quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Vaivém Oceanário em Évora até Domingo

O Vaivém Oceanário, projeto de educação ambiental em movimento do Oceanário de Lisboa, chega a Évora, dia 28 de Setembro, onde permanecerá até ao dia 03 de outubro, no jardim público.
Durante seis dias o Vaivém Oceanário espera a visita de várias escolas do concelho e desenvolverá mais de 50 ações de educação ambiental dirigidas ao público escolar, a professores, a educadores e ao público em geral.
Todas as atividades abordam temas ambientais da atualidade, consciencializando para a necessidade urgente de uma mudança de atitude face à conservação e utilização sustentável dos recursos naturais.
Após ter reiniciado a sua atividade na última semana do mês de Fevereiro deste ano, o Vaivém Oceanário está, mensalmente, em dois concelhos do País, seguindo depois de Évora para a Figueira da Foz.
De destacar que, desde que reiniciou atividade, o Vaivém do Oceanário já recebeu mais de onze mil visitantes.

Vaivém Oceanário
28 de setembro a 03 de outubro
Local: Évora, Jardim público
Horário: Das 09h00 às 13h00 e das 14h30 às 17h30
Sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00
Domingo, das 10h00 às 13h00
Informações e marcações: Divisão de Gestão e Equipamentos de ação Educativa da Câmara Municipal de Évora; Tel: 266 777 100; email: isauragodinho@cm-evora.pt

À Noite no Museu de Évora ...

Évora Perdida no Tempo - Fonte da Praça do Giraldo


Autor - José António Barbosa
Data Fotografia - 1903 - 1909
Legenda - Fonte da Praça do Giraldo
Cota GPE441 - Propriedade Grupo Pró-Évora

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O Museu das Carruagens de Évora


Situado atrás da Catedral e afastado dos principais arruamentos da urbe fica o Museu das Carruagens, provavelmente o menos conhecido edifício do género existente na cidade, apesar de ter um número anual de visitantes na ordem das duas dezenas de milhar, normalmente constituído por turistas e grupos de estudantes interessados em conhecer um dos meios de transporte mais característicos dos séculos XVIII e XIX. Instalado nas antigas cavalariças do Palácio de S. Miguel, o Museu foi inaugurado em 1995 por iniciativa do Instituto de Cultura Vasco Vill’Alva (ICVV), pretendendo corresponder à necessidade, então urgente, de preservar este tipo de património cultural.

A colecção de carruagens resultou de um acordo de cooperação celebrado entre o ICVV e vários proprietários das mesmas, que tornou possível reunir uma dezena de exemplares deste meio de transporte que teve como antepassados o coche e a diligência, igualmente puxados por duas parelhas de cavalos e marcas distintivas de nobreza e poder. O coche, especialmente destinado à realização de grandes viagens, aparece no século XIV como marca distintiva de nobreza e poder, oferecendo grande conforto e protecção contra as inclemências do tempo.

A diligência surge um pouco mais tarde e visa já o transporte colectivo e regular de passageiros e mercadorias com estações e locais de paragem definidos, alguns ofertando lugares de pernoita e de descanso.

A introdução do caminho-de-ferro em meados do século XIX e a rápida expansão da respectiva rede fizeram perder importância aos coches e carruagens colectivas enquanto meios de transporte terrestre de longa distância. Passam a predominar as carruagens mais ligeiras e elegantes, destinadas a pequenos passeios de parque, de campo ou de cidade, puxadas apenas por uma parelha de equídeos – e às vezes por um única besta – e utilizadas normalmente por burgueses ricos para as suas deslocações diárias de negócios ou outras em que necessário se tornava fazer gala de riqueza e de diletantismo, frequentando os saraus, a ópera, as “soirées” e os clubes de muita distinção.

No caso vertente, José Maria Eugénio d’Almeida (1811-1872) tinha sido um plebeu que se impôs no mundo dos negócios enquanto comerciante, contratador, especulador, financeiro, industrial e grande proprietário urbano (em Lisboa) e rural (nomeadamente em Évora). Começou por se afirmar como bacharel em Direito e
depois foi consecutivamente à condição de magistrado, deputado, par do Reino e conselheiro de Estado. Quando morreu o seu património estava avaliado em 1700 contos, uma soma impressionante para a época, ao que parece a terceira maior do país. Seu filho Carlos Maria (1846-1914) e posteriormente o neto, herdeiro por inteiro do nome do avô (1873-1937), limitaram-se a gerir a fortuna e a viver à larga, que o dinheiro chegava.

Foi este último José Maria que viu D. Carlos em 1908 atribuir-lhe o título de Conde de Vill’Alva, o qual foi legado por descendência a seu filho Vasco. D. Vasco Maria Eugénio d’Almeida (1913-1975) viria a ligar-se muito a Évora ao recuperar imenso património a ameaçar ruína e mostrar para com a cidade e seu termo uma generosidade sem limites. A sua viúva, Maria Teresa Ortigão Burnay Belo, se ficou devendo a fundação do Instituto de Cultura que reúne agora a bela colecção de viaturas do tempo e que um “Tonneau”, um “Brougham” (vulgo “Coupé”), uma “Victoria” e um “Break” pertenceram à Casa Vill’Alva, e uma “Calèche”, um “Landau”, um “Tillbury” e outro de modelo mais pequeno, uma “Ladies Phaeton” e um “Buggy”, são pertença de outros mas que ali estão ao abrigo do referido acordo. Uma cadeirinha do Século XVIII de um só lugar e transportada por dois a quatro lacaios, utilizada entre nós para transporte de doentes, de damas da corte e eclesiásticos, e uma teliz – peça de pano bordado para cobrir as selas dos cavalos, quando apresentados à mão em cerimónias diversas – da mesma época, completam o acervo


Texto: José Frota


terça-feira, 28 de setembro de 2010

Évora Perdida no Tempo - Ermida de São Brás


Autor - José António Barbosa
Data Fotografia - 1890 - 1904
Legenda - Ermida de São Brás
Cota GPE460 - Propriedade Grupo Pró-Évora

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Dia da Música na Igreja de São Vicente

Comemorações do Centenário da República em Évora





Programa

14h30
Visita às escolas dos Canaviais e Severim de Faria pelos membros da Assembleia Municipal de Évora.

