quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O Teatro Garcia de Resende ...


Em 1880 alguns sócios do "Círculo Eborenese" lembraram-se de dotar a cidade de Évora com um teatro, e para esse fim organizou-se uma sociedade com o título de "Companhia Eborense" com o capital de 20.000$000 réis realizável por meio de acções.

Para a direcção desta sociedade foram eleitos Thomaz Fiel Gomes Ramalho, José Maria Ramalho Diniz Perdigão, Domingos António Fiuza, Joaquim Esquível e Ignacio Ferreira. Subscrito o capital começou por ser organizada a comissão técnica que devia dirigir os trabalhos, liderada pelo engenheiro Adriano da Silva Monteiro e por mais quatro engenheiros de obras públicas do distrito de Évora. O terreno escolhido para a construção do teatro foi uma das hortas junto à Praça de D. Pedro, pertença do Conde da Costa, terreno de 3.000 metros quadrados que cedeu a troco duma renda anual de 15$000 réis.

A 16 de Abril de 1881 tiveram início as obras de construção, liderada pelo mestre construtor Manoel de Oliveira e Silva, e contando com a colaboração dos mestres António Joaquim Tabuco e o carpinteiro Olympio de Mira Coelho. Os trabalhos foram seguindo com rapidez até que em finais de 1881 os recursos financeiros da sociedade construtora estavam quase esgotados, o que depois dum abrandamento levou mesmo à paragem das obras.

Apesar do reforço de capital de 18.000$000 réis do abastado lavrador José Maria Ramalho Perdigão era necessário reforçar o capital da sociedade com uma segunda emissão de acções no valor de 20.000$000 réis que não foi bem sucedida. Em consequência deste facto as obras estiveram paradas até 1888, ano em que recomeçaram graças ao financiamento ofertado pelo Dr. Francisco Eduardo de Barahona Fragoso e que permitiu concluir as obras. A este facto não foi decerto estranha a influência de sua esposa D. Ignacia Ramalho de Barahona viúva de José Maria Ramalho Perdigão, que como foi dito, principal interveniente e que mais contribuiu da sua bolsa para a construção do Teatro.

Os acabamentos seriam, aliás, influenciados pelo seu gosto requintado, pois contrataram, para o efeito, uma equipa de pintores e artífices de grande qualidade. Luigi Manini, cenógrafo titular do Teatro Nacional de São Carlos, colaborou na dotação do cenário e na realização do pano de boca. A parte decorativa da sala de espectáculos incluindo o pano de boca, foi confiada aos pintores António Ramalho e João Vaz.

O tecto da sala foi pintado por António Ramalho e é alegórico, vendo-se por entre as nuvens as musas e génios da poesia que cercam a tragédia e a comédia, e no meio do tecto a esfera armilar de El-rei D. Manuel, em que está escrito o nome de Garcia de Rezende, poeta, cronista de D. João II, autor do projecto da "Torre de Belém"  e natural de Évora, onde faleceu no seu solar de Selbarosos.

Quando concluído era uma das melhores salas de espectáculos do país.Tinha 3 ordens de camarotes. A plateia tinha 98 lugares na superior; e 200 na geral; A lotação total não excedia os 400 lugares distribuídos por plateia, frisas, camarotes de primeira ordem, camarotes de segunda ordem e galinheiro.

Em reunião solene da Câmara Municipal de Évora em 11 de Abril de 1892 é lavrada a seguinte acta: 

"A camara municipal d'esta cidade, interpretando o sentimento de subido reconhecimento do povo que representa, para com o exmo. dr. Francisco Eduardo de Barahona Fragoso e sua exma. esposa D. Ignacia Angelica Fernandes Ramalho de Barahona, pelo acto de notavel bizarria e amor civico a esta cidade demonstrado com a conclusão do theatro Garcia de Rezende, que nos seu genero é um dos primeiros edificios do paiz, resolve consignar na acta d'esta sessão o seu profundo reconhecimento áquelles benemeritos cidadãos pelo donativo feito á cidade de Évora, esperando que se dignarão continuar a auxilia-la em tudo que possa concorrer para o seu engrandecimento moral e material. Resolve mais esta camara tirar a copia d'esta parte da acta, para officialmente a ir entregar nas mão d'aquelles dignos benemeritos cidadãos. A inauguração do "Theatro Garcia de Rezende" teve lugar a 1 de Junho de 1892, á qual assistiu o infante D. Afonso, tendo sido representadas a comédia-drama "O Íntimo” de Eduardo Schwalbach, e a comédia "O Sub Perfeito", pela companhia do Teatro D. Maria II que foi especialmente convidada pela municipalidade de Évora para este acontecimento, dando além desta récita mais cinco."

