sexta-feira, 31 de maio de 2013

O Solar dos Condes de Portalegre

Não tem origens bem conhecidas o belo e elegante Solar dos Condes de Portalegre, situado na Freiria de Cima, em adjacência às antigas cavalariças do Paço dos Condes de Basto e em posição frontal às traseiras da velha Catedral. Tudo indica porém que, como tudo naquela zona, terá pertencido nos seus primórdios à muralha defensiva erguida pelos cavaleiros monges da Ordem de Santiago de Calatrava e depois aos domínios de D. Nuno Álvares Pereira.
Terá sido entregue por D. Manuel a D. Diogo da Silva Menezes, seu aio enquanto duque de Beja e depois como rei, que sendo da sua máxima confiança lhe viu atribuído o cargo de Mordomo-Mor do Reino e o título de 1º. conde de Portalegre. Devido às funções que ocupava, o monarca entregou-lhe o pequeno palacete como casa de residência. Supõe-se que o palacete terá passado para a posse dos Silvas, fidalgos espanhóis, em vésperas da perda da independência e em circunstâncias deveras fortuitas.
Aconteceu que Filipa da Silva, 4ª. Condessa de Portalegre, recebeu autorização real para poder receber terras, bens e títulos de seus pais, dado que a Lei Mental de D. Duarte proibia a habilitação aos mesmos por parte de herdeiras femininas. Do seu primeiro casamento não houve descendência, pelo que a fidalga voltou a consorciar- se, desta feita com o embaixador espanhol, Juan de Silva, Conde de Salinas, que passou a ostentar o título de Conde de Portalegre e, a partir de certa altura, a morar no solar da família.
Depois de ter sido muito influente no curto reinado (dez anos) de D. Sebastião, Juan da Silva revelou-se, no período de transição em que o Cardeal D. Henrique ocupou o trono, como um forte apoiante das pretensões de Filipe II de Espanha à coroa de Portugal. Consumada a anexação por parte espanhola, o monarca integrou-o no Conselho de Regência, nomeando-o em 1593 capitão geral das gentes de guerra do Reino e Governador do Reino de Portugal entre esse mesmo ano e o de 1599, ano em que terá falecido.
Os Condes de Portalegre mantiveram-se fieis a Castela, mas com a Restauração caíram em desgraça e desapareceram em 1686, com a morte sem descendência do seu último representante. O edifício foi então alienado em favor do cónego Luís de Melo, tendo ido parar depois às mãos de familiares do arcebispo de Évora D. João Coutinho, e posteriormente à posse de D. João de Aguiar, bispo de Bragança, nele nascido (1796) e falecido (1875). Daí para cá não foi possível encontrar rasto dos proprietários e ocupantes seguintes. Notícias relativas à ocupação de tão bela mansão só vêm a conhecer-se em inícios do século passado, sabendo-se que foi objeto de troca entre duas opulentas proprietárias rurais: Maria Inácia Braancamp de Matos Vilardebó, moradora na Praça do Giraldo, acedeu permutar o seu imóvel pelo Solar dos Condes de Portalegre com outra dama, cujo nome a memória coletiva não preservou mas que pretendia morar na grande praça da cidade.
Maria Inácia Vilardebó casou com o engenheiro Henrique da Fonseca Chaves, que veio trabalhar para Évora e foi presidente da Câmara Municipal nos anos 40. Parte do edifício funcionou como delegação da Inspecção Geral dos Produtos Agrícolas e Industriais e, em 1949, foi sede provisória da Legião Portuguesa, conforme relata à época a imprensa local. Embora o casal tivesse tido quatro filhos, foi o primogénito João Ricardo Vilardebó Fonseca Chaves quem herdou o Solar, que tem estado regularmente habitado para evitar males maiores, nomeadamente durante o PREC, em que por diversas ocasiões esteve para ser ocupado. João Ricardo faleceu em 2004, deixando oito filhos que não se têm entendido quanto ao destinado a dar-lhe. Diversas candidaturas a fundos comunitários para a sua requalificação como turismo de habitação não surtiram efeito.
A alienação em favor de quem queira pagar o justo preço pelo seu valor é, por isso, o futuro mais provável segundo os próprios herdeiros. E enquanto não surge o comprador ideal, de preferência espanhol como fazem questão de acentuar, e é necessário assegurar a sua manutenção e evitar o mais possível a inexorável deterioração, o Solar está cedido graciosamente à Associação Oficinas de Comunicação, uma entidade privada sem fins lucrativos que desenvolve projetos e atividades para adultos, jovens e crianças nas áreas do Ambiente, Agricultura Biológica e também das Artes.
Texto: José Frota

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Dia da Criança comemorado em Évora

 
 
A Câmara Municipal de Évora, com o apoio de várias entidades, dinamiza um conjunto de atividades no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Criança, que terão lugar no próximo dia 31 de maio, entre as 9:30 e as 13 horas, no parque infantil do jardim público de Évora.

Jogos lúdico-pedagógicos, histórias, fantoches, experiências científicas, ateliês diversos, dança, pintura, segredos de magia, pinturas faciais, são algumas das atividades que esperam as crianças nesta manhã.