16h30
Inauguração da Exposição "Évora e a Implantação da República"
Lançamento do número especial da revista Mosaico dedicado ao tema.

17h00
Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Évora.
Conferência sobre Évora e a República.

18h00
Recriação do Momento da Implantação da República.
Descerrar da Placa Comemorativa.
"A Portuguesa".

domingo, 26 de setembro de 2010

Técnico de Helpdesk - Évora

Perfil:
Suporte de primeira linha a utilizadores, nas áreas de Software, Hardware e Redes;
Habilitações mínimas ao nível do 12º Ano;
Experiência mínima de 1 ano em actividades de suporte.
Conhecimentos de informática (Windows XP, MSOffice, antivirus)
Capacidade de trabalho em equipa, comunicação e relacionamento com Clientes.

Local : Évora
Full Time

Oferecemos:
Enquadramento contratual de acordo com o plano da empresa para a função a desempenhar.
Enquadramento salarial aliciante para a função a desempenhar.
Enquadramento numa equipa jovem, sólida, ambiciosa, motivada.

Candidate-se:

Envie CV actualizado para rh@ctw.pt

sábado, 25 de setembro de 2010

Janelas de Évora


Autor: Rosário Soares

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Regresso às aulas na Jardim Público

Cinema em Évora de 23 a 29 de Setembro de 2010 - 18h00 e 21h30

GOLPE DE ARTISTAS

De 23 a 29 de Setembro – 18h00 e 21h30

De: Peter Hewitt
Argumento: Michael LeSieur
Com: Christopher Walken, Morgan Freeman, Marcia Gay Harden, William H. Macy
Género: Comédia/Crime

Classificacao: M/12EUA, 2010, Cores,

Roger (Christopher Walken), Charles (Morgan Freeman) e George (William H. Macy) são três seguranças de um museu que levaram o seu amor pela arte um pouco longe demais: Roger apaixonou-se pela "Donzela Solitária", uma pintura do séc. XIX; Charles não vive sem a sua "Rapariga e os Gatos"; já George não consegue controlar a atracção física (nem manter as suas roupas vestidas) na presença de uma estátua de bronze de um guerreiro desconhecido.Quando são informados que o novo e pouco simpático curador decidiu transferir a colecção, em que as três peças se incluem, para um museu na Dinamarca, resolvem delinear um plano a que chamam Operação Fúria Urgente

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Évora Perdida no Tempo - Simulação de incêndio na Praça do Giraldo


Autor - José António Barbosa
Data Fotografia - 1898 
Legenda - Simulação de incêndio na Praça do Giraldo
Cota GPE0188 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Corrida de Toiros em Évora na próxima sexta-feira



Corrida de Toiros - Portuguesa - 7º Troféu João Branco Núncio
Évora :: 2010-09-24

- Data: 24 de Setembro de 2010 (Sexta-Feira), pelas 22H00

- Localidade: Évora

- Ganadaria: Passanha
- Cavaleiros: João Moura, João Salgueiro e João Telles Jr
- Grupos de Forcados: Amadores de Santarém e Évora

LUZES LIGADAS NÃO QUER DIZER QUE ESTEJAMOS EM CASA

LUZES LIGADAS NÃO QUER DIZER QUE ESTEJAMOS EM CASA
António Pedro Lopes & Monica Gillette
PT/USA
PERFORMANCE

Espaço A Bruxa Teatro, Évora
23 de Setembro, 21h30
M/12
5€ / 3€ (estudantes)

Um espectáculo de - Monica Gillette & Antonio Pedro Lopes
Produção Executiva: Joana Martins
Colaboração Dramatúrgica: Rita Natálio
Desenho de Luz: Alexandre Coelho
Figurinos: Guilherme Garrido
Fotografia: Rodrigo Valero Puertas, Olga Belchior
Residências Artísticas: RE-AL, Balleteatro, Teatro Micaelense, Forum Prisma-Mexico, Devir/CAPA, La Caldera
Apoio à Residência: DGAIE - Direitos dos Artistas
Apoio de Viagens: Instituto Camões
Agradecimentos: Rita Almiro, Laura Lamas, Marta Vieira, Romana Moreiras, Gianna & Conrad Smart, Ana Lúcia Cruz, National Theater of Manheim, Tommy Noonan, Inês Mariana Moitas, João Fiadeiro, O Espaço do Tempo, Francisco Lopes, Diana Gillette, Primeiro Andar
Co-produzido por: Escrita na Paisagem, Teatro Micaelense

Em Luzes Ligadas Não Quer Dizer Que Estejamos Em Casa António Pedro Lopes (PT) e Monica Gillette (USA) re:inventam constantemente a sua identidade individual e enquanto casal, cruzando o seu material autobiográfico – experiências individuais e vividas em conjunto – com elementos ficcionais e ficcionados.

Lopes e Gillette iniciaram o seu processo de re:criação artística partindo do cinema. Juntos começaram por re:visitar as vidas de vários casais do cinema – relações felizes e complicadas, de amizade, amor, cumplicidade no crime ou na rebeldia contra os padrões sociais. A dupla desmontou estes casais e examinou-os à lupa, para depois os re:construir, re:construindo-se, inculcando em si aspectos daqueles, emprestando-lhes simultaneamente características suas.