Em 1941, um vendaval destelhou o "Teatro Garcia de Rezende" e, tendo permanecido assim durante todo o Inverno, as pinturas foram danificadas. Para além disso, durante os trabalhos de recuperação foi roubado o revestimento interior em chumbo da cobertura, que garantia o isolamento térmico e acústico. Em 1943, a Câmara Municipal de Évora arrendou-o a empresas cinematográficas para cinema, teatro, concertos e bailes , autorizando alterações na plateia, que foi descaracterizada.


Entre 1966 e 1969 são realizadas obras com subsídio da Fundação Calouste Gulbenkian em que, baseado num projecto do arquitecto Rui do Couto, se altera profundamente a fachada e quase todo o alçado Norte e Sul. Uma intervenção desastrada alterou irremediavelmente a sua imagem original (fachada principal). O "Teatro Garcia de Resende" chegou a ser utilizado como depósito de lixo, até que, em 1975, foi ocupado pelo "Centro Cultural de Évora", que a partir dali deu início à primeira experiência de descentralização teatral. Mas depois de profundas reformas levadas a cabo pelo município nos últimos 20 anos, mantém-se hoje como um espaço cultural de referência, gerido pelo "CENDREV - Centro Dramático de Évora".

Informação retirada daqui

sábado, 27 de dezembro de 2014

"Raíz" de Marta Marques


"Raíz" de Marta Marques
até 31 de janeiro 2015 - r/c Palácio D. Manuel
segunda a sexta-feira -10:00-12:00 | 13:00-17:00. Sábados das 13:00 - 17:00. 
   
Nasceu em Évora em 1978 e após ingressar na Faculdade de Belas artes da Universidade de Lisboa licenciou-se em pintura no ano de 2005 e posteriormente concluiu o mestrado em 2011. Participa em exposições individuais e coletivas desde 2000.

Organização: Câmara Municipal de Évora
Contacto: 266777000 | cmevora@cm-evora.pt
Inf. Extra: Entrada Livre

Informação retirada daqui

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

“Continuação”, de Fernando D´F Pereira


“Continuação”, de Fernando D´F Pereira
até 17 de janeiro - Palácio de D. Manuel (Jardim Público)
aberta de segunda a sexta-feira: 10:00-12:00 | 13:00-17:00 | sábado - 13:00-17:00 
 
Exposição de pintura sob plexiglass, desenho sob papel crochet e escultura, por Fernando d´F Pereira. Nasceu em Lisboa, vive e trabalha entre Alemanha e Portugal. Inicia um périplo pela Europa, desde o sul de Espanha, expondo em Marbella e Paris (onde estuda e trabalha no Atelier de Du Buffet). Realizou trabalhos de Publicidade na Alemanha e Cartoons para os jornais IBP e “Computer World Zeitung” na Suíça (Peter Doeberl), em simultâneo com intensa atividade expositiva. A sua pintura é influenciada pelo expressionismo alemão, muito embora a considere de inspiração surrealista e simbolista. A sua obra foi objeto de estudo e análise por críticos e historiadores de arte.

Organização: Câmara Municipal de Évora
Contacto: 266 777 000 | cmevora@cm-evora.pt
Inf. Extra: Entrada Livre

Informação retirada daqui

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

"Perdidos em Évora" na Galeria da Fundação INATEL


"Perdidos em Évora" (fotografia)
até 31 de dezembro -  Galeria da Fundação INATEL (Rua Serpa Pinto, 6)
Horário: 17:00-22:00 | sábado: 10:00-13:00
   
Perdermo-nos num espaço que conhecemos, pode ser o ponto de partida para a sua redescoberta, para a sua reinvenção. Um espaço reconstruído onde o comum nos surpreende e o diferente é reencontro. As imagens fotográficas são sempre um véu sobre o “real”, sobre o qual se reconstroem as memórias de quem as vê. Que Évora irá encontrar cada um dos futuros visitantes desta exposição? Fotografias de Beatriz Rocha, Carla Fernandes, David Rebocho, Joana Fernandes, Joaquim Carrapato, Mário Crista, Nuno Camelo, Rui Diogo Castela e Telmo Rocha. Curadoria de Carlos Gasparinho.
 