Sob o lema “Caldeirão de palavras” os mais novos terão oportunidade de realizar o Jogo de associação de letras; escutar a história “Quem será o meu jantar?” (sessões às 9:40 e 11:50); e conhecer a fantasia de fantoches (sessões às 11:00, 12:00 e 12:20).

Através dos “Pós mágicos do património” conhecerão a história e participarão nos jogos sobre “Geraldo sem Pavor”; no Jogo das oralidades; e no Jogo de memória com instrumentos tradicionais portugueses.

O Feiticeiro das línguas oferece-lhes o Magic Bingo e o Fortune Teller, mas também o Dragão da matemática; a Roleta da matemática; os Jogos matemáticos; o Jogo da Glória; e A magia dos números.

Por intermédio da Varinha do mundo irão entrar no Jogo Roteiro dos heróis; no Jogo País forte, país sábio; no Laboratório do professor Pardal (experiências); e conhecer a Roda dos alimentos- uma alimentação saudável.

A Fada da Cidadania irá presenteá-los com um Percurso rodoviário: De casa para a escola com a Fada da Cidadania; e com A aventura dos sentidos.

No Tapete mágico do movimento terão oportunidade de se deliciar com o Magic Gymn; e Jogos tradicionais.

Têm também o Gigante da Música que inclui Ateliê de instrumentos musicais; Sessão didática de instrumentos (9:30-10:00); e A magia da música.

Nos Segredos da dança o Hip hop (10:20) é o tema escolhido e na Poção da expressão haverá Jogo de mímica; Dramatização da peça “O som das cores” (sessões às 10:00 e 11:30); e o Jogo “Quadro mágico”.

O programa conta igualmente com os Feitiços de papel em que terá lugar a Construção de chapéus de feiticeiros e outras artes (limitação de participantes); os Segredos da magia onde serão ensinados Truques mágicos (limitação de participantes); os Brinquedos de encantar e ateliê de pintura (Ludoteca); O cantinho da fotografia (Ludoteca) e as Pinturas faciais (9:30-11:00).

quarta-feira, 29 de maio de 2013

terça-feira, 28 de maio de 2013

Parque Fotovoltaico avança nos terrenos do antigo aterro sanitário


A Câmara Municipal de Évora assinou  um protocolo com a Glintt - Global Intelligent Technologies para cedência de direito de superfície de parcela de terreno com vista à instalação de um parque fotovoltaico, dando assim novo uso ao local do antigo aterro sanitário, na Herdade da Barbarrala (Freguesia da Horta das Figueiras). Trata-se de mais um importante investimento para Évora no domínio das novas tecnologias.
 
Recorde-se que a proposta que deu origem a este protocolo mereceu aprovação unânime na reunião pública da Câmara Municipal de Évora datada de 28 de Setembro de 2011. Isto porque o terreno em causa não é próprio para construção, porém é viável para este tipo de utilização, sendo esta decisão de significativa importância, pois permite o aproveitamento daqueles solos e contribui também para gerar emprego.

Segundo o contrato de constituição de direito de superfície, o qual vigorará por um período de 25 anos, a empresa pagará à Câmara uma renda anual de 12.996,00 euros devida pela aquisição do direito de superfície do terreno, a partir do primeiro ano de arranque do sistema instalado de produção de energia.

 
Esta empresa portuguesa da área das novas tecnologias, com atuação tanto em Portugal como no estrangeiro, irá concretizar no referido local um investimento de 4 milhões de euros com a construção de um parque fotovoltaico com 35.000 metros quadrados e 2880 painéis solares, destinado à produção de energia elétrica para venda. A Glintt - Global Intelligent Technologies resulta da fusão da ParaRede e da Consiste, possuindo quatro áreas de negócio, uma delas a Glintt Energy, que tem sede em Évora e é responsável pelo referido projeto.

 
No entanto, outro aspeto que o parque potencia de relevante interesse, segundo o CEO da Glintt, Manuel Mira Godinho, é “criar uma linha de novos produtos no domínio das energias renováveis em conjunto com a empresa Lobo Solar que permite vender a nível internacional”, havendo já diversos mercados em perspetiva.

O projeto, salientou o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Manuel Melgão, “é um investimento de quatro milhões de euros em tecnologia de ponta e Évora é muito virada para as novas tecnologias, sendo esta área das energias renováveis importantíssima no desenvolvimento de uma cidade que queremos que Évora seja”.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

domingo, 26 de maio de 2013

Médico com experiência em Medicina do Trabalho - Évora


O S24 Group é um grupo empresarial que engloba várias empresas na área dos serviços de saúde. No seguimento da sua política de expansão pretende recrutar Médicos com experiência em Medicina do Trabalho (M/F) para Lisboa com o seguinte perfil: 

- Licenciatura em Medicina; 

- Especialidade ou Pós-Graduação (preferencial); 

- Experiência na função de Medicina do Trabalho; 

- Disponibilidade para deslocações; 

- Flexibilidade de horários; 

Se quer fazer parte da nossa equipa, envie-nos a sua candidatura (CV) para Soraia Baeta,

    sbaeta@s24group.com

sábado, 25 de maio de 2013

Ecopista (a partir da cidade, em direcção a Arraiolos)



A ECOPISTA constitui o principal percurso pedestre que passa pela cidade de Évora, utilizando o antigo ramal ferroviário para Arraiolos e Mora. Na zona urbana, a  ECOPISTA é em tapete de betão betuminoso, para permitir a sua utilização a pessoas com mobilidade reduzida.