Lopes e Gillette re:vivem a ficção, para a re:inventarem e, sobretudo, para se re:inventarem constantemente. Neste processo, a dupla desmultiplica a re:construção das suas biografias tomando diversos pontos de vista – o individual, o da vida em comum, o familiar... – e recorrendo a uma variedade de suportes e técnicas de documentação – filme, fotografia, escrita de texto. O casal já visitou as suas terras natais – Açores e Califórnia –, conheceram as mães um do outro e acederam aos “arquivos” das respectivas famílias e tomaram uma variedade de locais como palcos para re:encenar as suas biografias-ficcionadas/ficções-biográficas. Os resultados do processo de re:criação-documentação não constituem objectos fixos, mas sim material a ser re:trabalhado, alimentando a continuidade do processo de criação. Por fim, o percurso culminará na criação de uma performance baseada na documentação recolhida e numa publicação: duas modalidades de re:play/re:criação do arquivo constituído durante o processo de pesquisa/criação artística.

Nómadas, Lopes e Gillette percorrem constantemente as distancias entre a narração de uma realidade-ficcionada (ou da ficção-real) e a possibilidade de a inscrever (ou re:escrever) nos seus corpos, a criação de documentação e a documentação da ficção. Ocasionalmente nestas viagens são acompanhados por um “passageiro”, um artista de outra disciplina que se junta ao casal numa experiencia partilhada, temporária, produzindo um objecto artístico que materializa a sua perspectiva sobre o casal. A intervenção dos “artistas-passageiros” desenvolve-se em duas direcções: o desenvolvimento de objectos artísticos que constituem mais um olhar sobre o trabalho do casal (documentação), e material de trabalho na sua pesquisa/re:criação; e a colaboração directa de alguns destes artistas na construção da performance (concepção de figurinos, cenografia, sonoplastia, iluminação...).

Entre ficção e realidade, como se apresentam António Pedro Lopes e Monica Gillette? Lopes, performer e autor de espectáculos, nasceu nas Ilhas dos Açores. Actualmente é nómada e trabalha internacionalmente com diversos coreógrafos, e regularmente em colaboração com Marianne Baillot, Guilherme Garrido, Tommy Noonan e Monica Gillette. Ensinou workshops de pesquisa na Europa em diversos contextos e instituições. É membro fundador da rede internacional Sweet & Tender, da qual partilhou a direcção artística em 2008. Fez curadoria de Conclusions for the Future, no Espaço do Tempo.

Monica Gillette é natural da Califórnia, onde adquiriu formação como bailarina clássica. Continuou os seus estudos em dança contemporânea em Nova Iorque e na Europa. Apresentou-se pelos quatro cantos do mundo com o seu trabalho e de outros coreógrafos. Mais recentemente tem estado envolvida em projectos colaborativos com António Pedro Lopes e Tommy Noonan, bem como com a rede internacional Sweet & Tender Collaborations. Trabalhou ainda em montagem e edição de filmes em Hollywood, tendo trabalhado nas séries "Os Sopranos" e "Crime & Castigo". Actualmente combina o seu background em dança e filme na criação de filmes para espectáculos, assim como na realização de curtas-metragens já apresentadas em festivais internacionais.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Évora Perdida no Tempo - Demolição da Igreja do Convento de Santa Mónica


Autor - José António Barbosa
Data Fotografia - 1899 
Legenda - Demolição da Igreja do Convento de Santa Mónica
Cota GPE0307 - Propriedade Grupo Pró-Évora

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

UMA PARTE PERDIDA


UMA PARTE PERDIDA
Pedro Antunes
PT
PERFORMANCE/TEATRO

Residência de criação
Espaço A Bruxa Teatro, Évora


Apresentações
Sede do Grupo Pró-Évora (Rua do Salvador, nº1), Évora
22 e 23 de Setembro, 21h e 23h


Duração: 90min.
Lotação: 12
M/16
Entrada Livre

Encenação e Criação - Pedro Antunes
Texto - Pedro Antunes, Alexander David, Pedro Vaz Simões
Apoio à Dramaturgia - Pedro Vaz Simões
Co-criação & interpretação - Pedro Antunes, Tânia Leonardo e Alexander David
Canto - artista convidada
Produção - Hugo Sousa
Projecto produzido por - Colecção B - Festival Escrita na Paisagem


“Um filho tenta reconstruir a sua família.
Uma performance sobre o reencontro de uma família”
Pedro Antunes é um jovem artista português que vive e trabalha em Londres. A sua condição, a de viver há muitos anos separado da sua família biológica, levou-o a desenvolver este trabalho, na tentativa de criar uma re:constituição viva da sua família. Esta é a re:encenação de um re:encontro que Pedro Antunes nunca conseguiu realizar com os seus. Com os espectadores, o performer recria vários episódios de uma família feliz: ele é sempre o “filho”, enquanto os espectadores vão assumindo papéis de diferentes membros da família. Neste quadro ficcional, a realidade autobiográfica do performer emerge sob a forma de espaços em branco e lapsos de memória. A realidade autobiográfica da identidade do filho (Pedro Antunes) mistura-se com a re:constituição ficcional da família. O resultado é uma experiência a partilhada entre performer e público.

Uma Parte Perdida explora a relação de Pedro Antunes com a sua família, bem como a sua decisão de se afastar dela, sobre a sua necessidade de mentir sobre o que lhe falta, e a necessidade da sua família de esconder a ausência do filho que lhe falta. Esta performance reflecte sobre a reorganização de uma família, quando um dos seus membros está ausente: como é que esta formação social funciona sem um dos seus membros? Que histórias habitam a mente do filho, na tentativa de substituir o seu pai e mãe ausentes, que se encontram longe?