Organização: Fundação INATEL | Câmara Municipal de Évora
Contacto: 266 730 523
Inf. Extra: Entrada Livre

Informação retirada daqui

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

“Museografia”, de Rodrigo Bettencourt da Câmara


“Museografia”, de Rodrigo Bettencourt da Câmara
Até 4 de janeiro de 2015 - Museu de Évora (Largo Conde de Vila Flor)
terça-feira a domingo: 10:00-12:30 | 14:00-17:00
 
A exposição “Museografia”, do artista português Rodrigo Bettencourt da Câmara, surge a pretexto da comemoração dos 200 anos da morte de D. Frei Manuel do Cenáculo e propõe um olhar – em larga escala – a algumas das peças que integram o acervo do museu de Évora. Este projeto fotográfico constitui-se como um olhar atento sobre a diversidade de objetos de pequenas dimensões que compõem o espólio desta instituição.

Organização: Trienal no Alentejo
Apoios: Museu de Évora
Contacto: 966 816 785 | ana.marques@trienal-alentejo.com

Informação retirada daqui

domingo, 21 de dezembro de 2014

"Évora e o Cante"


"Évora e o Cante"
até 31 de dezembro - Teatro Garcia de Resende (Pç. Joaquim Ant.º d'Aguiar)
dias úteis: 9:30-13:00 | 14:00-17:30
 
Exposição de fotografia no âmbito da comemoração da classificação do Cante Alentejano como Património da Humanidade. Fotografias de Carlos Gasparinho, Luís Garcia, Rui Diogo Castela e Telmo Rocha. O programa de inauguração inclui a apresentação da brochura "Évora e o Cante, Patrimónios da Humanidade" e participação dos Cantares de Évora.

Organização: Câmara Municipal de Évora
Apoios: CENDREV
Contacto: 266 703 112 | geral@cendrev.com
Web page: http://www.cendrev.com
Inf. Extra: Entrada Livre

Informação retirada daqui

sábado, 20 de dezembro de 2014

Concerto de Natal pela Banda Filarmónica da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede


Concerto de Natal pela Banda Filarmónica da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede
20 de dezembro -  Igreja de Santa Maria de Machede em Nossa Senhora de Machede - 21:30
   
Concerto de Natal associado à Associação Pão e Paz. Pedimos que doem um género alimentar para a Associação.

Organização: Banda Filarmónica da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede
Apoios: Paróquia, Cantares
Contacto: 933248747 | bfmachede1907@gmail.com
Inf. Extra: Doar um género alimentar

Informação retirada daqui

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Bonecos de Santo Aleixo - “Auto do Nascimento do Menino Jesus”


Bonecos de Santo Aleixo - “Auto do Nascimento do Menino Jesus”
até 20 de dezembro -  Biblioteca Pública de Évora - 18:30
   
Os Bonecos de Santo Aleixo são realizados em madeira e cortiça, medem entre 20 e 40 centímetros de altura e são vestidos com um guarda-roupa que permite, como no teatro naturalista, identificar as personagens da fábula contada. A música (guitarra portuguesa) e as cantigas são executadas ao vivo. Os textos, transmitidos oralmente, resultam de uma fusão entre a cultura popular e uma escrita erudita. Os Bonecos de Santo Aleixo, propriedade do Centro Dramático de Évora, são manipulados por “uma família”, constituída por atores profissionais, que garantem a permanência do espetáculo, assegurando assim a continuidade desta expressão artística alentejana. Atores Manipuladores: Ana Meira, Gil Salgueiro Nave, Isabel Bilou, José Russo e Victor Zambujo.

Organização: CENDREV
Apoios: INAlentejo 2007/2013 | Câmara Municipal de Évora | Diário do Sul | Rádio Telefonia
Contacto: 266 703 112 | geral@cendrev.com
Inf. Extra: Preço: 4 €. (funciona o cartão PassaporTeatro estudante e o cartão PassaporTeatro Sénior). 
Reservas: 266 703 112 | 266 769 330.