Desenvolvendo-se desde o Chafariz d'El Rei, em Évora, até à Herdade da Sempre Noiva, numa trajecto de cerca de 21km, tendo depois continuidade nos concelhos de Arraiolos e Mora, numa extensão total de 60km. 

Parte da ECOPISTA é utilizada no Percurso da Água da Prata, já referido. Mais informações sobre a ECOPISTA, no Posto de Turismo.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

quinta-feira, 23 de maio de 2013

quarta-feira, 22 de maio de 2013

“Encontro Lado a Lado” no palácio de D.Manuel



A Câmara Municipal de Évora promove dia 23 de maio o “Encontro Lado a Lado”, entre as 9 e as 17 horas, no Palácio de D. Manuel, ação com que finalizará  o projeto, a decorrer desde 2011, conducente à elaboração do Plano Municipal para a Igualdade. 

Esta candidatura, que teve como objetivo principal diagnosticar e propor medidas promotoras da igualdade de género no município, constituiu  também uma significativa oportunidade  de partilha de competências com outras entidades que trabalham em prol da mesma temática.

Nesse sentido, o “Encontro Lado a Lado” permitirá, para além da abordagem mais especifica  e relacionada com a violência doméstica,  a apresentação de boas práticas em torno da promoção da  igualdade de género nas autarquias, nas associações e na educação.

A sessão de abertura conta com a participação da Vereadora da Câmara Municipal de Évora, Cláudia Sousa Pereira e da Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Fátima Duarte.

As inscrições são gratuitas e poderão ser enviadas para: palavraj@cm-evora.pt  ou  cmevora.mpolicarpo@mail.evora.net   ou para Câmara Municipal de Évora, Praça  do Sertório – 7000 Évora, até dia 21 de maio.


terça-feira, 21 de maio de 2013

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Presidente da Câmara acompanha de perto a limpeza da cidade


A preocupação com a qualidade do trabalho foi o principal motivo que levou o autarca a efetuar esta visita de rotina, aproveitando também para tomar conhecimento de algumas questões práticas que urgem resolução por forma a otimizar mais os meios.

“Fiquei agradado, vejo que os funcionários estão a incorporar o espírito de manter uma maior preocupação de limpeza e dizem-me que já há reações positivas de munícipes ao verem que o trabalho está a desenvolver-se numa ação integrada”, explicou o Presidente Manuel Melgão, após a visita.

Frisou também um aspeto crucial, o facto de existir “uma preocupação mais acentuada de um maior trabalho em equipa”, por que “é preciso fazer, logo a seguir ao corte das ervas, a limpeza dos resíduos e isso é uma preocupação que está ali muito subjacente, pois há umas equipas que tem uma função mista, repartida por meios mecânicos de atuação - trator e moto-roçadouras - e logo a seguir apanhar todos os resíduos e carregá-los, para que não se espalhem e comprometam o serviço já feito”.

 
Em relação à falta de meios humanos, dificuldade que se tem acentuado nos últimos anos com a saída de trabalhadores por motivos de reforma e o impedimento por lei de contratar novos, o Presidente reconhece: “estamos com as equipas diminuídas e a nossa capacidade de resposta está condicionada ao nível da quantidade, agora o que temos de melhorar é a nossa qualidade para colmatar isso, o que passa por ter os trabalhadores motivados para este trabalho de equipa que é necessário e agradou-me ver que ele está a ser feito no terreno”.

domingo, 19 de maio de 2013

Comercial (M/F) - Évora


A Talenter™ promove o talento dos seus colaboradores de acordo com a natureza específica de cada área, proporcionando diferenciadas oportunidades de emprego e soluções na gestão e valorização das pessoas. 

Estamos atualmente em processo de recrutamento de Comercial para prestigiada Empresa de Telecomunicações situada na zona de Évora. 

Requisitos: 
- Forte capacidade na gestão de prioridades; 
- Gosto pelo trabalho em equipa; 
- Gosto pelo trabalho por objetivos; 
- Boa capacidade de comunicação; 
- Boa apresentação; 
- Ótima capacidade de argumentação; 
- Disponibilidade imediata. 

Condições: 
- Integração em equipa jovem e dinâmica; 
- Formação inicial remunerada; 
- Contrato de Trabalho; 
- Vencimento base + Sub. de Alimentação + sistema de comissões aliciante; 
- Oportunidade de progressão de carreira. 

Junte-se a nós e desperte o seu talento! 