Pedro Antunes é criador de teatro nascido em Lisboa, mestre em Contemporary Performance Making pela Brunel University, desde então tem vindo a trabalhar, performar e colaborar com diferentes companhias de teatro e artistas internacionais como os rotozaza, Robin Deacon, Tik Tak Boom, La Pocha Nostra e Cataphonic - artistas que se dedicam ao desenvolvimento de trabalho inovador e que desafiam as limitações da própria linguagem teatral. Em 2005 criou o seu primeiro espectáculo, Narrow Room um trabalho de teatro e movimento estreado em Londres. Após esta primeira criação desenvolveu uma instalação para o Camberwell Arts Festival intitulada Wrapped Bodies(Londres, 2006). Mais recentemente co-criou A Noite da Galinha Gorda (Arraiolos, 2009) um conto surrealista apresentado num quintal em Arraiolos e encontra-se agora a desenvolver com a companhia Big Odd um tríptico de espectáculos sobre família: The Missing Parts - A Reconstrução de Uma Família ao vivo (Londres, 2008 / 09); A Broken Part (Londres, 2009 - 2010) uma ópera teatral sobre a tragédia da mãe e A Parte Perdida (ainda em criação). No seu trabalho dedica-se à criação de espectáculos que exploram a natureza intimista das relações humanas experimentando com a interacção entre o teatro e as artes plásticas, sempre na tentativa de reunir pessoas para uma celebração que pode ter a forma de uma festa ou de encontro informal e na qual a audiência é confrontada com a ideia de deslocamento. O trabalho artístico do Pedro foi comissionado e apoiados por Colecção B (Évora, Portugal), Quarta Parede (Covilhã, Portugal), Performas (Aveiro, Portugal), Performance Initiative Network (Londres, UK) e The Scene Pool (Londres, UK).

Bike Évora 2010





Na semana de 1 a 5 de Outubro de 2010 todos os caminhos dos amantes do BTT voltam à cidade de Évora.
A Câmara Municipal de Évora leva uma vez mais o BIKÉVORA, um mega evento em torno das bicicletas todo-o-terreno que promete atrair à cidade histórica todo o tipo de praticante de BTT, designadamente os maratonistas, ciclistas e cicloturistas, ou os habituais participantes de provas familiares.
A principal novidade do BIKÉVORA é a de congregar nesta semana uma série de competições organizadas por agentes desportivos locais sobre o patrocínio da edilidade, procurando-se deste forma dar a devida visibilidade a uma série de competições que pretendem colocar Évora na rota dos grandes eventos nacionais de BTT.
Para este ano, o evento apresenta algumas novidades, nomeadamente ao nível das provas a realizar, dos traçados e dos kit´s que estarão disponíveis, com particular destaque para os kit´s para senhoras e crianças.







PROGRAMA
(Para informações mais detalhada consultar  o sitio internet dos parceiros)

Dia 01 Outubro (Sexta-Feira) – 21h00 às 24h00

ACTIVIDADE: PASSEIO NOCTURNO DE BICICLETAS
LOCAL: CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE
Passeio de Bicicletas pela Cidade, com o objectivo de Divulgar e Sensibilizar a população para o evento que irá acontecer durante o fim- de-semana; no final do passeio será servido um caldo verde pelos participantes. ORG: BTT Malagueira
Inscrições: http://www.bttmalagueira.net 

DIA: 02 Outubro (Sábado) – 15h00 às 18h00 

ACTIVIDADE: Circuito das Muralhas – Prova de Ciclismo
LOCAL: CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE
Realização em circuito fechado pelo centro da cidade, de uma prova competitiva de Cicloturismo.
ORG: Grupo Desportivo Diana / Federação Portuguesa Ciclismo

Dia 03 Outubro (Domingo) – 9h30 às 13h00

ACTIVIDADE: PASSEIO DE CICLOTURISMO PELO CONCELHO
LOCAL: FREGUESIAS RURAIS DO CONCELHO Passeio de Bicicletas pelo Concelho, com o objectivo de promover a iniciativa pelas freguesias rurais.
ORG: Os Pedaleiras
Inscrições: http://ospedaleiras.blogs.sapo.pt

Percurso
DIA: 04 Outubro (2ª Feira) – 19h00 às 21h00 
ACTIVIDADE: COLÓQUIO DE FORMAÇÃO TÉCNICALOCAL: PALÁCIO D. MANUEL
Temas como Ergonomia da Biciclete, Suplementos Energéticos e Caracterização do Esfroço Físico nos participantes do BTT serão apresentados e discutidos.
ORG: Grupo Desportivo de Sto. António
Inscrições: http://www.gdsantoantonio.com/maratona/

DIA: 05 Outubro (3ª Feira) – 10h00 às 12h00

ACTIVIDADE: PASSEIO BTT FAMÍLIA
LOCAL: ROSSIO
Um passeio de 10 quilómetros de dificuldade mínima, ORG: Câmara Municipal de Évora; Associação Para e Bebes - Casa do Povo de Nª Srª de Machede




domingo, 19 de setembro de 2010

FORMADORES de INGLÊS para ÉVORA

Centro de formação de Inglês pretende recrutar Formadores para Pólo de Formação de Évora.

Pretendemos candidatos com o seguinte perfil:

Habilitações ao nível de Bacharelato/Licenciatura na área referida, conhecimentos sólidos, experiência e gosto pelo ensino/ambiente formativo. Privilegiamos perfis dinâmicos, criativos, cooperativos, com elevado sentido de organização e responsabilidade.
Disponibilidade aos Sábados, residente na localidade descrita ou muito próxima.

Envie Currículo com foto para cpedagogica.penafiel@directenglish.pt

sábado, 18 de setembro de 2010

MOSTRA DE VÍDEO-PERFORMANCE | VIDEO-PERFORMANCE SHOWROOM

Antiga Fábrica dos Leões, Antigos Celeiros da EPAC, Convento dos Remédios, Electrilar, IPJ, Museu de Évora, Óptica Havaneza, Posto de Turismo, Rua João de Deus, Sociedade Harmonia Eborense, Tuareg Al-Andaluz, Évora
20-21-22-23 de Setembro - September

Entrada livre - Free entrance

O vídeo tem, ao longo da sua ainda curta mas intensa existência, ocupado uma posição privilegiada face às práticas performativas, em regimes que podemos reconhecer ora como documentais, ora como criativos, ora ainda como performativos. Centrada na problemática da documentação, a Mostra de Vídeo-Performance do Festival Escrita na Paisagem procura contemplar essas três modalidades, distribuindo-as por várias sessões em espaços públicos da cidade (programa próprio brevemente disponível).

