plafond de deslocações
- Comissões aliciantes
- Horário de Trabalho: das 9h-18h de Segunda a Sexta
- Folgas aos Fins-de-Semana
- Zona de Actuação Comercial: Distrito de Évora

Endereço de E-mail para Envio de CV:

Precisa-se Pre-oficial Electricista para Evora

Empresa em Evora, necessita de:

- Pre-oficiais Electricistas

Requisitos:

- Disponibilidade Imediata
- Experiência na função pretendida
- Residente na area acima descrita

Contactos:

- Nuno Rodrigues: 936 998 860
- Telefone fixo: 210 814 125
- Fax: 210 849 966
- Morada: Bimarsed E.T.T.
Rua Álvaro Velho nº9 r/c
2830-327 Barreiro

sábado, 16 de janeiro de 2010

Évora Antiga: 1º de Maio de 1974 - Manifestação no Rossio





Autor Carlos Tojo
Data Fotografia 1974-05-01
Legenda 1 de Maio de 1974: manifestação no Rossio
Cota AC - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

Évora Antiga: 1º de Maio de 1974 - Manifestação no Rossio



Autor Carlos Tojo
Data Fotografia 1974-05-01
Legenda 1 de Maio de 1974: manifestação no Rossio
Cota Ac - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Évora: Grupo espanca e rouba pastor


A Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção de um grupo constituído por quatro homens, entre os 23 e 51 anos, por suspeita da prática de roubo à mão armada, ofensa à intergidade física e posse de arma ilegal, Julho do ano passado, no concelho de Évora. A PJ contou com a colaboração de da PSP durante esta operação.

Os suspeitos, encapuzados e munidos de uma caçadeira, terão espancado e roubado um pastor, depois de abordarem a vítima no monte rural onde este vivia isolado. em dois dias durante a noite.

O assalto rendeu aos presumíveis autores do crime vários milhares de euros, além de um telemóvel e um fio de prata.

Todos os detidos têm antecedentes criminais por homicídio, rapto, assalto com arma de fogo e participação em rixa e serão presentes a tribunal para determinação da medida de coacção.

A PJ encontra-se a investigar o possível envolvimento dos arguidos em outros crimes de índole semelhante no Alto Alentejano.

C.M.

Freguesia de S. Bento do Mato (Azaruja) - 2

ECONOMIA
Sector predominante dentro da área geográfica da aldeia
Sector Secundário
Actividades económicas principais existentes na aldeia
Indústria corticeira, fábrica de cutelaria, artesanato e construção civil.
Emprego por sector de actividade dos habitantes que trabalham dentro e fora da aldeia
Dentro da aldeia: Sector Secundário
Fora da aldeia: Sector Terciário
         O sector em que a maior parte da população da freguesia exerce a sua actividade é o sector secundário, que ocupa 55.61% da população empregada; seguida do sector terciário, que ocupa 29.82% da população empregada; vindo por último o sector primário, que ocupa apenas 14.57%.
Desemprego
          A taxa de desemprego masculina é baixa. No entanto, a taxa de desemprego feminina é muito mais elevada que a do sexo masculino.
           Podemos constatar que existe um total de 54 mulheres inscritas no Centro de Emprego da região. Relativamente aos homens, a taxa de desemprego é muito inferior, encontrando-se apenas um total de 12 indivíduos inscritos na mesma entidade.
           Os grupos etários mais afectados são, no caso do sexo feminino, o grupo entre 35-49 anos e dos 25-34 anos, com 17 e 14 inscritos, respectivamente. No caos do sexo masculino, o grupo etário mais atingido é dos > = 50; com 8 pessoas inscritas, seguido do grupo de idades 35 – 49, com 2 inscritos.
           Nota-se ainda que mais de metade dos desempregados de sexo feminino ( 26 em 54 ) não beneficia do subsidio social de desemprego.