Caso reúna os requisitos exigidos, envie o seu Curriculum Vitae para


mencionando no assunto da mensagem “Comercial – Almada e Seixal” ou contacte-nos através do 265 730 858. 

sábado, 18 de maio de 2013

Hoje é o Dia Internacional dos Museus



18 de Maio
Tema: “Memória + Criatividade = mudança social”

PROGRAMA:
18 de maio
15:00-17:00
Arqueo–lego no Páteo das romãs, construções em lego inspiradas nos monumentos da cidade - Atividade lúdica interativa no Páteo das romãs/Convento dos Remédios

20 de maio
18:30
Apresentação da vertente multimédia do Roteiro Fotográfico Oitocentista, no Arquivo Fotográfico (Rua Diogo Cão)
Parceria: Câmara Municipal de Évora/Divisão da Cultura/Arquivo Fotográfico | Direção Regional de Cultura do Alentejo

20 a 24 de maio
9:30-12:30 / 14:00-17:00
Como criar um contador de água? Ateliê de construção de maquetas,  Unidade Museológica CEA, Rua do Menino Jesus.

Vídeo promocional sobre a oferta educativa da Escola Secundária

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Anta do Zambujeiro (cerca de 12km de Évora, em direcção das Alcáçovas)


Um importante monumento megalítico no concelho de Évora é a Anta Grande do Zambujeiro, também ela situada a cerca de 12Km de Évora, perto de Valverde (estrada nacional Évora-Alcáçovas ou estrada municipal a partir de Guadalupe), na Herdade da Mitra (polo da Universidade de Évora).  Foi descoberta em 1964, também pelo arqueólogo Henrique Leonor Pina.

A Anta é um dos maiores monumentos megalíticos da Península Ibérica e foi construída entre os início do IV milénio e meados do III milénio a.C. tendo continuado a ser utilizada pelas comunidades agro-pastoris do Neolítico, durante séculos (até à Idade do Bronze,  por volta 1.500 a.C., isto é foi utilizada por mais de 2.000 anos) como local de enterramento dos seus mortos, assim como servirindo de santuário. Nas escavações realizadas encontraram-se um vastíssimo espólio, actualmente depositado no Museu de Évora, como cerâmica, pontas de setas, machados, pedras gravadas, joalheria pré-histórica.

A Anta encontrava-se totalmente recoberta por terra, facto que explica apenas ter sido tão tardiamente descoberta, e é composta por um corredor de 12 metros que leva a uma câmara funerária construída com 7 longos esteios de granito, com cerca de 5 metros de cumprimento, sobre os quais estava colocada uma laje, o que faz com que o diametro desta câmara tenha 50 metros.

É possível visitar este monumento de bicicleta, de carro ou integrada na visita guiada ao Cromeleque dos Almendres, com acompanhamento de um arqueólogo.

Edição: Pensão Policarpo Revisão: Marta Nunes Ferreira (Historiadora de Arte)

Crise: Gado e hortícolas dão sustento e qualidade na alimentação

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Teatro - "Pistolas, Pilantras e Problemas"


 
Um ator intrepreta um ator que interpreta uma personagem que por sua vez interpreta uma outra personagem, e contracena com um segundo ator, que interpreta outro ator a interpretar outra personagem. Dito desta forma parece confuso, mas é muito simples: a história tem uma quase pistola, dois pilantras e uma infinidade de problemas. E dois atores para tentar resolvê-los sem perder a cabeça.
Tudo muito banal, dentro dos parâmetros da normalidade: afinal, quem nunca esteve num assalto a um banco?
 
Textos Originais: Suzanna Rodrigues
Encenação: Ricardo Alves
Interpretação: Ivo Luz e Tiago Lourenço  
Design: Cristovão Carvalheiro
Produção: Porta 27
 
Junte boa disposição e vontade de trabalhar em partes iguais, misture bem com um grupo de jovens desejosos de mostrar o que valem e polvilhe com muito esforço e dedicação: eis a receita da Porta 27!
Depois de confirmar a dificuldade que é chegar ao sucesso na área da Cultura, decidimos que desistir é para os fracos e pusemos mãos à obra para criar uma infra-estrutura capaz de apoiar todos aqueles que, como nós, não perdem a vontade de trabalhar nas Artes.
Criámos esta Associação com o objectivo de promover o intercâmbio de conhecimento entre as diferentes áreas deforma a construir um projecto comum. Deste modo, e com a ajuda de especialistas em cada uma das diferentes áreas, temos a garantia de proporcionar ao nosso público um trabalho de elevada qualidade a um valor bastante reduzido.
Assim, atores, encenadores, músicos, cenógrafos, sonoplastas, luminotécnicos e dramaturgos podem trabalhar em conjunto nas suas áreas de formação e no que realmente gostam de fazer, e o público tem uma oferta muito mais diversificada e acessível à Cultura.