Video has been ocupying, during its yet short existence, a privileged position in relation to performing arts practices, in realms we can recognize as documentation, creative and even performative. Focusing on the debate around documentation, the Video-Performance Showroom of Festival Escrita na Paisagem tries to approach those three modalities, dividing them into various sessions presented in public spaces in the city of Évora (full program will be available soon).

Pelas Ruas de Évora ...


Autor: Francisco Figueiredo

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Katabatic e Asneira na SHE





Katabatic
Projecto de raiz rock, apresentando-se na vertente mais psicadélica, progressiva e contemporânea. A sua formação consiste na formação clássica do rock (voz, guitarra, baixo e bateria) com elementos de percussão e electrónica. Durante os 4 anos de existência editaram de forma independente e algo “do it yourself” o primeiro EP “vago”, o que lhes proporcionou oportunidades de concertos um pouco por todo o país, com várias bandas, nacionais e estrangeiras como Russian Circles, Caspian, A Storm of Light, Logh, Orthodox, Riding Pânico, All Star Project, etc.
www.myspace.com/katabatic

Asneira
O erro é um modo de começar. Três guitarras e uma bateria, com membros de Linda Martini, Lobster, If Lucy Fell, Suchi Rukara que pelos vistos não quiseram aprender nada. É um modo de dançar esquisito com sorrisos, pouco peso nos ombros e poucas amarras em que a mistura entre jazz e rock determinam as influências. No futuro são capazes de não se aguentar a tocar sentados.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Évora sem Cinema

Devido aos atrasos nos pagamentos por parte da Câmara Municipal de Évora à distribuidora Lusomundo Audiovisuais, o filme O ESCRITOR FANTASMA de Roman Polanski, previsto para esta semana (16 a 22 de Setembro) não foi enviado. Por esta razão ficam suspensas as sessões, da responsabilidade da Câmara Municipal de Évora, durante esta semana.


A sessão do Cineclube com o filme A TETA ASSUSTADA de Claudia Llosa, prevista para o próximo dia 22 de Setembro às 21h30, decorrerá sem alteração.

Évora Perdida no Tempo - Villa Andrade


Autor - José António Barbosa
Data Fotografia - 1898 
Legenda - Villa Andrade
Cota GPE0162 - Propriedade Grupo Pró-Évora

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Pachamama de volta ...

Pachamama está de volta com a energia e vibração de sempre e cheia de vontade de inundar a noite de Évora com muita e boa música e dança. A Quinta vai se assumir definitivamente como a noite do Celeiros. A partir das 23h, cada Quinta vai ser dedicada a um ritmo de dança que pode ir do drum aos 80's, com passagem por reggae, dub, funk, etc. Uma alegria, uma diversão! Para além das Quintas abrimos outros dias... Stay tunned, inscrevam-se aqui ao lado para saberem sempre quando há Celeiros! Aqui vai o programa de Setembro:





  23h - Quintas







23h - Sextas e Sábados








(envia email com o teu nome completo parapachamama@pachamama.pt  até dia 23 e traz um convidado no dia 24, ou seja, entram dois por 4€)


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Médico condenado por burla com salários de colegas

O Tribunal de Évora condenou nesta terça-feira um médico a cinco anos de prisão, considerando provado que burlou 11 colegas em 403 mil euros de salários. O advogado do réu tenciona recorrer e mantém que o seu cliente é inocente.A juíza decidiu, porém, suspender a pena durante dois anos, desde que o réu pague nesse mesmo prazo, o montante devido acrescido de juros desde 2004.

O caso remonta a 2004, quando quase duas dezenas de médicos puseram em causa o comportamento de Jorge Humberto Silva, médico em Évora e administrador da empresa Umbermed, por alegada burla em matéria de salários. O caso arrastou-se no tribunal local nos últimos seis anos, tendo hoje sido conhecida a sentença. A juíza considerou provado que houve burla qualificada, mas suspendeu a pena por dois anos, desde que o réu restitua, em dois anos, os 403 mil euros devidos aos seus colegas, acrescido dos juros a contar desde 2004.

A empresa Umbermed garantia a prestação de serviços médicos ao Hospital do Espírito Santo, em Évora. Nesse sentido, a Umbermed contratou uma série de clínicos que trabalhavam nesse hospital mas receberiam o salário através daquela empresa.

Só que, segundo o tribunal, Jorge Humberto Silva retinha 35 por cento dos ordenados de cada um dos profissionais. Inicialmente, 17 médicos puseram em causa a actuação do administrador da Umbermed, mas apenas 11 avançaram com um processo em tribunal, que demorou seis anos a resolver mas que não terá acabado hoje. Isto porque, em declarações ao PÚBLICO, o advogado que representou Jorge Humberto Silva afirmou que vai recorrer da condenação, tendo reiterado que o seu cliente está inocente.

ComplementAr-te

Évora Perdida no Tempo - Festa da Árvore no largo de Aviz


Autor - José António Barbosa
Data Fotografia - 1911 
Legenda - Festa da Árvore no largo de Aviz
Cota GPE450 - Propriedade Grupo Pró-Évora

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A Igreja de Nossa Senhora da Boa-Fé




A Igreja de Nossa Senhora da Boa Fé é um dos mais interessantes templos existentes nas freguesias rurais do nosso concelho, a merecer visita oportuna e observação atenta. De uma forma geral, crêem os historiadores que no terreno que hoje ocupa terá existido primeiramente uma ermida erguida em honra de uma santa muito venerada pela população local. A sua construção remontará à livrança da população à temível peste que assolou o pequeno lugar e vizinhanças no reinado de D. Fernando, não havendo notícia de alguém ter sido afectado por tão terrível moléstia. Desse edifício primitivo nada resta, pelo que é de supor que a actual Igreja tenha sido erguida sob os seus antigos fundamentos em princípios do século XVI, a qual foi depois sujeita a diversas alterações e benfeitorias nas duas centúrias seguintes que lhe deram a feição que hoje exibe.