Informação retirada daqui

Concerto de Natal - Associação Filarmónica “Liberalitas Julia”


Concerto de Natal - Associação Filarmónica “Liberalitas Julia”
22 de dezembro - Teatro Garcia de Resende (Pç. Joaquim Ant.º d'Aguiar) -  21:30
 
A Associação Filarmónica “Liberalitas Julia”, fundada em 7 de Junho de 2010, veio preencher a lacuna da inexistência de uma filarmónica na sede do concelho de Évora. Na Associação os cidadãos eborenses têm a oportunidade de aprender música como hobby e fazerem parte de um agrupamento musical da nossa cidade. A banda é composta por 35 elementos, entre os 10 e os 86 anos, um leque de idades bem aberto, que permite a todos a convivência entre várias gerações, onde a experiência de cada um é posta em prática para o bem comum da associação. (duração: 90 min. | M/4)

Organização: Associação Filarmónica “Liberalitas Julia”
Apoios: Câmara Municipal de Évora
Contacto: 266 703 112 | geral@cendrev.com
Web page: http://www.cendrev.com
Inf. Extra: Entrada Livre

Notícia retirada daqui

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

"Cultiva o que é bom" no Art Café


Cultiva o que é bom
18 a 23 dezembro - Art Café - Inatel Évora - 16h00
   
O Art Café em Évora, vai realizar dias 18, 19, 20, 21 e 23 do mês de Dezembro 2014, com início às 16h00, atividades de âmbito cultural de forma a dinamizar o espirito natalício. Dia 18 às 22h - Little Garden, performance de Márcio Pereira; Dia 19 às 22h - Garoupas de Ipanema Dia 20 às 16h - música com Sérgio Dia 20 às 22h - Pequena Valsa, de André Russo Dia 21 às 16h - Espaguete & Pitú (Palhaços) Dia 23 às 22h - Estrela da Alvorada

Organização: Art Café
Apoios: Inatel Évora
Inf. Extra: Entrada livre

Informação retirada daqui

Que escondes tu? teatro para tod@s


Que escondes tu? teatro para tod@s
até 28 de dezembro - Igreja de São Vicente
Sessões para escolas: 16 a 23 Dezembro segunda a sexta, 10:30 
Sessões para público familiar: 20 e 21 Dezembro 27 e 28 Dezembro 
sábados às 16:30 domingos às 11:00
 
Que Escondes Tu?” é um espetáculo criado para relançar a esperança, para valorizar o encontro criativo entre as pessoas, para estimular o desejo de comunicar o que nos vai na alma. Um espetáculo em «técnica mista» com recurso à comédia, à poesia, ao teatro físico e às marionetas. Temporada PIM/Inverno 2014 em parceria com a Colecção B com nova criação [pim] à Igreja de São Vicente!

Organização: Colecção B | PIM Teatro
Apoios: Direção Regional de Cultura do Alentejo
Contacto: 965 529 610 | producao@pimteatro.pt
Inf. Extra: Preço - bilhetes público escolar: 3€ | bilhetes público familiar: 3€ crianças e 5€ adultos | grupos/famílias (5 pessoas) 3€

“Directum” no Teatro Garcia de Resende


“Directum”
19 de dezembro - Teatro Garcia de Resende - 21:30
 
“Directum” é um trabalho para saxofone, percussões e eletrónica (máquina de loop). Corrado Floriddia convidou Rui Gonçalves para esta nova experiência em 2007, depois de centenas de concertos executados juntos, com os “Macacos das Ruas”, “4eto Jazz” e “FunkTroika”, entre outros, “Directum”, performativo, acústico-eletrónico, é a viagem entre standard de Jazz como “AllBlues” e “Night in Tunísia”, que são intercaladas com cantos populares italianos-portugueses. “Chaves de Sax em Feed Back” também dão espaço a momentos completos de improviso procurando ambientes naturais paisagistas, sem usar os instrumentos propriamente de forma tradicional. (Corrado Floriddia, saxofone | Rui Gonçalves | percussão e eletrónica | duração: 60 min. | M/12)

Organização: Câmara Municipal de Évora
Apoios: CENDREV
Contacto: 266 703 112 | geral@cendrev.com
Inf. Extra: Preço - 8€

Informação retirada daqui

domingo, 7 de dezembro de 2014

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...