"O espectáculo chama-se “Pistolas, Pilantras e Problemas”, é uma comédia para M/16 e esteve no Rivoli, no Porto, durante a segunda quinzena de Janeiro. Neste momento já podemos dizer que vários locais nos aguardam devido ao feedback do espectáculo. A vertente cómica da companhia tem vindo atrair público. Temos feito várias produções, quase todas as últimas apresentadas no Rivoli e outra no Teatro Campo Alegre, encomendado pelo Serviço Educativo. Este ano ganhámos um concurso do “Visões Úteis, ou seja, somos a companhia associada durante os próximos 2 anos, o que também tem acesso a isso tudo no site da companhia: www.porta27.pt.vu"


Pistolas, Pilantras e Problemas
Local: a BRUXA teatro, Espaço Celeiros, Rua do Eborim, 16 - Évora
Datas: 18 de maio
Horário: 21:30h
Bilhetes: 5€
Reservas: abruxateatro@gmail.com
266 747 047
Organização: aBt/Acolhimento

Postais Antigos: Azulejo da Igreja da Casa Pia

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Projeto Malagueira começou há três décadas e meia





Três décadas e meia são decorridas desde que o arquiteto Álvaro Siza Vieira aceitou o convite da Câmara de Évora para projetar o conhecido e polémico bairro da Malagueira, que viria a ser premiado internacionalmente e, em contraste, alvo de múltiplas críticas e reparos internos, por colidir frontalmente com o tipo de construções medievais ou tardo-medievais que caraterizam o Centro Histórico, o qual seria classificado pela UNESCO como Património Mundial.

No sentido de pôr cobro à falta de habitação na cidade, ditada sobretudo pela afluência de grande número de trabalhadores rurais e de gente oriunda das antigas colónias, a Câmara Municipal colocou em marcha um
Plano de Expansão da Zona Oeste, para execução do qual expropriou 27 hectares da propriedade denominada de Quinta da Malagueira, situada entre o bairro de Santa Maria e a estrada das Piscinas, terreno anteriormente pertencente ao Conde da Ervideira.

Pretendia a edilidade mandar construir naquela superfície um bairro original de elevada densidade habitacional e larga mescla de classes sociais e estratos profissionais. Para justificar a escolha de Siza Vieira o município teve em conta o seu trabalho de experimentação em 16 projetos residenciais participativos, todos na área do Porto, e o seu gosto pelo trabalho, inovador para a época, bebido projeto Malagueira começou há três décadas e meia na obra do arquiteto finlandês Alvar Aalto (1898-1976), figura grada do modernismo internacional e apologista do desenho de edifícios de base racional e geométrica assentes numa grande sobriedade de linhas.

Neste projeto experimental, a única imposição que a Câmara fez foi a de que as moradias deveriam ser unifamiliares. O arquiteto decidiu-se então pela conceção de um bairro de mil e duzentas casas em banda ou geminadas, de grande luminosidade, em que se prescindia da  telha e se optava pelo terraço como forma de cobertura, cujo desenvolvimento e execução esteve em grande parte a cargo das Cooperativas Giraldo Sem Pavor e Boa Vontade, que edificaram no total 652 fogos. Ao FFH (Fundo de Fomento da Habitação) foram atribuídos 400 fogos e uma pequena quantidade de lotes foram vendidos a particulares, que assumiram o compromisso de respeitar o plano-tipo gizado por Siza Vieira.

Elemento fulcral em todo o projecto era a construção de um “aqueduto” que tinha por objectivo conferir identidade ao bairro e ligá-lo simbolicamente à cidade, e servir como galeria de infra-estruturas, destinada a albergar os canais essenciais à distribuição de água, eletricidade, telefone e televisão, substituindo-se à tradicional rede subterrânea. Como espinha dorsal da contiguidade residencial este deveria receber em fase posterior uma cúpula na qual se situariam um restaurante, um centro comercial, um hotel e uma casa de chá, dando origem a uma nova centralidade. 

Foi igualmente criado um dique de que resultou um largo de grandes dimensões na zona de confluência dos dois ribeiros que atravessam o bairro. Sobre o seu ponto de união, um pouco antes do dique foi erguida uma ponte de alguma espetacularidade e cujas escadas proporcionam o acesso a áreas naturais de grande beleza, onde predominam os espaços verdes, os baldios e outros de arborização contínua.


A concretização do projeto no terreno iniciou-se, ainda no final da década de 70, com a construção dos fogos do IGAPHE (Instituto de Gestão e Alienação do Património Habitacional do Estado), por extinção do Fundo de Fomento da Habitação. Mas os problemas começaram pouco depois, dado que a fraca qualidade inicial dos materiais de construção e a demora no tempo de construção, por dificuldades diversas, fizeram com que as casas se começassem a degradar antes mesmo da sua ocupação.

Por outro lado, a primitiva inadaptação da etnia cigana a tal tipo de habitação provocou a inadequação
do seu uso e o aparecimento de conflitos vários com a restante população. Os problemas foram-se sucedendo. A dimensão das ruas, que inicialmente haviam sido congeminadas apenas para utilização pedonal, não ultrapassando em certos casos os 4 a 6 metros, teve de ser revista e progressivamente ajustada ao trânsito automóvel. Como não havia espaço e as garagens eram poucas e utilizadas como depósito de arrumações, estabeleceu-se o estacionamento de um só lado, com a natural confusão daí adveniente.


Com as Cooperativas, Siza Vieira manteve sempre o diálogo com os seus futuros utentes, quer antes quer durante o processo de construção, escutando e satisfazendo no essencial os seus desejos ou preocupações, o que motivava permanentes correções. Assim, o primitivo muro das casas, que estava programado para não exceder os dois metros e meio (com exposição à rua), pôde subir mais um metro por imposição dos futuros moradores, desejosos de manter intacta a sua privacidade e garantir a sua segurança. Também a rudeza estética de acabamentos do “aqueduto”- grosseiramente construído em blocos de betão - se tornou gradualmente mais notória à medida que ia sendo levantado e causava igualmente o desagrado dos habitantes, que o preferiam ver pintado, e a reprovação da crítica da especialidade.