Classificada em 1986 como Imóvel de Interesse Público pelo Ministério da Cultura, a Igreja situa-se a cerca de 16 Km de Évora e chega-se até lá através de um desvio existente na EN 114 que estabelece a ligação com Montemor-o-Novo. Possui planta rectangular e fachada voltada a Norte, sobressaindo dos primórdios da sua construção o magnífico portal manuelino, com arco em cortina rematado por pinhas e coroado com uma cruz de Santiago, e a escultura quinhentista policromada de Nossa Senhora da Boa Fé (Virgem com o Menino), em honra de quem a Igreja foi construída e que se encontra em retábulo de talha existente na capela-mor. Imagem «mui milagrosa», revelou o padre Sebastião da Silva Correa (sic) na Memória Paroquial da freguesia escrita em 2 de Maio de 1758.

Esta imagem poderá ou não ser uma réplica da original que terá estado na primitiva ermida, local de grandes romarias, sendo por essa altura conhecida por Senhora das Nascenças. É que a sua datação parece difícil de estabelecer, dado que foi objecto de múltiplas repinturas, o que consente diversas interpretações. A existência de narrações antiquíssimas sobre a sua existência parece poder admiti-lo. Tem-se no entanto por certo que foi por virtude dos muitos benefícios colhidos por aqueles que invocavam o seu auxílio, denotando grande fé na sua intercessão junto do Deus, designadamente na protecção do gado, que a sua designação
veio a ser alterada para Senhora da Boa Fé.

O ícone da santa, em madeira estofada e que a apresenta, como atrás se refere, com o Menino Jesus ao colo roendo uma romã - símbolo da fertilidade – encontrase em trono especial junto à capela-mor. Ladeando esta, coberta de painéis de azulejos com passagens e motivos da vida da Virgem, foram abertas outras duas capelas de menor dimensão dedicadas ao Senhor Morto (Crucificado) e a Nossa Senhora do Rosário. Quanto à nave central, ela foi reparada numa das intervenções referidas e forrada igualmente a painéis de azulejos com temas marianos e dos evangelhos, para lá de frisos decorados com pássaros e sanefas. Em anexo à igreja e apartada em duas divisões localiza-se a sacristia, acontecendo que uma delas ainda ostenta a traça original quinhentista exibindo cobertura de abóbada nervada.
Na citada memória paroquial, o padre Correa descreveu-a como uma «igreja situada em hum alto e rodeada por todas as partes de mattos de estevas, murtas, carrascos e alecrins, e outros mais, em que fazem rossas para semearem trigos, senteos, e sevadas, que hé o mais que nesta freguesia se cultiva». Na sua avaliação
esta «terá que oitenta e quatros vizinhos e duzentas e vinte pessoas maiores e sincoenta menores, pouco mais ou menos». A população irá descer sucessivamente nas décadas seguintes mas em 1900 está de novo em alta, com o registo oficial de 1.028 almas radicadas. Com o advento da República é-lhe retirado o estatuto de freguesia e passa a ser integrada na de Nossa Senhora da Graça do Divor. Mas a Arquidiocese não a despromove e mantém-lhe a condição de paróquia. Em 1926 a ditadura militar restitui-lhe a autonomia administrativa perdida. O número irá sempre em crescendo até atingir os dois milhares nos tempos da Reforma Agrária. Com a supressão desta e os novos caminhos empreendidos pela agricultura nacional, a freguesia sofreu uma grande hemorragia de gente, que foi principalmente para a emigração.

No último censo a população residente era apenas de 376 habitantes, os quais, no entanto, todos os anos a 15 de Agosto mantêm viva, com denodo e galhardia, a tradicional festa em homenagem a Nossa Senhora da Boa Fé, padroeira da freguesia.


Texto: José Frota

domingo, 12 de setembro de 2010

Comercial/ Évora

A Multipessoal recruta Comerciais (m/f) para prestigiada empresa cliente sediada em Forte da Casa. O nosso cliente é uma multinacional líder na comercialização de produtos e materiais de fixação e montagem para o sector automóvel.

Função:
- Os comerciais terão como principais funções a gestão e prospecção de novos clientes na zona de Évora.

Os candidatos deverão ter o seguinte perfil:
- Escolaridade ao nível do 12º ano (preferencial)
- Experiência anterior na área comercial
- Gosto pelo trabalho por objectivos
- Excelente capacidade de comunicação verbal
- Apetência comercial e de relacionamento interpessoal
- Residência na zona de Évora (factor eliminatório)
- Disponibilidade imediata
- Carta de condução

Oferecemos:
- Possibilidade de progressão na carreira
- Venc. Base + Subs. Alimentação + prémios
- Viatura + Telemóvel (PDA)

Se reúne os requisitos envie-nos o seu CV (com foto actualizada) indicando no assunto a referência "Comercial Évora": cristina.oliveira@multipessoal.pt

sábado, 11 de setembro de 2010

Pelas Ruas de Évora ...