Economia local
Actividades ligadas a produtos e profissões tradicionais
§          Artesanato
§          Sapateiro
§          Cortiça
§          Construção civil
Actividades ligadas ao comércio
§           2 cafés
§          1 snack-bar
§           1 taberna
§          1 bar
§            2 restaurantes
§           2 pronto a vestir
§           4 cabeleireiras
§          1 barbeiro
§          1 posto de gasolina
§          2 oficinas de mecânica
§          2 oficinas de serralharia
§           1 pastelaria
§          2 talhos
§          1 cooperativa
§           5 mercearias
§           2 casas de móveis
§           3 drogarias
Fábrica de cortiça
Actividades  económicas
Existentes e prósperas
Ø      Indústria cortiçeira
Ø      Fábrica de cotelaria
Ø      Artesanato (utilizando como materia – prima a cortiça)
Existentes e em dificuldade
Não foi referida nenhuma.
Desaparecidas
Ø      Fábrica de transformação de madeira
Potenciais
Ø      Turismo de habitação
Ø      Gastronomia Local
Nota: segundo os inquiridos o turismo é uma potencialidade a explorar, pois estão bem localizados, estão perto da serra de Ossa (poderia haver um circuito pedonal).
az87.gif (32101 bytes)
TERRITÓRIO
Actividades sócio – cultural
Festas tradicionais
            Do seu calendário festivo destacam-se as tradicionais Festas de N. Sr.ª do Carmo - Feira Anual (no 2º Domingo de Setembro), e a Festa do Espírito Santo (que se realiza 7 semanas depois da Páscoa).
Actividades sociais culturais e desportivas
Regulares
·        Campeonatos de futebol
·        Actuações regulares da banda Filarmónica
·        Festa do Espírito Santo
·        Feira Anual
Irregulares
·        Pesca Desportiva
·        Provas de Todo o Terreno
·        Cicloturismo
·        Teatro
·        Touradas
Desaparecidas
·        Tiro aos Pratos
Serviços de interesse social e cultural
a)     Educação
-          Jardim de infância
O jardim infantil recebe crianças cuja idade varia entre os 3 e os 6 anos,  constituindo desta forma o serviço pré – escolar de apoio à criança.
-          Escola do 1º Ciclo do Ensino Básico
Existem duas E.B.1 na freguesia. Uma das escolas precisa de vedação e de um telhado no espaço do recreio.
-          Posto de Telescola
Este serviço vem proporcionar aos alunos o acesso ao 2º ciclo do ensino básico.
b)     Serviços de apoio à população
-          Parque Infantil
O parque infantil constitui um espaço dedicado às diversões das crianças.
-          Centro de Dia para idosos
O Centro de dia é da responsabilidade da Santa Casa da Misericórdia e tem como objectivo o serviço de apoio à terceira idade.
-          Lar de idosos
Não existe. Segundo os inquiridos é importante vir a existir.
c)     Desporto e Lazer

Associações desportivas:
-          Grupo desportivo Azarujense
az82.gif (46030 bytes)
Sociedades Recreativas/ Associações Culturais:
-          Grupo União e Recreio Azarujense
O Grupo União e Recreio Azarujense dispõe de sede próprio, de uma sala de espectáculos e ainda de uma sala de Jogos.
Campos de Futebol:
-          Campo de futebol 11
Propriedade de particulares. Precisa de obras devido à sua situação de propriedade.
Outros equipamentos de desporto e lazer:
-          Praça de touros
-          Sala de espectáculos
-          Sala de jogos
-          Parque Infantil
-          Jardim Público
Nota: segundo os inquiridos sente-se a necessidade de um Polidesportivo coberto e descoberto, e de um “quintal desportivo”.
d)     Cultura
-          Grupo de Cantares “Vozes da Planície
-          Banda Filarmónica
-          Grupo Musical Azarujense  “Os Unidos”
-          Jornal  “O Azarujense”
-          Biblioteca, pelo projecto "Caminha e Vê"
Nota: A Biblioteca funciona no edifício da Escola Primária EB1, na antiga casa do professor.
e)     Saúde
-          Posto Médico
O posto Médico, é uma extensão do Centro de Saúde de Évora, onde se desloca 5 vezes por semana 1 médico para dar consultas.
Horário: Da parte da manha ou da parte de tarde.
Nota: Segundo inquiridos, é insuficiente o horário de permanência da médica.
-          Farmácia
Existe uma farmácia a funcionar na freguesia.
f)       Serviços existentes
-          Banco
A aldeia dispõe de uma agência bancária. Todavia, quando os habitantes procuram outras agências bancárias que não as existentes na aldeia, terão que deslocar-se a Évora. A aldeia está igualmente dotada de uma caixa multibanco, de responsabilidade da agência bancária sediada na Azaruja.
-          Correios/ Serviço postal
A aldeia dispõe de serviço de correios/serviço postal. Funciona num edifício dos CTT.
Local de pagamento de serviços
            O pagamento de serviços, nomeadamente água, luz e telefone é efectuado na freguesia. Assim, o pagamento da água efectua-se na Junta de Freguesia; o da luz, no banco ou correios; e o do telefone, nos correios.