O processo experimental de Siza Vieira havia contudo suscitado a curiosidade e a controvérsia no mundo da arquitetura. O arquiteto de Matosinhos já gozava de alguma notoriedade internacional antes de projetar e desenhar o bairro da Malagueira, razão pela qual o projeto moderno e racionalista em curso em Évora concentrou a atenção e análise dos grandes arquitetos e se tornou objeto de diversos estudos, visitas, teses de mestrado e doutoramento. Não foi motivo de estranheza que depois do reconhecimento internacional o bairro tivesse começado a receber visitantes de toda a parte, nomeadamente estudantes, interessados em tomar contato in loco com esta aventura urbana fora do comum.

Em meados de 1996 percebeu-se que o bairro se preparava para entrar em fase de estagnação. As moradias estavam concluídas mas não havia dinheiro nem investidores com capacidade para a conclusão dos espaços públicos. Entre a construção dos primeiros fogos e os últimos mediavam cerca de 16 anos, não tendo sido possível gerar uma forte dinâmica construtiva. A degradação de certas zonas, conjugada com o abastardamento de muitas casas, que haviam sofrido transformações sem critério mas que, no entender dos seus proprietários, contribuíam para uma fruição mais adequada, retiraram- lhe coerência e equilíbrio morfológico.



Os espaços verdes começaram a acusar o desleixo de quem deles devia cuidar. A Câmara Municipal entrou a negligenciar o seu aspeto exterior. O próprio Siza Vieira, assoberbado com outros trabalhos de muito maior monta e ambição, deixou de vir a Évora com a frequência habitual, pois já não existia qualquer possibilidade de desenvolvimento do processo a acompanhar. O prestígio de um bairro que começou debaixo de grandes expectativas não se veio a consolidar e permanece hoje apenas como um complexo residencial periférico.

Foi há 35 anos que tudo começou. Relembramos em breve síntese os principais elementos caraterizadores do projeto e a sua evolução ao longo desse tempo. Apreciações críticas não cabem aqui por este não ser o espaço adequado para o efeito. Imperioso é ter em conta que este foi simultaneamente um processo de matriz artística, social e política e, em consequência, envolto em grande controvérsia. De qualquer forma, foi um ensaio, uma experimentação que terá valido a pena ousar. Pensado para ser apenas e só um bairro, teve o mérito de se transformar na maior freguesia do concelho, embora não tenha logrado afirmar-se como um espaço de forte coesão social.


Não obstante as suas fragilidades é completamente lícito afirmar, na esteira de Paulo Baldaia em artigo publicado em 2006 na revista “L’Architecture d’aujourdhui”, que o bairro da Malagueira «é uma das incontestáveis obras da modernidade portuguesa que o tornam num elemento prestigiante para a cidade». E faz parte do roteiro das obras de Álvaro Siza Vieira, um dos mais consagrados arquitetos de todo o mundo. Sendo diferente, acaba por ser único. Assim sendo, ao menos por isso, só por isso, merecia nestas páginas o registo da efeméride.





Texto: José Frota
Fotografias: Carlos Neves

Dança - "Atractor Estranho"

 
"Atractor Estranho"
 16 de maio - Igreja de São Vicente
21:30
 
 
A Colecção B, Associação Cultural acolhe no âmbito dos Ciclos de São Vicente o espetáculo "Atractor Estranho" de Pedro Ramos. Um espetáculo onde o corpo e o pêndulo dançam pelo espaço numa dialética de contrastes, movendo-se num caos que cria entre si uma harmonia espantosa.

Organização: Colecção B, Associação Cultural
Apoios: Câmara Municipal de Évora | Recicloteca | O Registo
Contacto: 266 704 236 | | 919 306 951 | colb@escritanapaisagem.net
Web page: http://www.escritanapaisagem.net
Inf. Extra: Preço - 5 € (geral) | 3€ (estudantes, reformados e desempregados)

terça-feira, 14 de maio de 2013

Cinema - “Em Honra de São Gualter” e “Martins Sarmento - o tempo passado é já tempo futuro”


“Em Honra de São Gualter” e “Martins Sarmento - o tempo passado é já tempo futuro”
 15 de maio - Auditório Soror Mariana (Rua Diogo Cão, 8)
Sessões às 18:00 e 21:30
 
“Em Honra de São Gualter” (60 min.) é um documentário de Rui Simões, que retrata os festejos em honra de Frei Gualter, enviado por São Francisco de Assis para Guimarães por volta de 1213. A devoção crescente a este frade franciscano levou à fundação da fundação da Irmandade de São Gualter em 1577. “Martins Sarmento - o tempo passado é já tempo futuro” (55 min.), de Jorge Campos, é uma curta-metragem sobre Martins Sarmento, que é uma das figuras proeminentes da vida cultural e científica da segunda metade do século XIX. Nascido em Guimarães no seio de uma família abastada, após estudos de Direito em Coimbra, enveredou pelo estudo da Etnografia e da Arqueologia.