Autor: Rosário Soares

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Tigrala na Sociedade Harmonia Eborense

TEATRO AMADOR EM ÉVORA

Exposição "Alice didn't return" na Igreja de S. Vicente

A Câmara Municipal de Évora inaugura no próximo sábado, dia 11 de Setembro, pelas 17 horas, uma nova exposição na Igreja de S. Vicente, intitulada "Alice didn't return", da autoria de João Concha.
Nesta mostra de pintura e colagem, João Concha apresenta um conjunto de trabalhos que desenvolveu em 2006 a partir de uma pesquisa plástica em redor de Alice, a protagonista dos livros “Alice’s Adventures in Wonderland” e “Through the Looking-Glass”, contos de Lewis Carroll. A personagem Alice, ilustrada no séc.XIX por Sir John Tenniel, é comum a todos os trabalhos, interrogando condições ou situações como a escala, os limites, o plano, a repetição; o suporte enquanto lugar habitado.
João Concha é natural de Évora e vive Lisboa, onde se licenciou em Arquitectura, em 2004, e onde trabalha nas áreas da arquitectura e artes visuais. Tem formação complementar em desenho e ilustração, pelo que tem colaborado com ilustrações para diversas publicações periódicas, como a revista Visão, Big Ode, Alçapão, LeCool e Migalhas, e ilustrado também alguns livros de poesia e obras para crianças. Participa com regularidade em exposições de artes plásticas e de ilustração, expondo também individualmente, sobretudo colagem.
A exposição está aberta ao público 26 de Setembro, podendo ser visitada de terça a sexta-feira, das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 19:00, sábados e domingos das 15:00 às 19:00, e encerra às segundas-feiras.

Cinema em Évora de 9 a 15 de Setembro de 2010 - 18h00 e 21h30

TOY STORY 3

De 9 a 15 de Setembro – 18h00 e 21h30

De: Lee Unkrich
Argumento: Michael Arndt
Género: Animação
Classificacao: M/6
EUA, 2010, Cores

Andy tem já quase 18 anos e, agora que vai entrar para a faculdade, tem de decidir o que fazer com todos os seus brinquedos, que vivem aterrados temendo pelo seu destino…

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Évora Perdida no Tempo - Feira de gado no Rossio de São Brás


Autor José António Barbosa
Data Fotografia 1900 - 1910
Legenda Feira de gado no Rossio de São Brás
Cota GPE454 - Propriedade Grupo Pró-Évora

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Susto com avião da academia de Évora

Um avião da Academia Aeronáutica de Évora, que transportava apenas o piloto e formador da escola, esteve esta tarde em risco de cair no aeródromo da cidade devido a avaria no trem de aterragem.O problema técnico, segundo adiantou ao CM fonte do CDOS de Évora, foi resolvido uma hora depois do alerta quando o piloto sobrevoava o aeródromo para esvaziar o tanque de combustível e minimizar o impacto de explosão em caso de queda.
“O alerta foi registado cerca das 13h30. Aterrou uma hora depois sem causar danos materiais nem vitimas”, informou o CDOS de Évora.
Para o aeródromo foram enviados por precaução 18 bombeiros, apoiados por seis veículos da corporação de Évora e pela equipa do INEM.
Há um ano, no dia 15 de Setembro, a queda de uma aeronave desta academia, perto da aldeia de Sete, concelho de Castro Verde, causou a morte aos três tripulantes, dois alunos holandês de 18 e 20 anos e o formador, de 27 anos e nacionalidade espanhola.

Bacon: A Ponta do Iceberg

Bacon: A Ponta do Iceberg


Fórum Eugénio de Almeida


De 5 de Julho a 3 de Outubro


Apresenta-se um conjunto de 40 desenhos, em vários formatos de papel, que compõe uma galeria de personagens características da iconografia do consagrado pintor irlandês.

Francis Bacon, considerado por muitos como um dos expoentes máximos da arte do século XX, retratou o conflito e a ansiedade, a violência e a tragédia, rasgando o véu das aparências com uma força dramática visceral e poderosa.

A sua obra artística, de singular expressão plástica, apoia-se no retrato para realizar um exercício de representação da condição humana no seu confronto com o Mundo.


Comissários: Edward Lucia-Smith e Massimo Scaringela


Entrada: 1,00€


Horário:
DE 2ª a 6ª feira | 09h30 as 19h00
Sábados, Domingos e Feriados |9h30 as 18h30

Visitas audioguiadas
Visitas guiadas *
Todos os dias.
Mínimo 5 pessoas | Inscrição: 2,50€ por pessoa

Programa para Escolas*
De 2ª a 6ª feira para alunos do ensino pré-escolar, 1º, 2º e 3º ciclos e secundário.

Visitas guiadas com actividades I Inscrição:1,00€ por pessoa.
Ateliers didácticos I Inscrição:1,00€ por pessoa.

Programa para as famílias*
Sábados e Domingos | 11h00
Actividades para crianças dos 6 aos10 anos, acompanhadas por um adulto.
Inscrição: 2,00€ por pessoa I Duração: 1h30.

*Mediante marcação prévia, através do telf: 266 748 350 ou e-mail: servicoeducativo@fea.pt

Bikévora 2010 com novidades




Bikévora está de volta e desta vez disponibilizando também bicicletas destinadas exclusivamente para crianças a partir dos seis anos (1º ciclo).

A 3ª edição do Bikévora vai decorrer este ano de 1 a 5 de Outubro mantendo todas as características que tornaram este evento desportivo no fim-de-semana mais “betetista” de Portugal. No que ao “Passeio da Família” diz respeito, previsto para o Dia da República, a principal novidade é a possibilidade dos mais novos poderem adquirir bicicletas específicas para a sua idade.

Depois do sucesso das edições anteriores do “Passeio da Família”, em que a Câmara Municipal de Évora disponibilizou kits de inscrição com todo o equipamento necessário para a pratica do BTT de lazer, nomeadamente a bicicleta, capacete, camel bag, seguro… etc., este ano tal mantém-se, surgindo, no entanto, as bicicletas destinadas exclusivamente para crianças a partir dos seis anos (1º ciclo).

De resto, o Bikévora 2010, que volta a contar com o apoio dos diversos agentes desportivos do concelho que “trabalham com bicicletas”, irá oferecer uma série de actividades que serão do agrado dos amantes das bicicletas de todo-o-terreno e não só.

Apesar do programa ainda não estar definido, a autarquia voltou assegurar a realização, no dia 1 (sexta-feira), do Passeio Nocturno pelo centro histórico da cidade, organizado pelo BTT Malagueira. No sábado (2 de Outubro) está previsto a realização do 1º Colóquio do Bikévora subordinado aos temas: Ergonomia na Bicicleta e Nutrição/Suplementação, promovido pelo Grupo Desportivo de Santo António (GDSA). Neste dia, terá ainda lugar (21h00/23h00) a 1ª Prova de XCO Urbano/Nocturno (cross/resistência).