Relação da aldeia com o território
A freguesia de S. Bento do Mato, na medida em que constitui um polo aglutinador de emprego, em função das empresas corticeiras e empresas de cutelaria que aí estão sediadas, é de certa forma auto – suficiente, daí que a relação que mantém com o exterior, ou seja, com o território envolvente se revele dependente em relação a poucos aspectos. Esta dependência varia contudo consoante as dimensões abordadas e assim se definem os locais de dependência.
a)                  Emprego
Como já vimos, o destino de ocupação preferencial corresponde à própria aldeia de Azaruja, orientado sobretudo para o sector  secundário, representado pela indústria local.
b)                 Educação
 Findo o 2º ciclo do ensino básico proporcionado na aldeia, os níveis escolares seguintes apenas encontram resposta for da aldeia, nomeadamente em Évora.
c)                  Saúde
 Existe na aldeia a funcionar um posto Médico. Porém quando os casos se agravam os habitantes deslocam-se ao Centro de Saúde de Évora. Quando os casos de saúde exigem internamento ou tratamento hospitalar, o destino é o Hospital Distrital de Évora.
d)                 Serviços Públicos
A procura de serviços (Repartição de Finanças, Tesouraria da Fazenda Pública, Cartório Notarial, Conservatória do Registo Civil e Predial, Tribunal) orienta-se sobretudo para Évora, dado que é sede de concelho.
e)             Comércio e serviços não alimentares
              O comércio tem um peso importante na economia local, sendo bastante diversificado e cobrindo praticamente todas as necessidades de abastecimento local.
Não obstante o referido, a procura de comércio e serviço não alimentares orienta-se sobretudo para Évora e Estremoz.
f)             Acessibilidade e transportes
            a relação da aldeia com o território faz-se através de meio de transporte pessoal ou serviços de transporte colectivos públicos. Existem 5 carreiras que diariamente fazem a ligação entre  a aldeia e Évora.
Nota: Segundo os inquiridos este n.º de carreiras é suficiente.

Identificação dos líderes locais
              No que respeita à identificação dos líderes locais pode-se identificar o Presidente da Junta de Freguesia como líderes político, face à posição que ocupa enquanto Presidente da Junta.
            Como líder social foi identificado o Presidente da Associação de Defesa dos Interesses Culturais da Azaruja.
            No que diz respeito aos líderes culturais, foram mencionados o Presidente do Grupo União Azarujense e um elemento da Direcção da Banda de Música.
            Em relação aos líderes económicos (principais entidades empresariais) surgem Empresas de Cortiça, Empresa de Construção Civil, Empresa de Cutelaria, e uma Cooperativa de Consumo.

Conflitos existe e sinergias potenciais
            Não existe qualquer tipo de conflito na freguesia.
            No que concerne às sinergias, é possível referir uma, nomeadamente a que existe entre a Junta de Freguesia e as outras organizações.

Afinidades com freguesias vizinhas
Freguesias vizinhas com mais:
Afinidades culturais
-          S. Miguel de Machede
-          Évoramonte
-          Igrejinha
-          Vale do Pereiro

Afinidades geográficos
-          S. Miguel de Machede
-          Évoramonte
-          Igrejinha
 Afinidades Sociais
-          S. Miguel de Machede
-          Évoramonte
-          Igrejinha
-          Vale do Pereiro
Potencialidades semelhantes ou complementares
-          Évoramonte
Nota: na área do turismo
Pontos fracos semelhantes (estrangulamentos)
Não foi referida nenhuma freguesia.
Ameaças (baixa taxa de natalidade, droga, inexistência de oportunidades de emprego)
Não foi referida nenhuma freguesia.
Oportunidades (turismo, criação zona actividade económica)
-          Évoramonte
Nota: na área do turismo
Promoção/dinamização de produtos regionais
Não foi referida nenhuma freguesia.
Há interesse por parte desta freguesia em cooperar com:
-          N. Sr.ª da Graça do Divor
-          Igrejinha
-          N. Sr.ª de Machede
-          S. Miguel de Machede
-          Évoramonte
-          Vale do Pereiro
7. Potencialidades e debilidade existentes
Pontos Fortes
Ø      Boas acessibilidades
Ø      Localização geográfica/estratégica
Ø      Boa rede viária
Pontos Fracos
Ø      População envelhecida
Ø      Estradas degradadas (caminhos rurais)
Ø      Debilidade de equipamento desportivos e culturais
Ø      Saneamento básico insuficiente
Ø      Insuficiente assistência média
Oportunidades 
Ø      Turismo
Ø      Zona de Actividades Económica
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...