Organização: Cineclube da Univ.Évora | Pátio do Cinema - SOIR Joaquim António d’Aguiar
Apoios: Universidade de Évora | Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura | ICA/SEC - Rede Alternativa de Exibição Cinematográfica | Associação de Estudantes da Universidade de Évora | Fundação INATEL, Federação Portuguesa de Cineclubes | Perspectiva – Impressão Digital
Inf. Extra: Inserido no Ciclo Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura.

Postais Antigos : Casa Soure

Caminhada "Um passo pelos Afectos, um passo pela Não Violência "


 
Caminhada "Um passo pelos Afectos, um passo pela Não Violencia "
18 de maio - Praça do Giraldo
9:00-12:00
 
Organização: Caritas Diocesana | APPACDM | CM Évora | Grupo de Caminheiros de Évora
Contacto: nav.evora@gmail.com
Inf. Extra: participação - 1€

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Air Olesa assinou contrato promessa de compra e venda de terreno para a nova fábrica

A Air Olesa - Sistemas e Componentes Aeronáuticos, SA assinou sexta-feira, dia 10, nos Paços do Concelho de Évora o contrato promessa de compra e venda do terreno destinado à construção da sua nova fábrica que irá produzir componentes destinados à indústria aeronáutica. O referido documento foi assinado pelo Administrador do grupo português Air Olesa, José Leite Pinto, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Évora, Manuel Melgão.
Recorde-se que esta unidade de fabricação de peças maquinadas e sistemas para a indústria aeronáutica e moldes de aço para outros sectores de atividade ficará instalada no Parque da Indústria Aeronáutica de Évora, sendo o valor do investimento superior a 2,5 milhões de euros e, empregando, no ano cruzeiro, cerca de meia centena de funcionários.
Assinado o contrato, o próximo passo incidirá na elaboração o projeto para iniciar a obra, prevendo-se que este seja concluído durante o Verão, seguindo-se depois a procura de financiamento junto do QREN. Saliente-se também que este projeto recebeu já a classificação da autarquia eborense como de Potencial Interesse Municipal (PIM) na reunião pública extraordinária da Câmara que teve lugar em 17 de Dezembro de 2012. Nessa ocasião, foi aprovado por unanimidade que o projeto a desenvolver pela Air Olesa fosse considerado como Projeto de Potencial Interesse Municipal (PIM), beneficiando, por isso, dos apoios e incentivos previstos no Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes para Instalação de Atividades Económicas.
São PIM os projetos classificados como de Potencial Interesse Nacional (PIN) e/ou Potencial Interesse Nacional de Importância estratégica (PIN+) que se localizem no concelho de Évora; e os projetos dos diversos sectores de atividade económica, cujo investimento seja superior a 2.500.000 euros e que criem mais de 50 postos de trabalho, sendo que 50% terão que corresponder a trabalho qualificado. Devem também apresentar um impacto positivo em dois dos seguintes indicadores: produção de bens transacionáveis de carácter inovador; efeitos de arrastamento a montante e a jusante, nomeadamente no que se refere a contratos de fornecimento celebrados com micro, pequenas e médias empresas do concelho de Évora; cooperação com entidades regionais do sistema científico e tecnológico, juridicamente comprovadas; e inserção em estratégias de desenvolvimento regional ou local nomeadamente integração nos sectores e fileiras económicos considerados prioritários nos Planos Regionais e Municipais de Ordenamento do Território.
No caso concreto, a Air Olesa tem sede social no concelho de Évora, o investimento a decorrer no período entre 2013 e 2015 ascende a mais de dois milhões e meio e o número de postos de trabalho a criar é superior a meia centena, sendo na sua maioria qualificados. Além disso, a unidade a construir enquadra-se na produção de bens transacionáveis e a indústria aeronáutica insere-se na fileira económica considerada prioritária no âmbito do Plano Diretor Municipal, que elegeu como desígnio estratégico fazer de Évora um território qualificado, dinâmico, atrativo e com elevada qualidade de vida. -

Crise ajuda costureiras e sapateiros a sobreviver

domingo, 12 de maio de 2013

Exposição - "Um Outro Olhar - II"




"Um Outro Olhar - II"
25 de abril a 31 de maio
Sociedade Recreativa e Dramática Eborense (Antiga Mocidade)

Terça a sábado: 15:00-23:30 | domingo e segunda: 19:30-23:30
   
Exposição de fotografia de Joaquim Carrapato, fotógrafo amador. Este trabalho fotográfico pretende mostrar a Praça de Giraldo vista de dentro para fora, através dos ferros forjados das sacadas das janelas. Integrada nas comemorações do 116º aniversário da Sociedade Recreativa e Dramática Eborense.

Organização: Sociedade Recreativa e Dramática Eborense
Apoios: Freguesia de Santo Antão | Câmara Municipal de Évora
Contacto: 266 703 284 | srdeborense@gmail.com
Web page: http://evorapromundo.blogspot.com
Inf. Extra: Entrada Livre

Recruta-se Nutricionista/Dietista para Zona de Évora


A Nutriconcept SA, empresa do Grupo Biocol, recruta Nutricionista/Dietista para realização de Consultas de Nutrição segundo os Protocolos da Nutriconcept bem como contribuir para a sua angariação. 