Para o domingo, os amantes do cicloturismo terão a possibilidade de participar num passeio pelo concelho de Évora, promovido pelo clube “Os Pedaleiras”, cujo principal objectivo é a divulgação/promoção do Passeio da Família do dia 5 de Outubro e das vantagens da prática desportiva regular em segurança, de preferência em bicicleta.

O Bikévora irá terminar no Dia da República com o Passeio da Família, promovido pelo “Pára e Bebes”, estando a ser ultimado todo o processo de inscrição, em que voltam a estar disponíveis kits que incluem bicicletas, capacetes e camel bags, ou somente a inscrição. Dentro em breve o sítio da internet http://bikevora.cm-evora.pt/default.html revelará mais pormenores.


terça-feira, 7 de setembro de 2010

Tourada em Évora no dia 11 de Setembro de 2010 pelas 21:30


Cavaleiros.
João Salgueiro
Luís Rouxinol

Cavaleiro Praticante:
Tomás Pinto

Forcados Amadores:
GFA Évora
GFA S. Manços

6 Toiros:
Ganadaria Palha

Évora Perdida no Tempo - Parada de Bombeiros


Autor José António Barbosa
Data Fotografia 1888 - 1893
Legenda Parada de Bombeiros
Cota GPE432 - Propriedade Grupo Pró-Évora

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Rouxinol Faduncho na Arena d' Évora



Link: Rouxinol Faduncho na Arena d' Évora

Câmara constrói rotunda no “cruzamento das Piscinas”

Esta obra irá ter impacto não só na fluidez do trânsito, mas também em toda a área de intervenção, já que a empreitada contempla ainda a execução do arranjo dos espaços exteriores.

A Câmara Municipal de Évora deu já início à obra de execução da rotunda no cruzamento da Av. Eng.º Arantes de Oliveira (Av. das Piscinas) com a Av. de Lisboa, procurando com esta intervenção descongestionar a rotunda da Porta da Lagoa, permitindo a viragem à esquerda, ou inversão de marcha, a quem circula da Rua de Serpa Pinto ou da rotunda das Portas do Raimundo.

Esta obra, projectada e executada pelos serviços da autarquia, irá ter impacto não só na fluidez do trânsito, mas também em toda a área de intervenção, já que a empreitada, com um prazo de duração previsto de 3-4 semanas, contempla ainda a execução do arranjo dos espaços exteriores junto à urbanização da Horta da Porta.

A obra, que significará um investimento na ordem dos 50 mil euros, inclui um canteiro com sistema de rega automático, a colocação de bancos de jardim, a plantação de novas espécies de árvores, o reperfilamento do passeio e a redefinição da iluminação pública na zona da nova rotunda.

Esta intervenção será executada por fases, não estando previstos cortes de trânsito, podendo eventualmente ocorrer alguns condicionamentos pontuais, em horários de menor tráfego automóvel, que serão acompanhados pelos respectivos serviços.

domingo, 5 de setembro de 2010

Comercial de Cartões de Crédito - Évora

Reconhecida empresa do sector financeiro, procura comerciais comissionistas para a apresentação e divulgação de um novo cartão de crédito.

Este produto, apresenta uma série de características inovadoras, sendo um dos mais interessantes produtos disponíveis no mercado.

É um produto 100% gratuito, que não tem qualquer custo de subscrição, nem qualquer anuidade.

Permite o pagamento de todas as compras de valor superior a 300 Euros, em três prestações - sem qualquer tipo de juro ou encargos!

As comissões são elevadas, e muito aliciantes, e é de facto um produto de fácil apresentação, dadas as vantagens evidentes que apresenta.

Procuramos parceiros em Évora.

Envie CV para: rh.finicenter@gmail.com

sábado, 4 de setembro de 2010

Templo Romano de Évora




Autor: Nuno Costa

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Agenda Cultural - Setembro

Workshop PIM Teatro

Cinema em Évora de 2 a 8 de Setembro de 2010 - 18h00 e 21h30

COMO GERIR O AMOR

De 2 a 8 de Setembro – 18h00 e 21h30

De: Stephen Belber
Com: Jennifer Aniston, Steve Zahn, Margo Martindale
Género: Comédia Romântica
Classificacao: M/12EUA, 2008, Cores, 94 min.

Quando, durante uma deslocação de trabalho, Sue se hospeda num pequeno motel e conhece Mike( um jovem romântcio e idealista), não poderia imaginar no que a sua vida se iria transformar. Com a sua vida hiper-organizada, Sue não parece estar disposta a quebrar as suas rotinas e embarcar numa relação que, segundo as suas próprias palavras, mais parece um "míssil desgovernado".

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Évora Perdida no Tempo - Cadeiral e Coro Alto de S. Bento de Cástris


Autor José António Barbosa
Data Fotografia 1890 - 1903
Legenda Cadeiral e Coro Alto de S. Bento de Cástris
Cota GPE0306 - Propriedade Grupo Pró-Évora

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O ESPAÇO CELEIROS ABERTO A PROPOSTAS!

O Espaço Celeiros pode transformar-se em muitas coisas: sala de teatro, sala de ensaios de música, sala de concertos, sala de oficina de música, oficina de dança, sala de exposição...e muito mais. A Associação PédeXumbo tem um espaço e quer pô-lo a disposição de gente com ideias, criatividade e vontade... Assim, se tem um projecto, uma ideia, se quer dar aulas de instrumentos, ensaiar com um grupo, redecorar o espaço, propor uma oficina com crianças, etc., seja qual for o projecto, a partir de Setembro, a PédeXumbo está aberta a propostas. Envie o seu projecto e a sua disponibilidade para charlotte@pedexumbo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...