Requisitos: 
- Licenciatura em Ciências da Nutrição ou Dietética e Nutrição; 
- Inscrição na Ordem dos Nutricionista; 
- Carta de Condução e viatura própria. 

Envio de Candidaturas para o email


com o título "Recrutamento Nutriconcept Zona Évora". 

Quatro mil jovens católicos da Diocese de Évora reuniram-se em torno da fé

Hortas urbanas de Évora com mais 135 parcelas

sábado, 11 de maio de 2013

Exposição de ilustração científica e artística “Desenhos Habitados”

 
A Câmara Municipal de Évora inaugurou ontem no Palácio de D. Manuel, uma exposição de ilustração artística intitulada “Desenhos Habitados”, organizada por Manuela Cristóvão, Professora Auxiliar do departamento de Artes Visuais e Design da Escola de Artes da Universidade de Évora, com o apoio da autarquia. O conjunto de desenhos apresentados nesta mostra pretende despertar a curiosidade aos seus visitantes.
 
As imagens representam mundos onde habitam, não só o que é representado com rigor na ilustração científica, mas também imaginários criados pelos artistas e autores de textos ilustrados. Deste modo, cada espectador sentir-se-á também parte do espaço habitado e agora observado, passando também a habitar a imagem através do seu imaginário, de forma consciente ou inconsciente, mais ou menos sensível e envolvido. Todos conhecemos o desenho como recurso ou forma de registo de um momento real ou imaginário, como processo de materializar uma ideia ou como meio de criação.
 
O exercício do desenho e a sua prática contínua, torna-o uma ferramenta precisa e flexível para uma representação com carácter científico ou potencializando o trabalho de conceção e execução de narrativas, como acontece na ilustração em livro ou em filme. A entrada na exposição é livre, estando aberta de segunda a sexta-feira, das 10:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:00, encerrando aos domingos todo o dia e aos sábados apenas na parte da manhã. -

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Workshop "Filho de Peixe sabe Ler"



Workshop "Filho de Peixe sabe Ler"
11 de maio
Livraria Dom Pepe (Horta da Porta, Rua de Chartres, 7B)
15:00
 
Este workshop visa dar ferramentas aos pais para incutir nos filhos o gosto pelo livro e pela leitura. Moderadora: Antonieta Félix.

Organização: Livraria Dom Pepe
Contacto: 266 733 108 | livrariadompepe@gmail.com
Web page: http://www.livrariadompepe.com
Inf. Extra: preço - 4€. Limitado a 16 participantes. Inscrições através dos contactos disponibilizados.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Dia da Escola de Artes



Dia da Escola de Artes
10, 11 e 12 de maio
Colégio dos Leões

   

As comemorações do Dia da Escola de Artes da Universidade de Évora são preenchidas com um programa diversificado de concertos, debates, conferências, ateliês e exposições.

Organização: Universidade de Évora/Escola de Artes
Apoios: Câmara Municipal de Évora | Ministério da Cultural | Fundação Eugénio de Almeida
Contacto: 266 760 268 | ea@uevora.pt
Inf. Extra: Entrada Livre. 

Exposição - Centenário do nascimento de Túlio Espanca

quarta-feira, 8 de maio de 2013

11ª Edição do UÉ Challenge




Estás preparado para mais uma edição do UÉ Challenge? Este ano, nos dias 24 e 25 de Maio contamos já com a 11ª edição!

O UÉ Challenge é um evento que decorre ao ar livre com características de “Desporto de aventura”, organizado pelos alunos da Licenciatura em Ciências do Desporto da Universidade de Évora com o apoio técnico da Desafio Sul – Eventos, Formação e Animação Turística, Lda.

As características que têm tornado este evento um sucesso, permanecem: Uma filosofia de “Soft-Challenge”, adequado a qualquer faixa etária, disputado por equipas de 4 elementos (obrigatoriamente mistas), na vertente que achar mais adequada: pedestre ou BTT. Conta com provas de orientação, provas de slide, rappel, peddy-paper urbano e muitas mais aventuras nas localidades de Évora, Arraiolos, Avis e Mora que irão garantir aos participantes dois dias repletos de aventura, animação e puro divertimento!

Podemos contar desde com o patrocínio de certas entidades, tais como: Cevalor – Centro Tecnológico da Pedra Natural de Portugal, DREAlentejo, Every.Body - health & Fitness Clubs, Delta Cafés, Banco Espirito Santo, Rádio Telefonia do Alentejo, Diário do Sul, Publiplanície – Empresa de Marketing e publicidade, COPRAPEC, e Desporto Escolar, para além destes contamos ainda com o apoio das Câmaras Municipais de Évora, Arraiolos, Avis e Mora.  

Para mais informações consulta o nosso site: www.uechallenge.weebly.com ou a nossa página no facebook: www.facebook.com/UEvora.Challenge. 
Não percas tempo e inscreve-te quanto antes! Vem passar connosco dois dias altamente diferentes e radicais!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...